JHSF (JHSF3) informou na sexta-feira (01), que foi concluída a captação da 12ª Emissão de Debêntures Simples, não conversíveis em ações, de espécie com garantia real, em seis séries, para colocação privada.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

As Debêntures foram subscritas pela Opea Securitizadora e serão utilizadas para lastrear a Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), no montante de R$ 757 milhões, com prazo total de 12 anos e carência de 5 anos de amortização do principal, sendo subscritos na presente data o montante de R$ 457 milhões, e o saldo em até seis meses.

Os recursos dessa captação serão utilizados para o desenvolvimento do projeto Boa Vista Estates, localizado no Complexo Boa Vista, um dos polos estratégicos em que a Companhia desenvolve produtos imobiliários multiusos para clientes de alta renda.

A crescente participação do Mercado de Capitais na composição da estrutura de capital da Companhia faz parte da estratégia de composição da estrutura de dívidas, alocando recursos de longo prazo, através da emissão de instrumentos financeiros típicos do mercado de capitais (CRIs e debêntures) e alocando recursos de curto e médio prazo com bancos comerciais parceiros da JHSF.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

Resultado da JHSF no Primeiro Trimestre de 2022

O resultado da JHSF (JHSF3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 12 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 166,5 milhões no 1t22, uma queda de -13,0% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda ajustado da JHSF atingiu R$ 258,4 milhões no 1T22, apresentando crescimento de 7,1% na comparação com o 1T21.

A margem Ebitda ajustada da JHSF totalizou 56,0% no 1T22, apresentando retração de -6,6 pontos percentuais na comparação com o 1T21. 

A margem líquida da JHSF atingiu 36,1% no 1T22, apresentando retração de -13,6 pontos percentuais na comparação com o 1T21.

As ações da JHSF (JHSF3) acumulam queda de 9,05% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 15,75% nos últimos 12 meses.