O que é Hedge Funds e como funcionam dos fundos de cobertura
|

O que é Hedge Funds e como funcionam dos Fundos de Cobertura

Hedge Funds adotam estratégias mais arrojadas com o objetivo de obter os maiores retornos possíveis.

Por
Atualizado em 28/05/2020
Avalie esse texto

Hedge Fund é um fundo multimercado, com o objetivo de limitar os riscos de mercado para buscar a maior rentabilidade possível independente da situação do mercado financeiro.

Os fundos de hedge têm como principal característica a versatilidade, utilizando de todas as possibilidades de investimentos e os mais variados instrumentos e técnicas.

Justamente por adotar estratégias que não podem ser utilizadas pelos fundos de investimentos tradicionais, essa modalidade é considerada uma alternativa de alto risco.

Esta opção de investimento é indicada para investidores que almejam alcançar bons retornos e diversificar seus investimentos.

Grandes bilionários da Bolsa construíram suas fortunas graças aos hedge funds.

Dentre eles temos George Soros, o gestor de fundos de cobertura mais rico do mundo, além de James Simons, Ray Dalio, Steven Cohen e Ken Griffin.

Conforme sua estratégia, os fundos de hedge podem obter grandes ganhos tanto no Bull Market quanto em cenários de crise.

Durante o colapso do mercado causado pelo impacto do Coronavírus na bolsa, alguns Hedge Funds americanos famosos registraram grandes ganhos.

Então, você está pronto para saber o que são fundos de hedge e como funciona esse fundo de investimentos?

  • O que é Hedge Funds;
  • Como funcionam os fundos de cobertura;
  • Vantagens e desvantagens do Hedge Funds;
  • Como escolher um Hedge Fund;
  • Hedge Funds no Brasil.

Leia até o final e veja como investir em fundos de hedge para diversificar o portfólio e buscar ganhos maiores.

O que é Hedge Funds?

Hedge fund, também chamado de fundo de cobertura, é um investimento que pode operar com diferentes ativos e estratégias sofisticadas, com o objetivo de lucrar independente da situação do mercado.

Com poucas restrições, é um modelo alternativo aos fundos de investimentos tradicionais.

Os fundos de hedge são muito flexíveis e contam com graus de risco variados.

Eles podem tanto buscar a proteção do capital dos seus cotistas quanto serem gerenciados o objetivo de gerar altos retornos.

Hedge” é uma prática para reduzir o risco, porém, ao contrário do que o nome sugere, os fundos de hedge podem apresentar riscos maiores do que o mercado em geral.

O nome é predominantemente histórico, pois os primeiros hedge funds foram estruturados para se proteger contra o Bear Market (mercado em baixa).

Atualmente, o termo Hedge Fund é um nome genérico para diversos fundos não tradicionais.

Esse conceito foi usado pela primeira vez em 1949 por Alfred Winslow Jones.

O investidor comprava ações subavaliadas e vendia a descoberto para se proteger dos riscos de mercado. 

Por volta dos anos 60 e 70 os hedge funds evoluíram em busca de maximizar os retornos e se afastaram da estratégia inicial de Jones.

Os fundos modernos começaram a se popularizar nos EUA com estratégias mais arriscadas baseadas na alavancagem de longo prazo. 

No Brasil, por questões regulatórias, os fundos hedge são conhecidos como Fundos Multimercados, muito embora nem todos sejam de fato hedge funds.

Banner will be placed here

Como funcionam os Hedge Funds

Os fundos de hedge utilizam de diferentes estratégias de investimento para tirar proveito de oportunidades de mercado.

Dessa forma, são capazes de obter altos retornos tanto com a ascensão quanto com sua queda.

Assim como os outros fundos de investimento, os Hedge Funds funcionam como uma espécie de condomínio.

Nele, o gerente do fundo capta dinheiro dos investidores e investe de acordo com a estratégia que prometeu usar. 

A diferença é que esse fundo é limitado a um número de  investidores credenciados e exigem um grande investimento mínimo inicial.

Toda a estrutura de investimento dos fundos de cobertura são projetadas para gerar retorno.

O portfólio de investimento de um Hedge Fund pode ir desde títulos públicos, câmbio, futuros e opções, arbitragem, commodities, ou mesmo outros fundos.

Os gerentes têm mais flexibilidade para especular e usar derivativos sofisticados, que lhes permitem criar alavancagem e alcançar retornos mais altos.

A estrutura dos fundos de hedge é semelhante a uma empresa limitada com vários sócios.

Nos seus documentos legais é descrito como o fundo é estruturado e onde o gerente pode investir.

Geralmente os fundos de hedge exigem que os investidores mantenham seu dinheiro aplicado por um período mínimo, conhecido como período de lock-up

Características dos Hedge Funds

Por terem uma maior liberdade de alocação de ativos, é difícil definir uma única linha de atuação para os fundos de hedge.

Mesmo assim, é possível traçar algumas características comuns a esses fundos.

Os Hedge Funds norte-americanos permitem a livre escolha das classes dos ativos e estilos de investimento.

Na tentativa de gerar retornos superiores ao mercado, os gestores recorrem às mais variadas estratégias, seja assumir posições alavancadas, negociar ativos de baixíssima liquidez, entre outros.

Essa flexibilidade fazem com que os hedge funds tenham uma performance superior a fundos tradicionais na maioria dos casos.

O retorno é essencialmente determinado pelas habilidades dos gestores e pelas estratégias de investimento utilizadas, dois fatores que independem do tamanho do fundo.

Por outro lado, os fundos de cobertura costumam gerar um risco maior para os cotistas, além de taxas de administração e performance altas.

Os fundos de hedge não estão abertos a qualquer investidor.

Como geralmente exigem um alto investimento inicial, aceitam apenas investidores qualificados ou “credenciados”.

São chamados de investidores “qualificados” as pessoas com patrimônio líquido superior a R$ 1 milhão.

As principais características do Hedge Funds são:

  • Liberdade de investimento e alocação de recursos do fundo;
  • Foco em aplicações arrojadas, majoritariamente em renda variável;
  • Pouco controle por agências reguladoras;
  • Baixa correlação com mercados tradicionais;
  • Gestores altamente especializados;
  • Geralmente os gestores investem o próprio capital no seu fundo;
  • Pouca divulgação de informações;
  • Resultados de performance publicadas de acordo com as regras do próprio fundo;
  • Grande volume de operação;
  • Alto patrimônio líquido;
  • Alto grau de alavancagem em relação ao seu patrimônio líquido;
  • Cobrança de altas taxas de administração e performance;
  • Baixa acessibilidade, focando em investidores qualificados de alta renda.

Por que investir em Hedge Funds

Em tese, ao investir em fundos de hedge, o investidor diversifica o portfólio e tem a possibilidade de obter retornos acima da média.

Por ser um fundo de investimento complexo, o gestor consegue formular estratégias para tirar proveito do mercado, podendo registrar ganhos em mercados de baixa.

Porém, esse tipo de investimento é considerado de elevado nível de risco, já que assume um caráter fortemente especulativo.

Desse modo, é indicado apenas para o perfil de investidor mais arrojado e tolerante ao risco, uma vez que não existe garantia de preservação do capital investido ou rentabilidade do investimento.

Por terem um caráter especial, exigem uma aplicação inicial mínima mais elevada.

Podem inclusive ser um fundo exclusivo para investidores convidados, não permitindo a entrada de novos cotistas.

Também costumam ser restritos a clientes de alta renda, como os investidores qualificados, os quais possuem carteira acima de R$ 1 milhão, e a investidores institucionais.

Nos últimos anos, investidores brasileiros aumentam a procura por hedge funds dos Estados Unidos.

Com a taxa básica de juros no Brasil em seu nível mais baixo em décadas, os investidores perceberam que esta é a era da renda variável.

E foram em busca de retornos mais altos e diversificação dos portfólios.

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Como escolher um Fundo de Hedge

Com tantos fundos de hedge e amplas diferenças de retornos e riscos de investimento, é importante que investidor identifique as principais métricas para escolher o melhor fundo de hedge.

Altos retornos não necessariamente identificam um fundo atraente.

É necessário identificar a estratégia do fundo, verificar o histórico do gestor e comparar seus retornos com outros fundos da mesma categoria.

A seleção dos melhores hedge funds pode ser um processo bastante complicado.

Para encontrar o Fundo de Hedge ideal para você é só seguir estas dicas:

  • Comparar a taxa de risco dos fundos;
  • Verificar o índice que mede o risco/retorno (quanto maior, melhor);
  • Entender a estratégia de investimento do gestor;
  • Investir no máximo 30% do seu patrimônio;
  • Comparar as rentabilidades históricas;
  • Conhecer seu perfil de investidor;
  • Ver se o valor inicial exigido cabe no seu bolso. 

Definição do objetivo

O processo de escolha de um hedge fund se inicia com a definição dos objetivos do investidor. A partir daí é possível estabelecer alguns critérios na seleção baseado no perfil de investidor.

Descubra o seu fazendo o teste de perfil de investidor online.

Análise do fundo

Após a seleção inicial, parte-se para uma análise quantitativa dos fundos para comparar o retorno relativo e absoluto, retorno no mercado em queda e em ascensão, entre outros.

No entanto, como bons resultados passados não garantem desempenho semelhante no futuro, é necessária uma análise quantitativa que verifique estratégias e filosofia de investimento e seus possíveis riscos e retorno.

As fontes para uma análise qualitativa são geralmente encontradas no memorandum do fundo.

Veja no documento os objetivos do fundo, o histórico de seus gestores, as taxas cobradas, as contribuições mínimas aceitas e quais são as políticas de aporte e resgate do fundo.

Vantagens do Hedge Funds

Investir em Hedge Funds pode oferecer um potencial de altos ganhos, acesso a diversas classes de ativos que não seria possível para o investidor fazer de forma autônoma.

Veja as principais vantagens dos fundos de cobertura:

Maiores retornos

Os Hedge Funds historicamente apresentam retornos mais elevados que outros fundos de investimentos.

Isso se deve a liberdade na escolha dos ativos e de estratégias operacionais, que também fazem com o investimento tenha maior risco.

Proteção contra queda do mercado

Hedge funds são capazes de fornecer uma proteção e até retornos positivos mesmo com o mercado em queda.

Diversificação

Seja através da alocação dos recursos em diferentes ativos ou uma seleção de diferentes estratégias, os fundos de hedge conferem aos investidores uma diversificação extra no portfólio.

Terceirização das decisões para profissionais

Ao investir em fundos de cobertura, o investidor delega as decisões, análises e monitoramentos para um gestor.

Desvantagens dos Hedge Funds

Embora os fundos de Hedge possibilitem retornos maiores, sua estratégia de investimento também o expõe a perdas potencialmente grandes.

Portanto, não é recomendado para todos os perfis de investidores

Alto risco

Fundos de hedge são capazes de alavancar posições mais especulativas, que estão mais sujeitas a perdas. 

Altas taxas

Os Hedge Funds costumam cobrar as taxas mais altas do mercado.

Geralmente 2% de administração e 20% de performance. 

Falta de controle

Se por um lado a terceirização das decisões é favorável para o investidor que não possui experiência nem tempo para gerir a carteira, por outro, tira totalmente o controle sobre o fundo.

Assim, se o investidor não aprova um determinado tipo de estratégia do fundo, ele não é capaz de modificar esta alocação

Liquidez limitada

Diferente de outros fundos de investimento que permitem aporte e resgate diários, os hedge funds estabelecem restrições para a movimentação dos cotistas.

A entrada e saída de recursos somente são permitidas mensal, trimestral ou até mesmo anualmente.

Além disso, é comum o estabelecimento de um período inicial mínimo chamado de lock-up no qual o cotista é impedido de retirar recursos. 

Riscos dos fundos de hedge

Além dos riscos já existentes nos demais instrumentos financeiros, alguns riscos são vistos como específicos e determinantes para Hedge Funds. 

Risco de Liquidez

Os fundos de hedge são investimentos ilíquidos (com baixa liquidez), ou seja, os investidores não podem retirar o dinheiro investido no fundo de hedge na hora que desejam.

Além disso, há a possibilidade de perda de liquidez nos mercados.

Isso ocorre quando os gestores não conseguem sair de suas posições rapidamente.

Risco Humano

Os gestores do fundo são determinantes para o desempenho do fundo. Assim, a integridade da equipe de gestão é fundamental.

A mudança de gestor pode comprometer o retorno do fundo.

Risco de Mudança de Estratégia

A mudança de estratégia pelo gestor sem comunicar aos investidores pode aumentar a volatilidade e a correlação do fundo. 

Taxas do Hedge Fund

As taxas dos fundos hedge normalmente são mais caras quando comparados aos investimento tradicionais.

Normalmente, possuem uma estrutura de taxas chamada esquema 2 e 20.

O que significa que cobram 2% de taxa de administração e recebem 20% do lucro como taxa de performance.

Essa taxa de desempenho visa estimular os gestores a alcançar os maiores retornos possíveis, bem como, atrair para a gestão os melhores talentos.

O restante do lucro é destinado ao pagamento de tributos e, depois, distribuído proporcionalmente entre os investidores.

Alguns novos fundos de hedge possuem uma taxa diferenciada, variando de 1% a 3% de taxas de administração e entre 15% e 30% de taxas de performance. 

Hedge Funds no Brasil

No Brasil, os Hedge Funds são classificados genericamente como Fundos Multimercados. Entretanto, não são todos que podem ser considerados como fundos de hedge em seu sentido pleno.

Alguns especialistas dizem não haver Hedge Funds propriamente ditos no Brasil, sendo esta classificação feita apenas por questões regulatórias.

Diferente dos Estados Unidos e demais países desenvolvidos, os hedge funds só começaram a ser explorados no Brasil no início dos anos 90.

Comparando as estratégias e espectro de atuação dos hedge funds globais, o nacionais pode ser considerados bastante limitados.

Enquanto no mercado norte-americano esses fundos são estabelecidos como sociedades limitadas, pouco reguladas e isentas dos controles, no Brasil eles são regulados pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Em contraste com a liberdade de alocação de recursos e estratégias dos fundos de hedge americanos, os hedge funds no Brasil se limitam a operações de câmbio, DI, opções de índice, ações e commodities.

Outro ponto divergente ao mercado norte-americano onde os Hedge Funds têm carência e liquidez limitada, no Brasil, em geral, a liquidez é diária.

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Hedge Funds Vale a Pena?

O fundo de cobertura, Hedge Funds, vem atraindo cada vez mais o interesse dos investidores, principalmente pelas atrativas taxas de retorno.

Por ser uma alternativa diferenciada de investimento, conseguem explorar as tendências do mercado e lucrar ainda que em Bear Market.

O fundo de hedge adota estratégias mais arrojadas e possui mais liberdade para investir e alocar recursos como quiser.

Ou seja, podem fazer operações de day trade com ações, investimento em títulos privados, opções, swaps, arbitragem de commodities e até mesmo aquisição de imóveis e obras de arte.

Muitos desses fundos e operam com grandes níveis de alavancagem, vendas a descoberto, aluguel de ativos e demais operações estruturadas.

Por não ter uma definição “oficial”, ainda existe muita confusão para diferenciar os fundos de hedge.

No Brasil, os Fundos Multimercados possuem um grau de similaridade com os Hedge Funds, porém, ainda são muito diferentes com os do mercado norte-americano.

Por isso o investidor deve ficar atento ao escolher o melhor fundo de investimento, avaliando a estratégia adotada de acordo com o seu perfil de investidor.

Descubra o seu através deste teste online de perfil e receba uma sugestão de ativos para a sua carteira.

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais