O que é o modelo IS-LM?

O modelo IS-LM é um modelo macroeconômico desenvolvido pelo economista britânico John Hicks.

O seu objetivo é mostrar como as alterações nas políticas fiscal e monetária alteram o produto da economia e também a taxa de juros.

Esses fatores são determinados a partir do equilíbrio entre duas curvas.

A curva IS representa o equilíbrio no mercado de bens, no qual cada ponto ao longo da curva representa o equilíbrio entre poupança (S) e investimento (I).

a curva LM representa o mercado financeiro e monetário.

Aqui temos que cada ponto representa as condições de oferta de moeda e preferência pela liquidez dos agentes frente a uma determinada taxa de juros.

No geral, o modelo IS-LM mostra como o produto é determinado com base na interação entre fatores que determinam o mercado de bens (IS) e o mercado financeiro (LM).

O modelo IS-LM é famoso por ter incorporado alguns elementos da crítica de John Maynard Keynes às teorias econômicas mainstream, o que é chamado de síntese neoclássica.

Vejamos melhor como funciona esse modelo.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o modelo IS-LM?

Como já dito, o modelo IS-LM consiste em duas curvas, IS e LM. 

O produto interno bruto (PIB), também denominado com a letra Y, é colocado no eixo horizontal. A taxa de juros, denominada como i ou R, é colocada no eixo vertical.

A curva IS representa o conjunto de todos os níveis de taxas de juros e produto em que o investimento total (I) é igual a poupança total (S). 

Com taxas de juros mais baixas, o investimento é mais alto, o que se traduz em mais produto total (PIB), de modo que a curva IS se inclina para baixo e para a direita.

Já a curva LM representa o conjunto de todos os níveis de produção e taxas de juros da economia nas quais a oferta de moeda é igual à demanda de dinheiro. 

Tudo isso é ilustrado no gráfico abaixo, no qual a determinação do produto e da taxa de juros da economia, em um dado momento do tempo, será realizada a partir do equilíbrio das duas forças.

Gráfico modelo IS-LM

Essas forças são, basicamente, a oferta de dinheiro (LM) e demanda por dinheiro (LM).

Para entender o modelo é importante saber o que determina a inclinação das curvas IS e LM.

A curva LM tem inclinação positiva porque níveis mais altos de produção (PIB) induzem uma maior demanda de recursos monetários.

Para atender a essa demanda maior, será necessário uma taxa de juros mais elevada para atrair dinheiro dos investidores.

a curva IS é negativamente inclinada pois níveis altos de produção (PIB) requerem também um elevado volume de investimentos.

Para induzir os investimentos é necessário, por sua vez, uma queda na taxa de juros.

A interseção das curvas IS e LM mostra o ponto de equilíbrio das taxas de juros e do produto quando os mercados monetários e a economia real estão em equilíbrio. 

Vários cenários ou pontos no tempo podem ser representados pela adição de curvas IS e LM adicionais.

Efeitos da política econômica no modelo IS-LM

Uma das principais utilidades do modelo IS-LM é mostrar como as alterações na política monetária e fiscal afetam o equilíbrio da macroeconomia.

Para resumir, temos que a curva IS representa alterações na política fiscal, enquanto que a curva LM fica responsável por mostrar os efeitos da política monetária.

Vejamos como cada uma dessas curvas se alteram a partir de cada tipo de política.

Lembre-se de sempre recorrer ao gráfico acima para auxiliar no entendimento.

Política fiscal expansionista

Quando o governo expande seus gastos e investimentos, temos como efeito um deslocamento da curva IS para a direita

Como resultado, teremos o aumento do produto e também da taxa de juros.

Isso ocorre porque o efeito do aumento de gastos irá elevar a demanda por fundos de empréstimos no mercado financeiro, que pressionará os juros.

Por sua vez, o efeito no produto é resultado direto do aumento de gastos do governo.

Política fiscal contracionista

Quando o governo contrai seus gastos (faz ajuste fiscal), ocorre que a curva IS irá se deslocar para a esquerda.

Isso ocorre porque, ao contrário da política fiscal expansionista, a redução de gastos diminui a demanda da economia e, consequentemente, a produção.

Com a queda da produção, temos uma queda nos investimentos e também na demanda por crédito no mercado financeiro.

Com isso, temos um efeito de queda na taxa de juros.

Assim, a economia terá uma taxa de juros mais baixa e também um nível de produção menor.

Política monetária expansionista

Quando o Banco Central quer realizar uma política de expansão monetária, ele precisará diminuir a taxa de juros e a oferta de moeda na economia.

Ao fazer isso, temos que a curva LM irá se deslocar para a direita.

Como efeito, temos um aumento na produção, pois a queda nos juros induzirá os investimentos a crescerem. 

Política monetária contracionista

Ao contrário agora, temos que o Banco Central, ao realizar uma contração monetária, irá aumentar os juros e diminuir a oferta de moeda, a partir dos seus mecanismos.

Com isso, o resultado é um deslocamento da curva LM para a esquerda.

O que nos dará um impacto negativo na produção, causada por uma queda nos investimentos derivada do aumento dos a taxa de juros.

Obviamente isso não é tudo. 

Tem muitas outras questões envolvendo a determinação da inclinação das curvas IS e LM, como também o tamanho do deslocamento a partir da realização de cada política.

Para entender mais sobre este modelo, é recomendado estudar mais profundamente o tema em um manual de macroeconomia.