O número de fundos de investimentos nas cadeias produtivas agroindustriais (Fiagros) mais que dobrou em 2023 na comparação com o ano anterior.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

É o que mostra relatório publicado nesta segunda-feira (1) pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A indústria fechou dezembro com 97 Fiagros, crescimento de 106%.

O patrimônio líquido desses fundos teve incremento de 262%, fechando o ano passado com R$ 38 bilhões. Os Fiagros-FII concentram 45% desse patrimônio.

Até dezembro, a categoria também era a mais representativa na quantidade de fundos, com 50% do total.

O agronegócio segue com crescimento acima da média, o que demonstra sua força no mercado de capitais. Este crescimento tem sido constante e reflete as oportunidades desse mercado”, diz David Menegon, gerente de Securitização e Agronegócio da CVM.

Apesar do crescimento em 2023, os Fiagros listados em Bolsa enfrentam turbulência no início de 2024 e entregam rentabilidade negativa aos investidores em março.

Alguns fundos tiveram problemas com inadimplência, o que contaminou até as cotas de Fiagros que não relataram desafios no último trimestre.

Viver de Renda do Mercado Financeiro? Veja a Melhor Ação para Receber Dividendos.

Para especialistas, a quantidade ainda limitada de investidores ajudou a acentuar a turbulência nesses papéis no último mês. Até dezembro, 64% dos Fiagros tinham entre 2 e 5 mil cotistas. Apenas 12 já possuíam mais de 15 mil cotistas.

Mais da metade (55%) dos investimentos dos Fiagros está em CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários) e CRAs (Certificados de Recebíveis do Agronegócio), com imóveis (16%) e direitos creditórios (15%) em seguida.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Fonte: Infomoney.