KNCR11: Fundo Kinea Renda Imobiliária - Vale a Pena?
| ,

KNCR11: Fundo Kinea Renda Imobiliária – Vale a Pena ?

Veja se o fundo imobiliário KNCR11 Kinea Renda Imobiliária Vale a Pena? O que é, rendimento, dividendos, liquidez, negociação, riscos e vantagens deste FII.

Por
Atualizado em 29/10/2020

Os Fundos Imobiliários são investimentos capazes de gerar renda isenta de imposto de renda e lucros superiores aos da renda fixa.

Fundos imobiliários, como o KNCR11, vêm sendo cada vez mais considerados em estratégias de alocação de ativos, uma vez que oferecem a possibilidade de aplicar em imóveis com maior segurança e menores riscos.

Criado em 2012, o KNCR11 é um fundo imobiliário do tipo papel, destinado a investidores em geral e focado em títulos de renda fixa atrelados à atividade imobiliária.

Se você busca oportunidades de investimento imobiliário gerador de renda, sem tributação e com ganhos acima da renda fixa, deve conhecê-lo!

O mercado, como o Senhor, ajuda quem se ajuda. Mas, ao contrário Dele, não perdoa os que não sabem o que fazem. Warren Buffett, maior investidor do século XX.

E então? Pronto para descobrir como o KNCR11 gera renda isenta de impostos e lucros superiores aos da renda fixa?

Neste artigo, você vai entender tudo o que precisa saber sobre o KNCR11 para investir de forma consciente e receber renda livre de tributação:

  • O que é KNCR11;
  • Dividendos pagos pelo KNCR11;
  • Composição da carteira deste fundo de investimentos;
  • Riscos do KNCR11;
  • Negociação e liquidez do KNCR11;
  • Dados oficiais sobre o Fundo.

Leia até o final e descubra se o fundo imobiliário KNCR11 é capaz de ajudá-lo a alcançar a independência financeira de forma mais rápida e eficiente!  

O que é KNCR11?

A sigla KNCR11 se refere ao fundo imobiliário (FII) Kinea Rendimentos Imobiliários, criado em outubro de 2012. 

Destinado a investidores em geral, o fundo é focado em ativos do segmento de imóveis, especialmente Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI). 

Trata-se de um fundo de papel. Nesta classe de fundos, a captação de recursos se destina predominantemente a investimentos em títulos de dívida imobiliária e outros valores do setor. 

Este FII é constituído sob a forma de um condomínio fechado, com prazo indeterminado. 

A administração deste FII é feita pela Intrag Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários, de São Paulo/SP.  

O objetivo é investir ao menos 50% do patrimônio líquido em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e alcançar rentabilidade superior a 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). 

Com capital inicial de R$ 200 milhões, a primeira emissão foi de 200 mil cotas, comercializadas a R$ 1 mil cada, no ano de 2012.

Em agosto de 2019, o KNCR11 registrava um patrimônio superior a R$ 3,9 bilhões. 

Banner will be placed here

KNCR11: Dividendos

O retorno por cota do KNCR11 foi de R$ 0,57 em agosto/2019, o que representa 0,54% em relação ao valor de cota vigente. 

Os rendimentos mensais do KNCR11 somaram 6,53% ao longo dos últimos 12 meses. 

Desde a estreia na Bolsa de Valores, o fundo acumulou um retorno por cota de R$ 66,87, somando 63,68% em relação ao valor de cota na data.

Tabela de distribuição de dividendos do fundo KNCR11
Distribuição de dividendos fundo KNCR11

Resumo da Carteira do KNCR11 

A carteira do KNCR11 é composta majoritariamente por Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), títulos de renda fixa que, quando adquiridos, geram direito a uma remuneração periódica ou em seu vencimento. 

Tais títulos são emitidos por securitizadoras de crédito, com a finalidade de captar recursos para financiar operações no mercado imobiliário. 

Não são aplicações em um empreendimento imobiliário, de forma direta. São papéis lastreados em financiamentos residenciais, comerciais e outros créditos imobiliários. 

O portfólio do KNCR11 é composto ainda por uma pequena parcela de Letras de Crédito Imobiliário e Títulos Públicos, em diminuta porcentagem. 

A LCI, assim como o CRI, é um investimento de renda fixa. 

Esses títulos são emitidos por instituições financeiras e ainda possuem ativos imobiliários como garantia da aplicação, minimizando os riscos.

O montante captado através dessas aplicações se destina a novos financiamentos e empreendimentos no setor imobiliário, o que os torna compatíveis com o foco deste FII. 

Alocação por Instrumento

A alocação por instrumento do KNCR11 é composta por: 

  • 95,6% em CRI;
  • 2,6% em LCI;
  • 1,7% em Instrumentos de Caixa. 

Tanto CRI como LCI são ativos de renda fixa voltados à captação de recursos para financiamento de empreendimentos imobiliários. 

Cada um deles tem suas particularidades. Para compreendê-las, recomendo a leitura de dois artigos: 

Os instrumentos de caixa,  que representam 1,7% da alocação do KNCR11, são títulos públicos. Sua função é manter a liquidez de caixa para cobrir os custos do fundo. 

O gráfico abaixo demonstra a distribuição de ativos do KNCR11:

Distribuição dos ativos no fundo KNCR11
Distribuição dos ativos no fundo

Alocação por Indexador

A alocação por indexador do KNCR11 se divide entre índices ligados à variação da inflação e ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

O CDI é a taxa praticada entre empréstimos realizados entre instituições bancárias. 

É a taxa comumente utilizada para cálculo de rentabilidade de grande parte dos investimentos de renda fixa, como fundos, CDBs, LCAs, LCIs, entre outros.

Os índices ligados à variação da inflação no KNCR11 são dois:

  • IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo);
  • IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado).

As diferenças principais entre eles são os instrumentos de coleta de dados e as entidades que fazem o cálculo. 

O IPCA é medido mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa). O cálculo procura refletir as variações de preços ao consumidor. 

O IGP-M é calculado mês a mês pelo IBRE (Instituto Brasileiro de Economia), uma divisão da Fundação Getúlio Vargas. 

O cálculo dessa taxa inclui dados sobre a variação de preços para produtores e consumidores, além dos custos de moradia no país. 

A Taxa Selic (SELIC – Sistema Especial de Liquidação e Custódia), última a compor a alocação por indexador do KNCR11,  é conhecida como a taxa básica de juros. 

É definida pelo COPOM (Comitê de Política Monetária) com base na avaliação da política econômica e do cenário vigente. 

No fundo KNCR11, a alocação por indexador é a seguinte: 

  • Títulos Atrelados ao CDI: 87,7%;
  • Títulos atrelados ao IPCA: 9%;
  • Títulos atrelados ao IGP-M: 1,7%;
  • Títulos atrelados à taxa Selic: 1,7%.

Essa disposição de ativos é demonstrada no gráfico abaixo:

Alocação dos ativos do fundo por indexador
Alocação dos ativos do fundo por indexador

Diversificação 

A carteira do KNCR11, em agosto de 2019, apresentou 49 diferentes títulos, entre CRI, LCI e instrumentos de caixa. 

O ativo com maior representação é um CRI da MRV Engenharia, emitido pela Gaia Securitizadora, com rentabilidade atrelada ao CDI, rendendo o equivalente ao CDI + 0,99% por ano. 

Esse título representa 7,1% do capital que compõe o portfólio:

Representação do ativo CRI da MRV Engenharia
Representação do ativo CRI da MRV Engenharia no fundo

Negociação e Liquidez do KNCR11

Em agosto de 2019, houve negociação de 1.261.959 cotas. Esse número corresponde a um volume de negociação de R$ 131,31 milhões. 

A média diária de negociações se estabeleceu em aproximadamente R$ 5,97 milhões. 

Negociações do fundo no período de novembro de 2012 até maio de 2019
Negociações do fundo no período de novembro de 2012 à maio de 2019

Riscos do KNCR11

Assim como outros investimentos, o  KNCR11 não está livre de riscos. Veja quais são os principais a seguir:

Risco de Concentração

O risco de concentração refere-se a diversificação de títulos adotada pelo gestor do fundo. 

Para avaliá-lo, é preciso analisar a distribuição do capital de um fundo, em busca de concentrações excessivas entre os mesmos emissores e devedores.

Quanto mais diversificada e pulverizada for a carteira, melhor.

No caso do KNCR11, são 47 CRIs diferentes, sendo que o maior deles representa 7,1% do patrimônio do fundo.

Risco de Crédito

Risco de crédito é a possibilidade de a entidade emissora de um título ou o tomador do crédito não honrar o compromisso assumido. 

No KNCR11, a maior parte do capital é investida em CRI, que trabalha com empréstimos atrelados a um imóvel. 

Se há inadimplência, o imóvel é tomado em pagamento e, então, transformado em capital. Nesse caso, enfrenta-se a possibilidade de demora na conversão do bem em dinheiro. 

Dados do KNCR11

  • Razão Social: Kinea Rendimentos Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII;
  • CNPJ: 16.706.958/0001-32;
  • Gestor: Kinea Investimentos Ltda.; 
  • Público Alvo: Investidores em geral;
  • Segmento: Títulos e Valores Mobiliários;
  • Patrimônio Total (08/2019): R$ 3.956.998.033,60;
  • Taxa de Administração: 1,08% a.a. (ao ano);
  • Taxa de Performance: não há;
  • Início do Fundo: 15 de outubro de 2012;
  • Quantidade de Emissões: 8;
  • Número de Cotistas (08/2019): 43.457;
  • Número de Cotas do KNCR11: 34.902.454;
  • Regulamento: ver regulamento do KNCR11;
  • Relatório Gerencial: ver relatório do KNCR11;
  • Site Oficial (RI): https://www.kinea.com.br/fundos/fundo-imobiliario-kinea-rendimentos-kncr11/.

Dúvidas sobre KNCR11

Selecionei certas dúvidas comuns sobre o Fundo Imobiliário KNCR11, respondidas de forma direta abaixo:

Como comprar KNCR11?

Através de uma corretora de valores. Se ainda não tem conta em uma, o primeiro passo é abri-la. 

Em seguida, transfira o montante a investir para sua conta, acesse o Home Broker e digite o código do fundo (KNCR11). 

Uma vez localizado o FII, selecione a quantidade de cotas, o valor que se dispõe a pagar por elas e envie a ordem de compra.

É muito simples. 

Onde achar o informe de rendimentos do KNCR11?

Os informes de rendimentos do KNCR11 estão disponíveis no site oficial da gestora.  

É possível ainda localizá-los no site da BM&F Bovespa, na página dedicada ao fundo. Procure a aba “Relatórios Financeiros”. 

Onde achar o relatório gerencial do KNCR11?

Da mesma forma quanto ao informe de rendimentos, é possível baixar o relatório gerencial através da página oficial do KNCR11, ou no site da BM&F Bovespa

Em ambos os casos, o relatório gerencial se encontra na página principal. 

KNCR11 é um bom investimento?

Focado em investidores em geral, o KNCR11 propõe investimentos imobiliários com riscos reduzidos, capazes de gerar renda isenta de imposto de renda e lucros superiores aos da renda fixa. 

A carteira é composta principalmente por CRI e LCI, com histórico de rentabilidade bastante positivo desde a oferta pública inicial. 

O fundo é gerido por uma das gestoras mais tradicionais do mercado, possui o maior patrimônio entre os FIIs, é bem diversificado e vem entregando, com regularidade, resultados mensais satisfatórios.

Dito isso, o KNCR11 é um dos melhores fundos de papel disponíveis no mercado.

Porém, o fato de o fundo ser bom não significa que você possa pagar qualquer preço por ele. Não pague muito mais do que o valor patrimonial.

Lembre-se que, antes de investir em fundos imobiliários é necessário conhecer seu perfil de investidor para fazer uma boa alocação de ativos e se expor a um nível adequado de risco.

Faça aqui um teste online de perfil e receba uma sugestão de ativos para a sua carteira.

Você já investe em Fundos Imobiliários? Conte para mim nos comentários! Quem sabe eu possa ajudar!  

Disclaimer
Declaro que as informações contidas neste relatório são públicas e que refletem única e exclusivamente a minha visão independente sobre a companhia, sem refletir a opinião do The Capital Advisor ou de seus controladores.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE