Moura Dubeux (MDNE3) Lança Programa de Recompra de Ações
| ,

Moura Dubeux (MDNE3) Lança Programa de Recompra de Ações

O prazo máximo para aquisição de ações no âmbito do programa de recompra será de até 12 meses.

Por
Atualizado em 19/04/2021

O conselho de administração da Moura Dubeux Engenharia (MDNE3) aprovou nesta segunda-feira a criação de um programa de recompra de até 5.715.759 ações ordinárias (ON) – o equivalente a 10% do total de ações ON de emissão da companhia em circulação.

As ações adquiridas no programa serão mantidas em tesouraria, podendo ser posteriormente canceladas, alienadas, fazer frente às obrigações da companhia para eventual plano de opções de ações ou plano de remuneração baseado em ações, sem redução do seu capital social.

Banner will be placed here

O prazo máximo para aquisição de ações no âmbito do programa de recompra é de até 12 meses, a contar da aprovação pelo Conselho de Administração, isto é, entre 20 de abril de 2021 e 19 de abril de 2022.

As instituições financeiras que atuarão como intermediárias são a Safra Corretora e a XP Investimentos.

Como Lucrar no Mercado Financeiro Hoje? Baixe o Relatório “As 3 Melhores Ações para Investir Hoje”.

Resultado da Moura Dubeux no Terceiro Trimestre de 2020

O resultado da Moura Dubeux (MDNE3) no terceiro trimestre de 2020 (3t20), divulgado no dia 12 de novembro, apresentou um lucro líquido de R$ 14,9 milhões no 3t20, contra prejuízo de -R$ 20,6 milhões em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Moura Dubeux atingiu R$ 34,7 milhões no 3t20, apresentando crescimento de 35,6% na comparação com o 3t19.

A margem Ebitda da Moura Dubeux totalizou 17,5% no 3t20, apresentando retração de -39,6 ponto percentual na comparação com o 3t19. 

A Margem líquida da Moura Dubeux atingiu 6,6% no 3t20, apresentando crescimento de 51,0 ponto percentual na comparação com o 3t19.

As ações da Moura Dubeux (MDNE3) acumulam queda de 1,75% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 40,90% nos últimos 12 meses.

Notícias do Mercado Financeiro

Fonte: Estadão Conteúdo.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE