O Méliuz (CASH3) , empresa de tecnologia especializada em cashback, reportou prejuízo líquido consolidado de R$ 6,5 milhões no primeiro trimestre de 2022.

Com isso, reverteu o lucro de R$ 3,017 milhões registrado no mesmo período de 2021.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado ficou em R$ 17 milhões negativos, contra R$ 7,6 milhões positivos um ano antes.

No entanto, a cifra representa uma melhora de 67% em relação aos R$ 30,3 milhões negativos informados no quarto trimestre de 2021.

O GMV (valor bruto de mercadorias) consolidado chegou a R$ 1,6 bilhão entre janeiro e março, alta anual de 66%.

Do montante total, R$ 1,3 bilhão é referente ao Méliuz, R$ 197,7 milhões ao shopping internacional e R$ 43,2 milhões à Promobit.

No período em questão, as despesas operacionais totalizaram R$ 108,9 milhões, redução de 28% em relação ao trimestre anterior.

Os gastos com cashback, destaque negativo do balanço anterior do Méliuz, fecharam em R$ 53,5 milhões, queda de 21% na mesma base comparativa, mas crescimento de 152% ante os R$ 21,2 milhões registrados um ano antes.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

A receita líquida atingiu R$ 90 milhões, recorde para um primeiro trimestre, representando alta de 74% na comparação anual, mas queda trimestral de 8%.

A empresa atribui esse recuo ao maior reconhecimento da receita relativa ao período da Black Friday no próprio quarto trimestre.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

A companhia finalizou os primeiros três meses de 2021 com um total de 23,6 milhões de contas abertas no Méliuz, avanço de 44% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já em comparação ao quarto trimestre de 2021, aumentou a base em 1,2 milhão.

Fonte: Estadão Conteúdo.