O que é Análise Qualitativa de uma Empresa
| ,

O que é Análise Qualitativa de uma Empresa

A análise qualitativa de uma empresa leva em consideração o cenário micro e macroeconômico.

Por
Atualizado em 07/05/2020

A análise qualitativa permite entender a fundo uma companhia e obter informações que vão além dos números.

A avaliação de uma empresa não é uma ciência exata. Por mais que exista uma série de indicadores e cálculos, a análise não se resume somente a isso. 

A decisão de investir em ações na estratégia buy and hold requer uma avaliação fundamentalista baseada em dados quantitativos e qualitativos.

A análise qualitativa tenta entender o que tem por trás dos números apresentados, como sua posição no mercado, gestão, vantagens competitivas, perspectivas para o futuro, entre outros.

Cada indústria tem suas peculiaridades e saber como ela funciona permitirá uma compreensão mais profunda da saúde financeira da companhia.

É essencial para o sucesso do investidor no longo prazo o conhecimento aprofundado das empresas que investe.

Saber o que está fazendo e quais os fundamentos que o fizeram investir em determinada ação é uma segurança e tranquilidade em tempos de crise.

O investidor que não tem o entendimento de suas ações tende a ficar aflito e sofrer com a volatilidade, afinal, sua decisão não teve nenhum respaldo concreto.

A análise qualitativa foi muito difundida por Benjamin Graham e seu discípulo Warren Buffett.

Nunca invista em um negócio que você não entende.” – Warren Buffett

Então, você está pronto para saber o que é análise qualitativa de uma empresa?

Leia até o final e descubra quais os fatores que devem ser levados em consideração na hora de escolher uma empresa para investir.

O que é Análise Qualitativa?

A análise qualitativa é uma das etapas da análise fundamentalista de ações na qual se leva em conta o cenário micro e macroeconômico da empresa.

Os aspectos qualitativos de uma empresa são aqueles que não dão para ver nos números, como, por exemplo:

  • Qualidade da gestão;
  • Estrutura do conselho administrativo;
  • Política de governança;
  • Reconhecimento da marca;
  • Capacidade de gerar receitas ao longo do tempo.

O objetivo da análise fundamentalista é oferecer ferramentas para embasar o investidor na hora de comprar papéis.

Isso é feito através de indicadores financeiros, dados da economia, do setor e do mercado. Além de balanços e resultados da empresa.

Como isso envolve muitos fatores, é comum agrupá-los em duas categorias: quantitativos e qualitativos.

Portanto, a análise de uma empresa leva em conta o lado quantitativo representado por seus números e o lado qualitativo, relacionado à qualidade da marca, seus controladores, entre outros.

Por mais que os fatores qualitativos sejam mais difíceis de avaliar, não se pode ignorá-los.

Muitas vezes o lado qualitativo é o motivo das empresas estarem com suas ações baratas na bolsa de valores.

Por exemplo, uma empresa com dados financeiros impecáveis pode estar subavaliada devido a problemas de governança, ou simplesmente por causa de eventos atípicos passageiros. 

Cabe ao bom investidor fundamentalista saber diferenciar. 

Banner will be placed here

Principais fatores da Análise Qualitativa

Quando se inicia o estudo qualitativo de qualquer modelo de negócios, existem 4 áreas importantes a se considerar: 

  • Modelo de negócio;
  • Vantagens competitivas;
  • Gestão;
  • Governança corporativa.

Modelo de Negócio

O primeiro passo para uma análise qualitativa de uma empresa é entender o seu modelo de negócio.

Isto é, saber exatamente o que a empresa faz. Para isso, o investidor precisa saber responder a seguinte pergunta:

 “Qual é a principal fonte de receita desta empresa hoje?”

Para o “Oráculo de Omaha”, Warren Buffett, o mínimo que um investidor precisa saber antes de investir em qualquer empresa é o seu modelo de negócio.

O mega investidor não investe no que não entende. Para ele é mais importante o valor do que a empresa produz, do que simplesmente o preço da ação em si.

Às vezes é fácil entender exatamente o que uma empresa faz.

Pegue o exemplo do McDonalds (MCDC34).

É uma rede que vende hambúrgueres, batatas fritas, refrigerantes.

Mas algumas empresas possuem fontes de caixa que não são muito claras ou visíveis para quem olha de fora.

Esse é o caso da empresa americana “Boston Chicken”.

Apesar do nome, a maior parte do seu faturamento não vinha da venda de frango, mas sim dos royalties cobrados dos franqueados.

No início dos anos 90, suas ações eram as queridinhas de Wall Street, porém, o negócio não passava de uma grande rede franqueadora com uma gestão agressiva que fraudava números.

Assim que foi revelado os franqueados estavam perdendo dinheiro, o Boston Chicken faliu.

Vantagem Competitiva

A segunda coisa a ser levada em conta pelos investidores em uma análise qualitativa são as principais vantagens competitivas do negócio.

O sucesso a longo prazo de uma empresa depende da sua capacidade de manter sempre uma distância em relação à seus concorrentes.

Uma vantagem competitiva significa que a empresa tem um desempenho melhor do que as rivais.

Dessa forma, os investidores sabem que poucas empresas são capazes de competir com sucesso com elas.

Um exemplo de vantagem competitiva é a Coca-Cola (COCA34) e a Microsoft (MSTF34).

De acordo com o professor de Harvard, Michael Porter, vantagens competitivas sustentáveis são obtidas através dos seguintes fatores:

  • Posicionamento competitivo único;
  • Alto grau de eficiência operacional;
  • Atividades alinhadas à estratégia da empresa;
  • Alto grau de integração entre os processos da empresa.

Gestão

Mesmo o melhor modelo de negócio, se não tiver uma boa gestão, está condenado ao fracasso. Por isso, a análise da gerência do negócio é tão importante.

Apesar dos investidores individuais estarem em desvantagem em relação aos investidores profissionais na hora de avaliar a administração de uma empresa ainda há algumas formas de saber um pouco mais.

Toda sociedade anônima de capital aberto tem uma seção de informações corporativas em seu site.

Porém isto não é suficiente, já que nenhuma empresa irá divulgar algo negativo em seu próprio site institucional.

Por isso, busque conferências, resultados financeiros apresentados e as respostas às perguntas feitas pelos analistas à administração.

Compare o que a administração disse nos últimos anos com o que ela está dizendo agora. As estratégias foram realmente implementadas?

Um sinal importante para o mercado é que os membros da administração sejam também acionistas da empresa.

Dessa forma, se os próprios executivos colocam seu patrimônio nas ações da empresa, você terá a maior segurança de que eles farão a coisa certa.

Vale a pena também conferir junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) se a administração tem vendido ações.

Uma outra boa maneira analisar a capacidade administrativa da empresa é verificar o histórico dos executivos em outras companhias, sua educação e experiência no setor.

Governança Corporativa

Governança corporativa são as políticas em vigor dentro da empresa e que definem as relações e responsabilidades entre a administração, diretoria e acionistas.

O objetivo dessas políticas é assegurar as boas práticas empresariais, para não ocorram atividades antiéticas e ilegais.

Uma boa governança corporativa é aquela que está em conformidade com todas as suas diretrizes. Estas abrangem:

  • Estrutura do conselho de administração;
  • Direitos das partes interessadas;
  • Transparência financeira e de informação.

O conselho de administração é responsável por proteger os interesses dos acionistas e garantir que a gerência busque isso também.

A característica mais importante do conselho de administração é a independência.

Ele deve ser composto por representantes internos e externos à empresa a fim de representar os interesses dos acionistas.

Como donos de uma parte da empresa, os acionistas também devem ter algum acesso ao conselho de administração.

Por isso, empresas com boa governança corporativa oferecem certa quantidade de direitos de voto aos acionistas nas assembleias.

Outro aspecto de uma boa governança é a qualidade e rapidez de divulgação de informações e resultados operacionais, possibilitando os acionistas acompanharem o que a administração está fazendo.

Fatores relacionados ao ambiente de atuação

Além da gestão, governança, vantagem competitiva e modelo de negócio, há outros fatores qualitativos relacionados ao ambiente em que a empresa atua que podem ajudar na análise.

Consumidores

Pesquisar o que o consumidor que usa os produtos e serviços da companhia diz pode dar ao investidor uma ideia melhor sobre se a posição da companhia no mercado.

Marca

Marcas fortes são identificadas como sinônimo de qualidade, portanto tem um valor de venda aumentado devido à percepção do consumidor aos seus produtos.

Um exemplo é a marca Coca-Cola.

Pode até existir concorrentes, mas seus produtos são difíceis de serem replicados.

Participação de Mercado 

A participação de mercado pode dizer muito sobre o negócio de uma empresa.

Isso pode sugerir que a empresa possui algum tipo de “vantagem econômica”, capaz de proteger os seus atuais e futuros lucros.

Crescimento da Indústria

Uma forma de examinar o potencial de crescimento de uma empresa é analisar a quantidade de novos clientes que a empresa pode conquistar.

Alguns mercados possuem crescimento zero ou negativo.

Um exemplo são empresas dedicadas exclusivamente à criação de CDs.

O que era um ótimo negócio no passado entrou em desuso com o advento de novas tecnologias.

Concorrentes

Um grande número de concorrentes no mercado cria um ambiente difícil para as empresas.

Veja se a empresa é competitiva e se destaca no mercado em que atua.

Análise Qualitativa x Análise Quantitativa

As análises quantitativas e qualitativas são uma forma de separar e facilitar a análise dos dados referentes à saúde financeira e à gestão de uma empresa.

E, com isso, fazer uma eficiente Análise Fundamentalista.

De forma geral, podemos dizer que a análise quantitativa faz referência a todos os números possíveis em relação a uma empresa.

As informações a serem analisadas são:

Já a qualitativa leva em conta tanto o cenário micro e macroeconômico da empresa. Mede a qualidade da gestão e de governança corporativa.

Entre os aspectos analisados estão:

  • Nível de governança corporativa;
  • Experiência dos gestores da empresa;
  • Membros do conselho;
  • Posição e reconhecimento da sua marca;
  • Potencial de crescimento;
  • Riscos inerentes ao segmento. 

Onde Investir na Bolsa? Baixe a Lista de 3 Ações para Investir Agora”.

Análise Qualitativa Vale a Pena?

A análise qualitativa é mais subjetiva e leva em consideração fatores importantes para o futuro de uma organização, como a qualidade de sua gestão e governança corporativa.

A Análise Fundamentalista engloba um conjunto de métodos quantitativos e qualitativos na busca por definir o valor intrínseco de uma ação. 

Entretanto, não há, entre analistas de mercado, uma preferência por uma ou outra.

O ideal é sempre mesclar os dois tipos de abordagem. Somente assim terá uma visão geral mais legítima da saúde financeira das empresas.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE