O que é Fundo de Venture Capital e Como Investir em Startups?
|

O que é Fundo de Venture Capital e Como Investir em Startups?

Entenda como funciona essa modalidade de investimento e como está o mercado de capital de risco brasileiro.

Por
Atualizado em 21/10/2020

Ao investir em fundo de venture capital você está financiando os primeiros passos de startups e apostando no seu crescimento e expansão.

Nos últimos anos, o ecossistema de startups brasileiro vem crescendo.

Com isso, surgem novas oportunidades, tanto para quem deseja empreender, quanto para quem deseja investir nessas novas empresas, de pequeno ou médio porte, mas com grande potencial de crescimento.

Tem muita gente de olho nas startups, procurando aquelas que valem a pena.

No mercado de capital de risco, empreendedor e investidor trabalham juntos pelo sucesso do negócio visando lucro.

Apesar do risco, boas escolhas podem se transformar em negócios milionários.

É o caso de “unicórnios” como Nubank, Loggi e iFood.

Segundo dados da empresa de auditoria e consultoria KPMG, o investimento em venture capital subiu 13% no mundo no 4º trimestre de 2019.

Foram US$ 63,1 bilhões aportados nesse tipo de transação.

Então, está pronto para saber o que são fundos de venture capital e como funciona o investimento em capital de risco?

O que é Venture Capital

Venture capital ou capital de risco é uma modalidade de investimento focada em empresas privadas de pequeno e médio porte que possuem alto potencial de crescimento.

Como ainda são muito novas, têm faturamento baixo e precisam de financiamento para se desenvolver.

Na maioria das vezes, as empresas que se enquadram nessa definição são as do mercado de inovação tecnológica, ou seja, as startups.

A principal função do venture capital é ajudar essas empresas a alavancarem.

Além de injetar capital na empresa para ajudá-las a crescer, é desejável que o investidor contribua na criação de valor e no andamento do negócio.

Este é um investimento de risco e de longo prazo, normalmente de dois a dez anos.

A intenção é que a empresa aumente seus lucros, seja vendida, totalmente ou parcialmente, ou então que seja feita uma oferta de ações no mercado.

O investimento em venture capital pode ser realizado por investidores especializados, empresas especializadas ou investidores individuais que disponham de capital suficiente para  esse tipo de atividade.

Banner will be placed here

Investimento em startups

No mercado financeiro, existem diferentes formas de investir

O investimento em startup ocorre em rodadas de acordo com o estágio de maturação do negócio.

Alguns preferem investir no estágio inicial, outros buscam empresas maiores e com maior faturamento.

Empresa  de Capital FechadoEmpresa  de Capital Aberto
Modalidade de InvestimentoSeed  CapitalVenture  CapitalPrivate  EquityAções
Estágio  da EmpresaStart upDesenvolvimentoConsolidação / Pré IPOMaturidadeCorporativa

Entenda abaixo as 3 modalidades de investimento em empresas de capital fechado:  

Seed Capital

É a modalidade que apresenta maior risco, pois se trata de um investimento em empresas nascentes.  

O objetivo deste tipo de aplicação é transformar a ideia em negócio e assim, possibilitar a estruturação inicial da empresa. 

Os Angels, investidores que aplicam seu dinheiro em Startups, recebem em troca participação societária com potencial de alto retorno, mas incerto. 

Venture Capital

Este tipo de investimento também oferece altos riscos, porém menores que os de Seed Capital. 

Neste caso, as Startups ainda se encontram em fase inicial, mas costumam já gerar receitas, existindo protótipos prontos, mas não necessariamente lucros com o negócio. 

Em troca, os investidores também recebem participação acionária. 

Private Equity

Os investimentos em Private Equity são os últimos na escala de empresas com capital fechado.

Aqui, diferentemente das modalidades acima, a ideia é possibilitar a expansão de uma empresa que já obtém lucros consistentes, e não sua estruturação inicial. 

Investidores desta modalidade também recebem participação na sociedade, mas são submetidos a riscos menores.   

Quer Saber Onde Investir? Clique Aqui e Baixe Grátis o Livro Digital “Onde Investir R$ 100 mil”.

Como investir em venture capital

O investimento em venture capital pode ser realizado por:

Investidor anjo

Um dos caminhos para entrar no mercado de venture capital é investir dinheiro de forma individual em uma startup em estágio inicial.

Quem injeta capital na fase em que a empresa ainda está moldando suas operações é chamado de investidor-anjo.

Este investidor é uma pessoa que costuma ter afinidade com o setor da startup em formação e se envolverá diretamente no destino da empresa.

Em geral, as empresas contam com 5 a 30 investidores-anjos pessoas físicas.

Fundos de Venture Capital

Os fundos de venture capital são a outra via de entrada possível para o mundo das startups.

No Brasil, esses fundos são instituídos como Fundos de Investimento em Participações (FIP) ou Fundos Mútuos de Investimento em Empresas Emergentes (FMIEE)

Apesar de requerer menos investimento do que um anjo, ainda assim tem um tíquete bastante elevado.

Normalmente os fundos venture capital são limitados aos investidores qualificados.

Diferente do que acontece em outros fundos de investimento,  suas cotas não são negociadas no mercado.

É um investimento ilíquido, de longo prazo feito diretamente com a gestora.

O objetivo é injetar dinheiro na startup, esperar que ela cresça, fature e se valorize, para então vender sua participação.

É nesse momento que o fundo ganha e reparte os ganhos com os investidores.

Esse processo ocorre em um prazo de 8 ou 10 anos.

Como funciona o mercado de capital de risco

As novas empresas de tecnologia precisam de recursos financeiros para o seu desenvolvimento.

Porém, essas pequenas e médias empresas, podem ter grandes dificuldades de obter acesso às fontes externas de financiamento.

Dentro de um processo de investimento a longo prazo, essas empresas podem contar com o capital de terceiros para se desenvolverem.

O mercado de capital de risco é que viabiliza a chegada desses recursos financeiros e ainda ganham um sócio, que pode trazer a sua experiência administrativa.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Etapas do investimento em Venture Capital

O processo de investimento em Venture Capital para o financiador, ou seja, aquele que coloca dinheiro na empresa pode ser dividido entre investimento, monitoramento e desinvestimento.

O gestor do fundo de venture capital primeiro instaura um processo de análise da empresa, verificando sua documentação, modelo de negócios, balanços, diferenciais competitivos, entre outros.

Na sequência, acontece o processo de negociação com as empresas escolhidas.

O fundo realiza uma auditoria para investigar questões societárias, contratos, eventuais dívidas e tudo que pode ter impacto no negócio.

Com tudo acordado, o dinheiro é investido.

Os fundos de capital de risco possuem uma duração preestabelecida no seu regulamento, que pode chegar a dez anos.

Atingido esse prazo, eles se desfazem de suas participações nas empresas investidas e devolvem o dinheiro aos cotistas que investiram.

Na fase de desinvestimento, o fundo pode sair do negócio em caso de:

  • Venda da empresa a concorrentes;
  • Recompra da participação do fundo pela empresa investida;
  • Venda da participação para outros fundos;
  • Abertura de capital da empresa.

De modo geral, as etapas do investimento em Venture Capital são:

1.   Seleção de projetos;

2.   Preparação do investimento para a empresa selecionada;

3.   Negociação com a empresa selecionada;

4.   Auditoria contábil/fiscal e legal na empresa selecionada;

5.   Aprovação do investimento;

6.   Investimento;

7.   Desinvestimento.

Como escolher um fundo de venture capital

Ao escolher um fundo de capital de risco, o investidor precisa ficar atento ao histórico do gestor.

Como os retornos das startups são incertos, o maior desafio é selecionar as melhores oportunidades e balancear bem a carteira para, em caso de quebra de alguma empresa, as outras consigam pagar a conta.

Rentabilidade dos Fundos Venture Capital

Apesar de ser um investimento de elevado risco, o retorno também pode ser alto.

Fundos bem sucedidos costumam ter uma rentabilidade entre 20% e 25% ao ano.

Sobre o retorno que exceder essa meta, é cobrada uma taxa de performance de 20%. Há ainda uma taxa de administração de 2% ao ano.

Já os melhores fundos de venture capital do Vale do Silício entregam rentabilidade de mais de 30% ao ano.

Vantagens do venture capital

Além de contribuir para o crescimento de empresas, esta modalidade de investimento propicia outras vantagens para os investidores:

Diversificação

O venture capital é uma alternativa de diversificação de investimentos que permite aumentar a lucratividade da carteira.

Participação direta nos rumos do negócio

Os investidores que direcionam seu capital as novas empresas de tecnologia geralmente possuem um grande conhecimento na área e podem contribuir ativamente na gestão da empresa.

