O que é ISI - Industrialização por Substituição das Importações

Industrialização por Substituição das Importações é uma teoria econômica muitas vezes adotada por países emergentes. Essa abordagem teórica busca proteger as indústrias locais e desenvolver os setores produtivos e também o comércio nacional.

Portanto, o ISI - Industrialização por Substituição das Importações busca fortalecer a economia local, diminuindo a dependência que esse país tem em relação ao exterior. Por conta disso, existem diversas medidas que são tomadas para essa mudança nas estruturas locais.

Para isso, o governo deve utilizar diversas ferramentas monetárias, além de traçar uma estratégia de como serão feitas as mudanças na política econômica do país. Dessa forma, o Banco Central pode ser fundamental para o sucesso dessa industrialização

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

História da Industrialização 

Industrialização  é um processo onde a indústria se torna o principal setor de uma economia. Causando diversas mudanças nos processos técnicos de um país, em busca de uma maior produtividade

Uma das mudanças que ocorre no processo técnico é o aumento da divisão do trabalho, que aliado a novas máquinas e técnicas, aumentam a capacidade produtiva de todo o setor industrial.

Essas mudanças na estrutura produtiva impactam a sociedade por conta do aumento da urbanização que ocorre nas áreas industriais, já que atrai pessoas que vivem em áreas rurais e estão em busca de emprego, causando um crescimento demográfico na região.

A Primeira Revolução Industrial se baseou em máquinas a vapor e utilizou-se do carvão como fonte de energia. Surgiu no final do século XVIII e teve fim no século XX, além da máquina a vapor, a Indústria Têxtil foi muito importante durante esse período.

A segunda onda de industrialização teve início no que é chamado de Segunda Revolução Industrial, que se iniciou no começo do século XX e perdurou até a década de 1970, foi o momento em que o EUA, se tornou uma grande potência econômica

Nessa onda de industrialização o Mercado de Capitais teve um aumento exponencial, pois as empresas cada vez mais passaram a buscar investidores para aumentar sua capacidade produtiva, dessa forma, fomentando a bolsa de valores de todo o mundo.

Já a terceira onda de industrialização está em andamento desde a década de 1970, e é conhecida como Terceira Revolução Industrial, ou também, Revolução Técnico-Científica-Informacional.

 Nessa fase de industrialização existe um predomínio de indústrias com um alto grau de tecnologia e complexidade técnica, como robótica, inteligência artificial e sistemas de informação, exigindo uma mão de obra qualificada.

Teoria da ISI - Industrialização por Substituição das Importações

A teoria da Industrialização por Substituição de Importações é baseada em um grupo de políticas de desenvolvimento. E sua base é composta pelo argumento da indústria nascente, além da economia keynesiana e da tese de Singer-Prebisch.

A partir da junção dessas perspectivas econômicas, podem-se derivar algumas práticas. Entre elas está uma política industrial de operações que organize e subsidie a produção de alguns bens estratégicos. 

Além disso, podem ser criadas algumas barreiras comerciais, como tarifas, uma moeda sobrevalorizada que ajude os fabricantes na importação dos bens e até mesmo a falta de apoio para um investimento estrangeiro direto.

Todas essas medidas visam incentivar o produtor local, aquecendo os setores da economia e consequentemente fortalecendo a indústria perante o exterior. Isso acaba criando uma independência econômica em relação aos países centrais do capitalismo.

Com essa independência, o país emergente deixa de ser impactado por crises pontuais que ocorrem em outros países. Uma vez que ele não depende mais da importação que antes vinha de países europeus ou por exemplo dos Estados Unidos.

Dessa forma, a ISI - Industrialização por Substituição das Importações, é uma das alternativas para o desenvolvimento econômico de um país. Principalmente quando se trata de países subdesenvolvidos e emergentes.