O que é Moody's

Moody's é uma das principais agências de rating do mundo, sua atuação consiste na avaliação do nível de riscos que ativos, empresas e países oferecem aos investidores.

As agências de rating (risco) utilizam diversos modelos matemáticos e critérios próprios para avaliar e classificar o nível de risco de diferentes ativos.

O trabalho desenvolvido pelas agências de risco é de grande importância e valia para auxiliar investidores pessoa física e jurídica a tomar as melhores decisões ao aplicar seus recursos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

História da Moody's

A história da Moody's começou ainda em 1900 quando  John Moody fundou a empresa com o objetivo de produzir  manuais e estatísticas relacionados a ações e títulos negociados na Bolsa de Valores.

Pouco tempo após a sua fundação, a Moody's apresentou seu primeiro documento analítico, um relatório contendo informações gerais e estatísticas sobre as ações disponíveis na Bolsa de Valores americana.

Anos depois, mais precisamente em 1914, foi publicado o Moody's Analysis of Railroad Investments, um documento focado na análise de ações de empresas que atuavam no setor ferroviário.

Em 1975 a US Securities and Exchange Commission tornou a Moody's uma organização de rating estatístico nacionalmente reconhecida no mercado americano.

Atualmente, a Moody’s é internacionalmente reconhecida pelos serviços prestados à sociedade e ao mercado financeiro.

Classificação de risco da Moody’s e outras agências

Além da Moody’s, outras agências de risco surgiram ao longo do tempo e conquistando credibilidade e respeito por parte do mercado, são elas: a Fitch e a S&P (Standard & Poor’s).

Cada empresa possui seus critérios, metodologias e formas de classificação dos ativos, sendo comum, a utilização de letras e números para desenvolver um ranking de risco.

Na sequência apresentamos a classificação de riscos utilizada por cada agência:

Classificação Moody’s

A Moody’s utiliza letras de A a C e números que variam entre 1 e 3 para classificar ativos, empresas e governos da “Mais alta qualidade” a “Inadimplência”.

Na prática, quanto mais baixa a classificação de um ativo, maiores os riscos do investidor ao aplicar recursos na organização e também dos seus investidores e instituições financeiras ao fechar contratos para pagamento a prazo com a mesma.

Veja a classificação de risco adotada pela Moody’s:

  • Aaa: Mais alta qualidade;
  • Aa1, Aa2, Aa3: Qualidade muito alta;
  • A1, A2, A3: Qualidade alta;
  • Baa1, Baa2, Baa3:Boa qualidade;
  • Ba1, Ba2, Ba3: Especulativo;
  • B1, B2, B3: Altamente especulativo;
  • Caa1, Caa2, Caa3: Risco substancial;
  • Ca:Risco muito alto/inadimplência iminente;
  • C: Inadimplência.

Classificação Fitch

Por sua vez, a Fitch utiliza um ranking de classificação de risco que inicia em AAA e pode chegar a D de acordo com o grau de risco que uma instituição oferece.

Para a Fitch, instituições classificadas com AAA oferecem risco praticamente nulo, enquanto que aquelas classificadas com C oferecem um risco super elevado ao mercado.

Veja a classificação de risco adotada pela Fitch:

  • AAA: Mais alta qualidade;
  • AA+, AA, AA-: Qualidade muito alta;
  • A+, A, A-: Qualidade alta;
  • BBB+, BBB, BBB-: Boa qualidade;
  • BB+, BB, BB-: Especulativo;
  • B+, B, B-: Altamente especulativo;
  • CCC: Risco substancial;
  • CC: Risco muito alto;
  • C: Inadimplência iminente;
  • RD: Inadimplência restrita;
  • D: Inadimplência.

Classificação S&P (Standard & Poor’s)

Por fim, temos a S&P (Standard & Poor’s) que adota uma classificação de risco semelhante a seus pares, com variação de AAA para risco praticamente nulo e D para ativos e organizações que oferecem alto grau de risco.

Veja a classificação de risco adotada pela S&P (Standard & Poor’s):

  • AAA: Mais alta qualidade;
  • AA+, AA, AA-: Qualidade muito alta;
  • A+, A, A-: Qualidade alta;
  • BBB+, BBB, BBB-: Boa qualidade;
  • BB+, BB, BB-: Especulativo;
  • B+, B. B-: Altamente especulativo;
  • CCC+, CCC, CCC-: Risco substancial;
  • CC: Risco muito alto;
  • C: Inadimplência iminente;
  • D: Inadimplência.

Avaliar a classificação de risco das organizações, através de relatórios como os elaborados pela Moody’s é uma das alternativas encontradas por investidores para reduzir seu grau de risco e exposição no mercado financeiro.