O que é misallocation

Misallocation é um termo em inglês que faz referência a ineficiência na alocação de recursos e fatores de produção de um país, o que pode gerar uma série de consequências negativas para o seu desenvolvimento.

Na prática, o misallocation e a forma com que cada nação planeja e gerencia a sua alocação de ativos fará grande diferença para a sua velocidade de crescimento e posição de destaque frente a outros países.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Misallocation no Brasil

No Brasil o misallocation pode ser considerado um problema estrutural e que atualmente produz diversas consequências negativas para a economia e consequentemente para o crescimento e desenvolvimento do país.

De acordo com uma Nota Informativa a respeito do misallocation distribuída pelo Ministério da Economia em 2020, a queda da produtividade na economia brasileira nos últimos anos tem como causa fundamental  justamente o crescimento do misallocation.

A década de 2010-2019 foi das piores da história brasileira em termos de crescimento econômico. O PIB per capita avançou 0,50% ao ano, em média, até 2018.

Entre os anos de 2010 e 2017 a produtividade da economia caiu, em média, 2,1% ao ano, acumulando queda de 13,9% no período.

Por outro lado, o potencial de aumento da produtividade no Brasil, através da redução de problemas de misallocation, é considerado substancial.

Na prática, a economia brasileira enfrenta dois graves problemas estruturais que precisam ser enfrentados e solucionados o quanto antes: fragilidade fiscal e a má alocação de recursos, características marcantes do misallocation.

Como reduzir o misallocation

Existem diversas alternativas e mecanismos que podem ser colocados em prática ou aperfeiçoados por um país que deseja reduzir o misallocation, dentre os quais, podemos citar:

Melhor alocação de crédito: A alocação ineficiente de crédito é uma das fontes primárias para o misallocation, uma vez acaba privilegiando determinados setores e empresas em detrimento de outras, desequilibrando a economia.

Sendo assim, toda e qualquer política de concessão de crédito empregada por um país, precisa levar em consideração inúmeros fatores, pesando em uma balança todos os seus prós e contras.

Busca pelo equilíbrio fiscal: Para reduzir o misallocation, os governantes precisam reunir uma série de esforços que contribuam para o equilíbrio fiscal de um país, dentre eles a redução de despesas e também da dívida pública.

Para conquistar o equilíbrio fiscal, os governantes também podem estudar novas fontes de receitas, uma vez que para obter o equilíbrio esperado para a economia, o governo precisa conseguir pagar todas as suas contas em dia.

Reforma administrativa: Países que buscam eliminar o misallocation precisam reduzir custos, processos e estruturas estatais desnecessárias, tornando a máquina pública mais eficiente e enxuta.

Estima-se que 20% a 40% do crescimento dos Estados Unidos no período entre 1960 e 2010, esteja relacionado diretamente a otimização e melhoria da sua estrutura administrativa.

Reforma tributária: Em muitos países, a carga tributária é considerada elevada, complexa e confusa o que na prática acaba não contribuindo para o desenvolvimento das empresas e consequentemente para a economia do país.

Sendo assim, é essencial que os governos pensem em reformas tributárias que contribuam para o crescimento das empresas e por sua vez para a maior fluidez da economia como um todo.

Abertura econômica: Criar laços fortes e acordos com outros países e economias também é uma ferramenta eficiente para um país que deseja deixar o misallocation, ou seja, a má alocação de recursos.

É preciso investir em parcerias internacionais que favoreçam o setor produtivo e o desenvolvimento dos países, contribuindo para uma balança comercial sólida e positiva.

Na prática, todas as medidas listadas acima, podem contribuir significativamente para a redução do misallocation (má alocação de recursos) e para o desenvolvimento dos países.