A Arezzo (ARZZ3) registrou lucro líquido de R$ 77,5 milhões no terceiro trimestre de 2021. No critério ajustado, o lucro foi de R$ 82 milhões, crescimento de 193% em relação ao registrado no mesmo período em 2020.

O Ebitda, por sua vez, totalizou R$ 118,6 milhões. O indicador ajustado atingiu R$ 125 milhões, alta de 98,1% ante o informado um ano antes.

Já a receita líquida da companhia atingiu R$ 777,9 milhões entre julho e setembro, avanço de 86,8% em relação ao obtido no mesmo período do ano anterior.

A margem bruta da companhia ficou em 52,2%, uma expansão de 670 pontos base, mesmo com a alta de custo de matérias primas.

Segundo o CEO da companhia, Alexandre Birman, a manutenção de margem foi possível pois a empresa tem mais flexibilidade no uso de insumos.

"Arezzo tem a estratégia de ser outsourcing (terceirização). Temos 90% da produção em outsourcing. Entretanto, nós controlamos o processo de pesquisa e desenvolvimento de produto. Somos proprietários do software do calçado: a forma, o salto e a designação das matérias primas.”

“Trabalhando com uma quantidade maior de matérias primas, nós conseguimos substituir e ter mais flexibilidade nessa questão de custo", afirma.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Ele conta, por exemplo, que enquanto o preço do couro de boi tradicional subiu 60% nos últimos 12 meses, a empresa migrou para um tipo de couro feito de cabras e animais mestiços, que teve manutenção dos custos em relação ao ano passado.

Além disso a companhia migrou a produção que era exclusivamente no Rio Grande do Sul, para outros estados do Brasil, com maior oferta de mão de obra.

No trimestre, as despesas gerais e administrativas ajustadas da Arezzo somaram R$ 74,8 milhões, aumento de 168% em relação ao mesmo período de 2020.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

O retorno sobre capital investido (ROIC) ajustado ficou em 29% ante 6% em 2020. Enquanto isso, a dívida líquida da empresa atingiu R$ 271 milhões no primeiro trimestre, ante R$ 123,5 milhões registrados no quarto trimestre.

A alavancagem medida por Dívida Líquida/Ebitda foi de 0,5 vez, ante 0,3 vez um ano antes.

O aumento do endividamento foi impactado pela aquisição da Baw Clothing e outros investimentos em Capex.

Fonte: Estadão Conteúdo.