O que é LBO - Leveraged Buyout

LBO - Leveraged Buyout é a aquisição de uma empresa feita com uma quantidade significativa de capital emprestado, sendo que os ativos da empresa são utilizados posteriormente como garantia pelo empréstimo. 

Também chamada de “compra alavancada” ou Highly Leveraged Transaction, são transações altamente alavancadas, que ocorrem somente se os compradores da empresa demonstrarem que conseguem sustentar o crescimento da mesma. 

O LBO é um tipo de estratégia utilizada no investimento em Private Equity, o qual consiste em comprar uma participação em empresas não públicas, ou em empresas públicas com a intenção de torná-las não públicas. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o LBO

As aquisições feitas por meio da Leveraged Buyout têm por objetivo permitir que as empresas façam grandes aquisições sem ter que desembolsar muito capital para isso.

Dessa forma, a proporção geralmente é de 10% do patrimônio líquido e 90% de capital de terceiros, o que faz com que os títulos adquiridos sejam classificados como junk bonds.

Essa medida pode ser utilizada por empresas que estão endividadas e correm o risco de comprometer o seu pleno funcionamento, bem como pode ser uma estratégia para compradores que desejam adquirir essas empresas com dívidas.

Assim, ocorrem as transações LBO e, depois que se adquire a empresa que estava à venda, as duas empresas se fundem. Ou seja, há o processo de aquisição e, posteriormente, transformação de duas em uma.

Após o financiamento alavancado, a empresa criada a partir dessa fusão se encontra endividada por conta do empréstimo realizado para efetuar a compra e utilizará a empresa comprada para arcar com a dívida.

Vale pontuar que nem sempre tudo é feito de forma amigável. A Leveraged Buyout também pode ser um movimento hostil, porque, em muitos casos, os gestores das empresas que estão sendo compradas não querem concluir a venda. 

Características das empresas alvo de LBO

Apesar de focar em empresas endividadas, a operação LBO tem como alvo as empresas com uma série de características que as tornam atrativas. São elas:

  • Possuir ativos tangíveis valiosos e líquidos, que possam ser usados posteriormente como garantia do empréstimo e para diminuir o valor da dívida;
  • Ter espaço para aprimoramento de suas operações, ou seja, um potencial substancial, de forma que o investidor possa estabelecer uma gestão operacional eficiente e a empresa consiga gerar valor após a LBO;
  • Não possuir débitos altos;
  • Ter uma geração de caixa forte e estável, já que a dívida do empréstimo será paga com os recursos provenientes das operações da empresa comprada; 
  • Possuir baixa alavancagem, já que a alavancagem ocorrerá a partir da LBO;
  • Apesar de não ser o cenário recorrente, o ideal é que a empresa tenha acionistas e gestores que apoiem a transação LBO

Vantagens da LBO

As transações de Leveraged Buyout podem ser atrativas tanto para as empresas que estão comprando e visam ampliar seu capital nos próximos anos, quanto para as empresas que estão vendendo por estarem endividadas. 

Algumas vantagens são:

  • Ao realizar uma operação LBO, a empresa que está comprando não compromete o seu capital ao adquirir a empresa desejada;
  • Para as empresas em situação de endividamento, após vender suas ações para outra empresa, ocorre a fusão entre os dois negócios;
  • Se ocorrer em um período com a taxa de juros estiver baixa, o custo do empréstimo estará menor. Assim, a empresa que está comprando pode fazer a aquisição com uma quantidade maior de capital emprestado. 

Motivos para realizar LBO

Além do que já foi apresentado anteriormente, as transações Leverage Buyout são mais comuns em outras três situações.

A primeira delas refere-se à aquisição de empresas associadas à sua privatização. Ou seja, adquire uma empresa pública no intuito de torná-la privada.

A segunda diz respeito à compra da empresa para posteriormente desmembrá-la e vender os seus segmentos.

Por fim, utiliza-se a operação LBO para transferência de propriedade privada, como no caso da transferência da propriedade de pequenas empresas.