Alto potencial de retorno

As startups podem ter um crescimento exponencial e se tornarem importantes nomes no mercado.

Assim, aqueles que participam desse crescimento podem obter lucros acima da média.

Desvantagens do Venture Capital

Não há como negar que o venture capital é um território perigoso. Por isso, é preciso muito conhecimento e moderação na hora de investir.

Alto risco

Assim como as startups podem crescer, elas também podem ficar pelo meio do caminho.

Infelizmente, esse é o destino da maioria delas.

Justamente pelo risco envolvido, essa é uma modalidade adequada para o investidor de perfil agressivo e a exposição não deve superar 10% da carteira.

Falta de liquidez

As cotas do fundo de Venture Capital devem ser mantidas até o final do prazo estabelecido. 

Não há mercado secundário para vender as posições.

Por isso, o investidor não deve usar recursos que lhe farão falta.

Tempo

Um unicórnio pode levar de cinco a dez anos para aparecer.

No caso do investidor-anjo, ele ainda precisa ficar atento ao timing para o desinvestimento.

Caso o investimento for um sucesso, ele pode continuar na startup por quanto tempo quiser.

Porém, é preciso estar atento no momento de fazer isso, já que se for cedo demais pode deixar de ganhar muito dinheiro.

Por outro lado, se a empresa ficar grande demais, sua fração pode ficar muito pequena e ninguém vai querer comprar.

Mercado de venture capital no Brasil

O mercado de venture capital ainda está em fase de desenvolvimento quando comparado ao dos Estados Unidos, por exemplo.

Porém, já é o maior da América Latina e vem crescendo de maneira exponencial.

Segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups) , existem 13.182 startups no país.

Já são doze as startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão. São elas: 

Esse número tende a crescer conforme o volume dos investimentos providos pelo segmento de venture capital avança.

Contrariando as expectativas, o mercado de venture capital passou bem pela pandemia do coronavírus.

De acordo com o último relatório publicado pela Distrito, nos cinco primeiros meses de 2020 as startups movimentaram um volume quase 20% superior em relação ao mesmo período do ano passado.

O momento atual de juros baixos favorece o venture capital, pois o investidor está em busca de alternativas para obter ganhos maiores.

Outro dado macroeconômico que favorece o mercado de capital de risco é o real desvalorizado.

Isso deixa o Brasil barato para o investidor estrangeiro, que terá boas oportunidades para investir em startups brasileiras.

Como Multiplicar R$ 1 Milhão? Baixe Grátis o Livro Digital “Onde Investir R$ 1 milhão”.

Diferença entre Private Equity e Venture Capital

O venture capital e o private equity são modalidades de investimento que possuem o mesmo objetivo: acelerar o desenvolvimento de empresas nas quais investem. 

A diferença está basicamente no estágio de maturidade da empresa.

Veja as principais diferenças entre Private Equity e Venture Capital:

Maturidade do Negócio

Enquanto os investimentos de venture capital são feitos em startups que se encontram em sua fase inicial de estruturação, os fundos de private equity investem em empresas já consolidadas.

O objetivo é prepará-las para abrir capital, fundirem-se a outras empresas ou serem adquiridas.

Mercados

Empresas de private equity podem estar inseridas em diferentes mercados. 

Já as empresas de venture capital costumam participar de mercados inovadores e com alto potencial de crescimentos, como o de tecnologia e finanças, por exemplo.

Risco

Por se tratarem de negócios em fase inicial, as empresas de venture capital oferecem elevado potencial de retorno aos investidores. 

As aplicações em private equity possuem mais dados para analisar o investimento.

Como Multiplicar R$ 1 Milhão? Baixe Grátis o Livro Digital “Onde Investir R$ 1 milhão”.

Vale a pena investir em fundos de venture capital?

O Brasil reúne condições favoráveis para o nascimento de empresas inovadoras de alto potencial de crescimento.

Porém, o sucesso do investimento em fundo de venture capital dependerá da correta alocação de recursos, estratégia adequada e da escolha assertiva dos gestores.

O risco de investir em venture capital é superior aos outros investimentos em empresas privadas ou de capital aberto.

Como sabemos, quanto maior o risco, maior também a possibilidade de retorno.

O investidor que deseja entrar nesse mercado deve ter em mente o risco e o pensamento de longo prazo que essa modalidade exige.

Por conta disso, é mais indicado para investidores com perfil mais agressivo, portfólio diversificado e muito dinheiro em caixa.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE