O que é Juros

Juros é o rendimento obtido quando se empresta dinheiro a alguém, levando em conta o período e as condições preestabelecidas antes do empréstimo. 

Em outras palavras, juros são a remuneração que o devedor, aquele que realizou o empréstimo, deve pagar ao credor, sujeito que emprestou o dinheiro, de acordo com um percentual sobre o valor emprestado. 

Dessa forma, a cobrança da porcentagem pode ser realizada por dia, por mês ou por ano, e funciona como meio de compensar o credor pelo tempo que ficará sem o dinheiro que foi emprestado. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Quais os tipos de juros

Os principais tipos de juros são:

  •  Juros simples: valor da taxa não se altera ao longo do período e os juros são cobrados sobre o valor inicial do empréstimo;
  • Juros compostos: as taxas se sobrepõem; a taxa incide sobre o montante inicial e sobre os valores acumulados; juros sobre juros;
  • Juros de mora: há uma taxa de juros pré-acordada (juros simples), mas caso haja atraso no pagamento, terá uma taxa extra proporcional aos dias de atraso.
  •   Juros nominais: é o percentual de rentabilidade utilizada quando se realiza investimentos, empréstimos ou financiamentos, sem levar em conta a inflação.
  • Juros reais: tem a mesma característica dos juros nominais, porém levando em conta a inflação. Por isso o nome de “juros reais”.
  • Juros rotativos: são as tarifas aplicadas nas faturas de cartão de crédito quando há atraso no pagamento
  • Juros sobre capital próprio: valor obtido a partir do lucro de uma empresa; 

Importância dos Juros

Os juros possuem um grande impacto na vida financeira, visto que são um dos grandes responsáveis pelo fluxo do dinheiro na economia.

Para os credores, que financiam os bancos e empresas por meio de investimentos e estão sempre aplicando no mercado, os juros são uma forma das instituições financeiras garantirem que o patrimônio desses sujeitos cresça.

Dessa forma, os juros atuam como um incentivo necessário para que os investidores continuem financiando os empréstimos e investindo no mercado.

Eles servem, também, como forma de segurança para as instituições financeiras, protegendo-as contra eventuais riscos envolvidos na transação, em especial as possibilidades de calote.

Nesse sentido, os juros têm por função diminuir os atrasos nos pagamentos, incentivando o devedor a pagar suas dívidas na data certa para que não tenha um aumento de despesas.

No caso específico dos investimentos, os juros servem como forma de movimentar o dinheiro que, sem o auxílio do mesmo, ficaria parado na conta-corrente do banco. 

Taxa de Juros

A taxa de juros, então, é a quantia que o devedor paga ao credor por utilizar o seu dinheiro. Ela equivale à diferença entre o valor emprestado pelo credor e o valor devolvido pelo devedor ao terminar de pagar sua dívida.

No caso dos investimentos, a taxa de juros é a diferença entre o valor aplicado e o montante resgatado. Dessa forma, ela corresponde ao quanto o dinheiro do investidor foi valorizado. Um exemplo importante é a Taxa básica de juros (Selic).

As taxas de juros também são indicadores utilizados para comparar o desempenho das aplicações. Isto possibilita um bom planejamento financeiro e a definição da melhor estratégia para investir o seu dinheiro.  

Do mesmo modo, elas influenciam consideravelmente as decisões dos cidadãos de consumir, poupar ou investir. São, inclusive, utilizadas pelo governo como meio de controlar a movimentação do dinheiro na economia.

Ainda nessa perspectiva, os juros podem servir, também, como incentivo tanto para o credor, quanto para o devedor.

Na teoria, a taxa de juros anima o credor para que ele não se importe de ficar sem uma determinada quantia de dinheiro no momento presente, já que no futuro ele terá mais do que tinha antes.

Para o devedor, o empréstimo serve como esperança de que o mesmo conseguirá realizar seus desejos, ou pagar suas dívidas. Assim, ele se dispõe a pagar a taxa de juros já que, no momento presente, o dinheiro se faz muito necessário.