Fundo de Fundos ou Fund of Funds (FOFs) é uma modalidade de investimento com várias cotas de outros fundos de investimentos diferentes.

Assim como os demais fundos de investimentos, os FOFs funcionam como uma espécie de “condomínio” de investidores, no qual um gestor é o responsável por encontrar e fazer as melhores aplicações. 

Existem diferentes tipos de fundos. Eles podem investir diretamente em ações, títulos de renda fixa ou outros ativos, mas também podem conter cotas de outros fundos, que são chamados de fundos de fundos.

Neste artigo você vai conhecer as principais características e informações de como funciona um FOF para descobrir se vale a pena investir.

Quais os Melhores FIIs para 2022? Clique Aqui e Receba Dinheiro na Sua Conta Todos Meses.

O que é Fundo de Fundos?

Fundo de fundos, também chamados de “funds of funds” (FoF) são fundos de investimento que aplicam seus recursos em cotas de outros fundos.

Ou seja, ao invés de investir diretamente em ativos finais como acontece com os fundos de ações, FIIs, fundos de renda fixa, entre outros, os FoFs tem em sua carteira participações em outros fundos. 

Esta é uma boa opção para investidores que queiram diversificar suas carteiras, pois com a compra de uma única cota estará adquirindo uma variedade bem maior de outros fundos.

O objetivo é oferecer, por meio de um único veículo, acesso a estratégias vantajosas do ponto de vista de risco e retorno para os investidores.

Os nomes oficiais dos FOFs geralmente incluem a expressão “FIC” ou “FICFI”, uma sigla para “fundo de investimento em cotas de fundos de investimento”. 

Por regra, pelo menos 95% do patrimônio de um FoF precisa ser investido em cotas de outros fundos. 

Como funciona o Fundo de Fundos (FoF)?

Um Fundo de Fundos funciona de maneira semelhante a outros fundos.

Os investidores compram cotas de um FoF. Com o capital levantado de todos os cotistas, o gestor realiza aplicações adquirindo cotas de outros fundos que façam sentido conforme a estratégia do fundo.

Portanto, a grande diferença está no fato de que o gestor de um FOF não escolhe os ativos finais para investir, mas sim, analisa o desempenho de outros fundos e escolhe os que lhe parecem melhores para compor a carteira.

As cotas dos FoFs são negociadas na bolsa de valores, tendo seus preços oscilando de acordo com a oferta e demanda.

Tipos de FOFs

Os fundos de fundos seguem a mesma classificação tradicional dos fundos de investimento

Assim, é possível que existam FOFs de ações, de renda fixa, cambiais, entre muitos outros.

No entanto, esse tipo de estratégia é mais comum no caso dos fundos multimercados e também nos fundos imobiliários, que são duas categorias onde a diversificação é considerada um valor importante.

Para ser considerado um FOF, o fundo deve aplicar pelo menos 95% do seu capital em cotas de outros fundos da mesma categoria em que ele está inserido.

Dessa forma, um FOF imobiliário deve ter sua carteira predominantemente formada por cotas de outros FIIs e os FOFs de Ações deverão adquirir cotas de Fundos de Ações; e assim por diante.

A exceção fica por conta dos fundos que pertencem à classe multimercados, que podem investir em fundos de classes distintas.

Vantagens dos Fundos de Fundos

O investimento em fundo de fundos pode ser uma aplicação muito interessante para qualquer tipo de investidor, tanto os profissionais quanto os iniciantes.

Conheça as principais vantagens dos FoFs:

Diversificação

O princípio básico por trás dos FoFs é o de fornecer diversificação.

Com apenas uma cota o investidor pode ter acesso a diversos outros fundos, já que é muito comum que um único FOF tenha 10, 15, 20 ou até mais fundos em sua carteira.

A diversificação também possibilita ter uma maior segurança em relação às aplicações.

Assim, se um dos fundos incluídos em um FOF for mal, é possível que outro esteja indo bem, compensando eventuais perdas. 

Mais segurança

Como mencionamos, a diversificação do FoF abre caminho para outro benefício importantíssimo: a segurança.

Além de cada fundo estar passando por um momento, ter a carteira composta por mais de um fundo pode significar não estar exposto ao risco operacional de um único gestor. 

Dessa forma, as chances de um erro operacional são reduzidas.

Praticidade

Outra vantagem de investir em um fundo de fundos é a praticidade e economia de custos.

Se não fosse pelo FoF, o investidor que quisesse, por exemplo, investir em mais de 20 fundos, teria que realizar 20 ordens diferentes de compra.

Neste caso, pode-se economizar tempo e corretagem comprando cotas de apenas um fundo de fundos.

Gestão profissional

A gestão profissional também pode ser uma vantagem do FoF. Esse profissional ficará responsável por analisar os melhores fundos e investir naqueles que melhor se adequarem à estratégia do fundo.

Acessibilidade

O FoF permite o acesso a fundos de investimentos com investimento inicial elevado, algo que pode ficar longe das possibilidades do público em geral.

Desvantagens dos FoFs

Assim como qualquer investimento, os fundos de fundos também possuem desvantagens. São elas:

Taxas e custos

Como todo fundo de investimento, os FoFs têm incidência da taxa de administração, a forma de remuneração pela gestão profissional.

Além da taxa de administração do próprio FOF, ele também embute as taxas de administração das carteiras nas quais investe. 

Por isso, é importante estar atento ao percentual cobrado e o impacto que pode ter sobre a rentabilidade final.

Falta de autonomia

Outra desvantagem dos fundos de fundos está associada a uma de suas próprias vantagens, que é a gestão feita por terceiros.

Isso porque os gestores são os únicos responsáveis pela escolha e negociação dos ativos e o investidor não tem nenhum poder de decisão sobre a carteira do fundo.

Quais os Melhores FIIs para 2022? Clique Aqui e Receba Dinheiro na Sua Conta Todos Meses.

Tributação dos FOFs

A tributação dos Fundos de Investimento depende do tipo de fundo que compõem a carteira e o prazo de aplicação dos recursos.

Para a definição das alíquotas separamos os fundos de investimentos em 3 principais categorias:

  • Fundo de Ações: contam com alíquota única de IR na fonte, independente do prazo em que o investidor permanecer com os recursos investidos.
Prazo de aplicação:Alíquota do IR:
Independente do prazo de aplicação15%
  • Fundos de Curto Prazo: para fins de tributação, são considerados Fundos de Investimento de Curto Prazo aqueles cuja carteira de títulos tenha prazo médio igual ou inferior a 365 dias. 
Prazo de aplicação:Alíquota do IR:
Até 180 dias22,5%
Acima de 180 dias20%
  • Fundos de Longo Prazo: para fins de tributação, são considerados Fundos de Investimento de Longo Prazo aqueles cuja carteira de títulos tenha prazo médio igual ou superior a 365 dias.
Prazo de aplicação:Alíquota do IR:
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15%

Come-cotas

A cada seis meses, é feita a tributação automática sobre os rendimentos de determinados fundos de investimento em um sistema denominado “come-cotas”. 

Para esse recolhimento, será usada a menor alíquota de cada tipo de Fundo: 20% para Fundos de Curto Prazo e 15% para Fundos de Longo Prazo.

Fundos de investimento de renda fixa, multimercados, crédito privado, cambiais e ouro estão sujeitos ao come-cotas.

A exceção fica por conta dos fundos de ações, fundos fechados e de previdência e dos fundos imobiliários e de debêntures incentivadas.

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incide sobre o rendimento nos resgates feitos em um período inferior a 30 dias. 

O percentual do IOF pode variar de 96% a 0%, dependendo do número de dias decorridos da aplicação.

Como investir em FOFs

As cotas de Fundos de Fundos são negociadas na Bolsa de Valores.

Para investir, é preciso ter uma conta aberta em uma corretora de valores.

Diante das opções disponíveis, procure identificar aquelas que estejam adequadas ao seu perfil de investidor e objetivos financeiros. 

Avalie os objetivos da carteira e os fundos que têm cotas compradas pelo FOF. 

Por fim, avalie os custos de taxa de administração e o histórico de rentabilidade.