Projeção do Itaú estima Selic próxima a zero em 2020
|

Itaú estima Queda da Taxa Selic: será próxima a zero em 2020

O Itaú Unibanco divulgou a taxa Selic para 2020. A previsão é de que a taxa básica de juros da economia encerre 2020 em 4,0%.

Por
Atualizado em 15/10/2019

Aos poucos o país vem saindo da recessão que dominou o mercado entre 2015 e 2016.

Prova disso é a melhora em uma série de indicadores econômicos. Em 2015 a inflação chegou a atingir 10,67%, já em 2019 a previsão é de fechar o ano em 3,21%. 

Além disso, é possível acompanhar as noticias da queda na taxa Selic.

Alias, historicamente a Selic nunca esteve tão baixa. O PIB também não fica atrás, mostrando resultados positivos a cada ano. 

Nesse cenário cada vez mais otimista e de juros cada vez mais baixos, o investidor tende a apostar em investimentos mais arrojados, como a renda variável.

Segundo relatório do Itaú Unibanco divulgado ontem (14), as perspectivas são otimistas.

No mesmo caminho segue a previsão do Bacen anunciada também na segunda (14) através do Boletim Focus.

Nele, a expectativa é de redução da inflação e da taxa Selic até o fim de 2019.

Queda na Taxa Selic

O Itaú Unibanco divulgou na segunda-feira (14) a taxa Selic estimada para 2019 e 2020.

Segundo a instituição financeira, a previsão é de que a taxa básica de juros da economia encerre o ano em 4,5%.

Já para 2020, o Itaú acredita que o Banco Central ainda irá cortar mais meio ponto percentual na taxa Selic.

Projeção dos Principais Indicadores Econômicos.
Projeção dos Principais Indicadores Econômicos. Fonte: Itaú BBA

“Passamos a esperar que o Comitê de Política Monetária (Copom) estenda o ciclo de corte de juros para além do nível de 5%. Em adição ao corte de 0,50 ponto projetado para a reunião dos dias 29 e 30 de outubro, acreditamos que o comitê realizará mais um movimento de mesma magnitude em dezembro”, declarou o banco.

Justificativa da Queda da Taxa Selic?

Para o Itaú Unibanco, a inflação estabilizada e o câmbio pouco volátil foram os principais responsáveis pela revisão da taxa Selic.

Contudo, para assegurar a recuperação econômica, o banco acredita na necessidade de promover um estímulo monetário adicional, considerando a queda dos juros. 

Banner will be placed here

No que tange a inflação, a instituição acredita que o IPCA vai fechar o ano abaixo do esperado, com uma projeção de 3,3% no fim de 2019. 

Já a expectativa para o PIB é de 1% em 2019 e 2,2% em 2020. Dessa forma o banco espera que o crescimento do PIB seja estimulado pela queda da Selic.

Taxa de Juro Real

A taxa de juro real corresponde a taxa Selic descontada da inflação. 

Segundo o relatório divulgado pelo Itau Unibanco, a taxa de juro real em 2020, alcançaria 0,33%. 

Isso seria possível em um cenário com Selic a 4% e IPCA a 3,7%. 

Nesse contexto investir na renda fixa seria praticamente anular os ganhos.

Então, a tendência dos investidores seria procurar uma rentabilidade maior no mercado de ações.

Expectativa do Boletim Focus

O Boletim Focus, divulgado também na segunda-feira (14), pelo Banco Central  apresentou da mesma forma uma expectativa de redução do IPCA de 3,42% para 3,28%. 

Se continuar nessa direção, a projeção é de que a inflação feche o ano abaixo do centro da meta de 4,25%.

Mas ainda dentro da margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual para cima ou para baixo, entre 2,75% a 5,75).

Boletim Focus
Boletim Focus. Fonte: Banco Central

A expectativa de crescimento do PIB para 2019, segundo o relatório é de 0,87%. 

Para 2020, a projeção é muito mais otimista, alcançando um crescimento econômico de 2,00% do PIB.

No que se refere a Selic, o Boletim Focus é um pouco mais comedido nas expectativas e acredita que irá fechar o ano em 4,75%, contra os 4,50% esperado pelo Itaú Unibanco.

Para o final de 2020 o Bacen mantém a projeção em 4,75% no ano.

Conclusão

A recuperação econômica ainda não apresenta resultados consistentes. O mercado de trabalho ainda está se recuperando da recessão dos anos anteriores, então a capacidade ociosa ainda é grande.

Apesar disso, a ausência de choques externos ajudou a inflação a se manter baixa durante o ano todo.

Então esses fatores acabam favorecendo uma queda na taxa Selic ainda maior. Então não está fora de cogitação a Selic fechar o ano em 4,5%.

A notícia só é ruim para quem segue aplicando o dinheiro apenas em produtos de renda fixa, que devem piorar ainda mais os seus rendimentos.

Dadas as projeções para inflação, o ganho real das aplicações de renda fixa tendem a ficar abaixo de 1% ao ano.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE