Mais Difícil se Tornar Bilionário: Aumenta Diferença entre Ricos e Pobres
|

Mais Difícil se Tornar Bilionário: Pandemia Amplia Diferença entre Ricos e Pobres

Novo Relatório de Riqueza da Knight Frank mostra quanto é preciso para estar entre o 1% mais rico ao redor do mundo.

Por
Atualizado em 02/03/2021

Entrar no clube dos bilionários nunca foi fácil, mas ficou ainda mais difícil depois da pandemia.

O novo Relatório de Riqueza anual (The Wealth Report 2021), da Knight Frank mostra como a pandemia afetou as fortunas pessoais em todo o mundo. E como isso, por sua vez, afeta a alocação de investimentos e o desempenho do mercado.

O ano de 2020 foi marcado por uma forte crise de saúde global causada pelo Covid-19. Em seu rastro, veio uma crise econômica que trouxe sérios problemas para as finanças governamentais e corporativas.

O objetivo do The Wealth Report de 2021 foi avaliar como os bilionários se comportaram, onde investiram e o que farão em seguida.

Ao estudar os ricos, a Knight Frank busca entender o desempenho do mercado e dos ativos, já que esse 1% forma uma parte central da história.

Os dados do relatório destacam como a pandemia ampliou a diferença entre países ricos e pobres:

A quantidade de dinheiro necessária para entrar entre os 1% mais ricos de Mônaco é quase 400 vezes maior do que no Quênia, país com a pior classificação entre os 30 do estudo.

Ricos mais ricos, pobres mais pobres

Enquanto alguns países e territórios viram a fortuna de sua população contrair, outros experimentaram um aumento.

Globalmente, o número de bilionários cresceu 2,4% em 2020, segundo o Relatório da Riqueza 2021.

Com taxas de juros mais baixas e mais estímulo fiscal, a população dos mais ricos subiu para mais de 520.000 pessoas nos últimos 12 meses.

Só as 500 pessoas mais ricas do mundo aumentaram suas fortunas em US$ 1,9 trilhão no ano passado, segundo o Índice de Bilionários da Bloomberg.

A lista conta com nomes de peso da tecnologia dos Estados Unidos como Elon Musk e Jeff Bezos.

Embora o aumento do número de ricos também tenha sido verificado na América do Norte e na Europa, foi na Ásia a maior alta, com crescimento de 12%. 

Mas a expansão da riqueza não foi universal.

América Latina, Rússia e Oriente Médio viriam uma queda no número de mais ricos à medida que a pandemia minou as economias locais.

Dados do Banco Mundial estimam que, somente no Quênia, 2 milhões de pessoas caíram na pobreza devido à crise de covid-19.

Países com maior aumento na população de super-ricos (indivíduos com patrimônio líquido de mais de US$ 30 milhões) em 2020

China15%
Suécia11%
Singapura10%
Arábia Saudita10%
Suíça9%
Japão9%
Canadá8%
Coréia do Sul6%
Estados Unidos4%
Alemanha3%

Países com maior declínio na população de super-ricos (indivíduos com patrimônio líquido de mais de US$ 30 milhões) em 2020

Grécia-33%
Emirados Árabes-22%
Turquia-20%
Espanha-14%
Brasil-12%
Rússia-11%
França-9%
México-5%
Itália-3%
Reino Unido-1%

Os ganhos desproporcionais entre ricos e pobres levaram algumas nações a considerar impostos sobre a riqueza.

Mais de um terço dos consultores de pessoas ricas entrevistados para o relatório da Knight Frank citou questões tributárias como a principal preocupação dos clientes.

“Os governos gastaram muito e agora estamos em uma situação semelhante como depois da crise financeira, quando havia uma sensação crescente de: ‘Quem vai pagar por tudo isso?”, disse Liam Bailey, chefe global de pesquisa da Knight Frank.

Banner will be placed here

Quanto você precisa para estar entre o 1% mais rico em cada país

Entrar no clube do 1% mais rico de cada país/ território nunca é fácil, mas é especialmente difícil se você estiver em Mônaco.

O principado possui uma população de apenas 38 mil habitantes, mas é preciso uma fortuna de quase US$ 8 milhões para se encaixar na categoria dos mais ricos.

Suíça e Estados Unidos vêm em seguida com as entradas mais elevadas, exigindo fortunas de US$ 5,1 milhões e US$ 4,4 milhões de dólares, respectivamente.

O Brasil aparece na 23º colocação.

Veja abaixo quanto (em dólar) é preciso ter para fazer parte do 1% mais rico de cada país de acordo com o Relatório de Riqueza 2021:

Onde os mais ricos vivem

Mesmo com o crescimento da riqueza na Ásia e Europa, os EUA ainda lideram em número de indivíduos ultra-ricos.

São 190.058 norte-americanos com patrimônio líquido de mais de US$ 30 milhões.

Segundo previsão, a Ásia verá o crescimento mais rápido em UHNWIs (Indivíduo com patrimônio líquido ultra-alto) nos próximos cinco anos.

Com China, Índia e Indonésia entre os países de crescimento mais elevado.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Onde os ultra-ricos investem

O relatório da riqueza de 2021 mostra ainda onde esses bilionários investem.

Segundo os principais banqueiros privados e consultores de patrimônio, metade disse que a riqueza de seus clientes havia aumentado no ano passado.

Dos que afirmaram o aumento de patrimônio, 3 causas foram apontadas como as principais:

  • Diversificação;
  • Ações;
  • Propriedades.

Dados da Pesquisa de Atitudes mostram que as ações representam quase um quarto das carteiras dos ultra-ricos.

Não é surpreendente que isso tenha sido um dos principais impulsionadores do crescimento da riqueza em alguns países.

Segredo da Riqueza
Notícias do Mercado Financeiro

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE