O que é IPO na Bolsa de Valores e a Abertura de Capital
| ,

O que é IPO na Bolsa de Valores e a Abertura de Capital

A Oferta Pública Inicial (IPO) permite que empresas médias cresçam e se tornem grandes companhias de capital aberto.

Por
Atualizado em 01/05/2020
Avalie esse texto

A Oferta Pública Inicial (IPO) é um divisor de águas para as médias empresas que têm a ambição de crescer e se tornarem grandes companhias de capital aberto.

IPO é o processo de abertura de capital de uma empresa para vender suas ações pela primeira vez na Bolsa de Valores.

Assim, o investidor que adquirir as ações torna-se sócio de uma pequena parte do negócio e participa da divisão dos lucros.

A abertura de capital é um evento muito aguardado pela diretoria para captar recursos.

Para os investidores é uma oportunidade de serem os primeiros a investir em ações e lucrar com o crescimento da empresa.

Os IPOs cresceram 51,7% em 2019 em relação ao ano anterior. Movimentando R$ 10.243 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, a Anbima.

Você vai descobrir tudo sobre IPO ainda hoje:

  • O Que é IPO (Oferta Pública Inicial);
  • Objetivo do IPO;
  • Como Funciona o IPO;
  • Vantagens e desvantagens do IPO;
  • Como investir em um IPO na Bolsa de Valores.

Leia até o final e aprenda como investir em companhias que estão abrindo capital na Bolsa de Valores.

O que é IPO?

IPO é a sigla para Oferta Pública Inicial (do inglês: Initial Public Offering), processo no qual as ações de determinada empresa ficam disponíveis para o público pela primeira vez.

Ou seja, ao lançar um IPO, a empresa disponibiliza suas ações na Bolsa de Valores, permitindo que qualquer investidor compre pequenas partes e participe da sociedade.

Também conhecido como abertura de capital, a empresa deixa de pertencer a apenas um grupo limitado de pessoas tornando-se uma S.A (Sociedade Anônima).

Diferente do follow-on, na qual uma empresa que já emitiu ações retorna ao mercado para ofertar mais papéis, o IPO ocorre, uma única vez, justamente no seu lançamento de ações.

Tipos de ofertas públicas

Os IPOs podem ser divididos em dois tipos: oferta pública primária ou secundária.

Oferta Pública Primária

Uma oferta primária ocorre quando a empresa decide abrir seu capital e emite novas ações para vendê-las ao público.

Aumentando assim sua base acionária com objetivo de arrecadar recursos para a companhia.

Neste caso, o lucro vai para o caixa da empresa.

Oferta Pública Secundária

Na oferta secundária, a companhia coloca à venda ações já existentes. Estes papéis são vendidos pelos próprios sócios que decidiram reduzir sua participação no negócio.

Nesse caso, o lucro obtido com a venda, vai para o vendedor e não para a empresa.

Banner will be placed here

Objetivo do IPO

O principal objetivo de uma companhia quando abre seu capital é captar recursos.

Um IPO gera uma grande injeção de capital em um curto período.

Este dinheiro pode ser usado para a empresa expandir suas operações, investir em infraestrutura ou até mesmo pagar dívidas.

Contudo, uma oferta pública inicial não pode ser realizada por qualquer companhia.  É preciso se certificar de que se tem um modelo de negócios seguro e estável.

A abertura do capital faz com que a empresa tenha maior visibilidade e uma melhor imagem frente ao mercado.

Os motivos do IPO normalmente são:

  • Acesso a recursos financeiros para financiamento de projetos e investimentos;
  • Liquidez patrimonial visando venda futura;
  • Reestruturação financeira;
  • Melhora da imagem e consolidação da marca.

Como funciona a Abertura de Capital na Bolsa de Valores

Para negociar ações na Bolsa de Valores a empresa não pode simplesmente ofertá-las aos investidores.

O processo de abertura de capital de uma empresa é longo.

Ele começa cerca de 1 ano antes do lançamento do IPO e pode custar até R$ 2 milhões em taxas.

Para dar conta de tudo, a maioria das organizações monta uma equipe específica para o IPO, designando um gerente de projetos para supervisionar as atividades.

Esse time é composto por advogados, contadores, analistas, entre outros especialistas que irão orientar a companhia durante o processo.

Para que a oferta pública inicial seja lançada é preciso que a empresa obtenha um registro de companhia aberta no órgão regulador do mercado de valores.

No Brasil, a responsável é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Além de solicitar a abertura de capital, é necessário uma autorização para vender as ações e outra para ser listada em bolsa.

Processo de IPO
Processo de IPO

O processo começa com as empresas montando o prospecto de oferta.

Nele, são detalhadas informações importantes sobre a empresa, o histórico das demonstrações contábeis dos últimos 3 anos, além de dados da própria operação e da projeção do negócio.

O prospecto é um documento voltado para o público investidor.

Assim, os investidores em potencial saberão de antemão quais são os planos, a situação do mercado e os riscos da companhia.

O próximo passo é transferir contratos e documentos para a “nova” Sociedade Anônima (S.A.).

Próximo ao lançamento, a organização é incluída na Bolsa de Valores, deposita seu prospecto junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e emite o comunicado de lançamento na imprensa.

No dia determinado suas ações são lançadas pela primeira vez no mercado.

Vantagens do IPO

As ofertas públicas de ações são vantajosas para a empresa e para o investidor.

Vantagens do IPO para a empresa

Acesso a recursos

O acesso aos recursos dos acionistas é o principal motivo que leva uma empresa a abrir seu capital.

Em posse desse capital as empresas podem financiar seus projetos e elevar o negócio a outro patamar.

Esse valor pode ser utilizado, por exemplo, para expandir, internacionalizar a empresa, desenvolver novos produtos e serviços, pagar dívidas, comprar outras empresas, fundar filiais, entre outras.

Atrair bons profissionais 

As ações podem ser formas de contratar talentos e remunerá-los, em parte, com participação na empresa.

Maior visibilidade e consolidação da marca

O IPO pode melhorar a imagem da empresa perante o mercado e os consumidores. Isso porque sua listagem na Bolsa de Valores traz maior visibilidade para a empresa.

Além do mais, é uma oportunidade para a companhia ser notada não só por causa da sua atividade empresarial, mas também pelo seu desempenho na Bolsa.

Um ótimo exemplo disso é a Magazine Luiza (MGLU3). Depois do desempenho de suas ações na bolsa, a imagem da empresa também melhorou.

Vantagens do IPO para o investidor

Oportunidade de investimento

Para o investidor, a abertura de capital de uma empresa representa maiores possibilidades de investimentos e diversificação da carteira.

Geralmente um IPO gera uma euforia no mercado diante da expectativa de um novo e rentável empreendimento.

Possibilidade de lucro

O investidor que aproveita o IPO pode se beneficiar com o crescimento da empresa e ver os preços das ações dispararem.

Uma modalidade muito usada pelos traders durante um IPO é a flipagem.

Flipar é o movimento de adquirir ações previamente no período de reserva com o intuito de vendê-las no dia de sua abertura no mercado.

O objetivo é lucrar com a alta valorização do papel, que costuma atingir patamares maiores durante as primeiras horas de negociação.

Desvantagens do IPO

Embora se mostre como uma boa oportunidade, alguns pontos do IPO podem ser considerados como desafiadores.

Desvantagens do IPO para a empresa

Processo caro e burocrático

Lançar um IPO é um processo demorado e bastante caro.

Para ajudar com as complexidades da abertura de capital, a empresa precisa de montar uma equipe externa para cuidar de todo o procedimento.

Todo esse processo também pode distrair os líderes da empresa e prejudicar os negócios.

Perda de controle sobre a empresa

Após a oferta pública inicial, os proprietários da empresa perdem um pouco do controle e da liberdade sobre o seu negócio.

Com o aumento do número de sócios é preciso responder ao conselho de administração, bem como aos demais grupos de acionistas.

Vigia pública

Ao se tornar uma empresa de capital aberto, ela enfrenta apurações e regulamentos muito mais intensos e passa a ser regulada pelos órgãos competentes, Comissão de Valores Mobiliários, por exemplo.

Além disso, suas informações operacionais e financeiras tornam públicas, o que fornecer informações valiosas para os concorrentes e fornecedores.

Desvantagens do IPO para investidores

Difícil análise

Como a ação da empresa nunca foi negociada, há um desconhecimento em relação à fatores importantes para análise de uma ação.

A análise técnica não pode ser aplicada nesse tipo de operação e para a análise fundamentalista não existem tantas informações públicas da empresa.

Dessa forma, o investimento torna-se mais arriscado do que o aporte em empresas com um histórico na Bolsa.

Imprevisibilidade dos preços

Como as ações da companhia nunca foram negociadas antes no mercado, não se sabe se sua precificação está adequada.

Isso porque, quando as ações estão sendo negociadas na bolsa, elas são precificadas por meio da oferta e da demanda. 

Às vezes o valor das ações dispara no dia da abertura de capital, mas cai alguns dias depois.

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Como investir em IPO na Bolsa de Valores

O investidor que deseja participar de um IPO precisa ter conta em uma corretora de valores que esteja participando da operação. 

A reserva de ações é feita pelo Home Broker antes mesmo do dia oficial do IPO.

No chamado período de reserva o investidor solicita a quantidade de ações e o preço que deseja pagar por cada uma delas de acordo com a banda de preços pré-determinada.

A compra dos papéis às vésperas do IPO costuma ter um preço menor do que o do primeiro pregão.

Dessa forma, podem tanto ser boa alternativa, caso as ações sofrerem uma grande valorização, mas o oposto também é verdadeiro.

Finalizado o prazo para os pedidos de reserva, inicia-se o processo conhecido como book building.

A partir da análise da demanda dos investidores pelas ações e suas ofertas é definido o preço final do papel

Veja o passo a passo de como investir em IPO na Bolsa de Valores:

1- Escolha a empresa

O primeiro passo para investir é analisar a empresa.

Embora não existam muitas informações, leia todo o conteúdo disponível sobre o IPO e da empresa.

Saiba quem administra o negócio, seu histórico, perfil de gestão e propostas.

2- Reserve as ações

Abra uma conta em uma boa corretora de valores que está participando do IPO. Somente assim será possível reservar as ações.

Informe o volume que deseja comprar e o preço de acordo com a faixa estabelecida.

Após a reserva, não será possível desistir da operação. Além disso, é necessário pagar por um percentual da oferta como garantia.

3- Preço final

Após o período de reservas, é feita a precificação das ações através do processo de bookbuilding  que avalia o preço e da demanda pelos papéis.

O valor definido nesta etapa é o que será pago por quem reservou os papéis.

O investidor de ofertou valor igual ou superior ao preço final, tem direito de comprar as ações.

Por exemplo, se o investidor 1 disse que pagaria R$ 15, mas o preço final para os papéis fechou a R$ 20, ele fica de fora.

Caso o investidor 2 tenha manifestado interesse por R$ 22, ele pagará os R$ 20 pela ação.

4- Demanda maior

Nesta etapa que se verifica se existe uma demanda maior à oferta pelas ações que serão divididas entre os interessados.

Caso isso não ocorra, o IPO não poderá se concretizar.

Isso garante que existe uma demanda no mercado pelas ações da companhia.

5- Início das operações

Após o IPO, inicia-se a negociação das ações no mercado secundário.

Ou seja, as ações começam a ser negociadas na Bolsa e podem ter o seu preço variando para cima ou para baixo, de acordo com as oscilações do mercado.

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Vale a Pena investir no IPO?

A Oferta Pública Inicial de ações é um momento importante para o mercado, para as empresas e para os investidores que podem se tornar sócios de bons negócios.

Alguns investidores vêm os IPOs como uma oportunidade de comprar as ações por um preço inicial baixo e vê-las subirem de forma rápida.

Outros acreditam que poderão colher bons frutos com a valorização da empresa ao longo do tempo.

Ainda que isso aconteça, é importante lembrar que o risco existe em toda e qualquer operação.

Investir no IPO pode ser uma aposta perigosa caso o investidor não entenda as vantagens e desvantagens deste investimento.

Para evitar a alta volatilidade das ações no início das negociações, algumas companhias estabelecem uma cláusula de lock-up nos seus IPOs.

Esta consiste em um período de carência que o investidor deve cumprir antes de negociar as novas ações.

O investidor que aderir têm preferência na reserva das ações.

Por isso, antes de se comprometer com a reserva de papéis de uma oferta pública inicial, colete todas as informações possíveis sobre a empresa e estude com atenção os termos do IPO.

Respeite também o seu perfil de investidor para fazer uma boa alocação de ativos e se expor a um nível adequado de risco.

Descubra o seu perfil através deste teste online de perfil e receba uma sugestão de ativos para a sua carteira.

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais