IRDM11: Iridium Recebíveis Imobiliários Vale a Pena?
| ,

IRDM11: Iridium Recebíveis Imobiliários Vale a Pena?

Conheça o Fundo Imobiliário Iridium Recebíveis Imobiliários (IRDM11). Seus Dividendos, Rentabilidade e Riscos.

Por
Atualizado em 21/05/2020
Avalie esse texto

Riscos minimizados, renda isenta de imposto de renda e rentabilidade superior à renda fixa são as propostas do Fundo Imobiliário IRDM11 para aumentar seu patrimônio.

Em um cenário onde a renda fixa registra uma queda significativa, buscar opções mais rentáveis para investir se torna essencial.

Nesse panorama, os fundos de investimento surgem como opção para conseguir resultados positivos e somar lucros ao capital, buscando a independência financeira.

Com carteira focada em títulos de dívida imobiliária, o IRDM11 se apresenta como oportunidade de investimento a longo prazo, gerador de renda isenta de impostos e com baixo risco.

Se você procura maneiras eficientes de ampliar seu capital através de investimento imobiliário, precisa conhecer mais sobre ele! 

“Antes de tentar descobrir em que direção o mercado imobiliário caminha, descubra que existem mercados dentro do mercado”. Paul Clitheroe, consultor e analista financeiro australiano. 

E então? Pronto para conhecer tudo sobre o IRDM11 e descobrir como este fundo imobiliário gera rendimentos superiores aos da renda fixa?  

Leia até o final e descubra se o IRDM11 é a melhor escolha de investimento para alcançar a independência financeira de forma mais rápida e eficiente! 

O que é IRDM11?

A sigla IRDM11 é utilizada para o Fundo Imobiliário Iridium Recebíveis Imobiliários, criado em março de 2018. 

Este FII é administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, com sede no Rio de Janeiro, RJ. 

Destinado a todo tipo de investidores, incluindo pessoas jurídicas, o IRDM11 é focado em aplicar essencialmente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

No entanto, admite ainda investimentos em cotas de outros fundos, Letra Hipotecária (LH), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letra Imobiliária Garantida (LIG) e outros ativos financeiros e valores mobiliários.

Dessa forma, o IRDM11 é um fundo do tipo papel, onde os recursos captados serão destinados a aquisição de ativos que representam dívidas imobiliárias.

A estratégia de gestão do IRDM11 objetiva rentabilidade equivalente ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mais 7 % ao ano, líquido para pessoas físicas.

A primeira emissão de cotas do fundo foi de 800 mil unidades, comercializadas a R$ 100 cada uma.

Em setembro de 2019, o fundo registrava um patrimônio de R$ 309,37 milhões e mais de 21 mil cotistas.

Banner will be placed here

IRDM11 Dividendos

Em outubro de 2019, o retorno por cota do IRDM11 atingiu R$ 0,80, o que significa 0,69% sobre o valor de cota atual.

Ao longo dos últimos 12 meses, os rendimentos mensais do IRDM11 alcançaram R$ 9,81. Esse valor equivale a 8,46% em relação ao valor de mercado atual.

Desde o IPO, os dividendos somaram R$ 14,93, o que representa 12,87% do valor de mercado corrente.

A imagem abaixo demonstra os rendimentos mensais durante os últimos 12 meses. 

Rendimentos Mensais IRDM11.
Rendimentos Mensais IRDM11.

IRDM11 Rentabilidade

A rentabilidade do IRDM11 nos últimos 12 meses foi de 57%, superando inclusive a rentabilidade do Ibovespa (índice da bolsa de valores).

Rentabilidade IRDM11 vs Ibovespa (20/11/19).
Rentabilidade IRDM11 vs Ibovespa (20/11/19). Fonte: GuiaInvest.


Resumo da Carteira do IRDM11 

A carteira do IRMD11 é majoritariamente composta por investimentos em CRIs.

Tais títulos são emitidos por securitizadoras de crédito e são focados em financiar empreendimentos imobiliários.

Estes investimentos são geradores de renda para o cotista, seja periodicamente ou em seu vencimento. No entanto, não são aplicações diretas em imóveis, mas em papéis de dívidas.

Como tal, os CRIs são lastreados em financiamentos e créditos relacionados ao setor.

O portfólio é composto ainda por boa parcela de investimentos em outros fundos imobiliários compatíveis e pequena parte aplicada em fundos de investimento de renda fixa.

Alocação por Instrumento

Segundo o relatório gerencial de setembro de 2019, a alocação por instrumento do IRDM11 está distribuída da seguinte forma:

  • 65,21% em CRI;
  • 30,16% em Fundos Imobiliários;
  • 4,62% em Fundo de Investimento de Renda Fixa (FI RF).

A imagem abaixo mostra a alocação de ativos do IRDM11: 

Alocação por Instrumento IRDM11.
Alocação por Instrumento IRDM11.

Alocação por Indexador

A alocação de ativos por indexador do IRDM11 se divide entre o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e índices atrelados à variação da inflação.

O CDI é a taxa praticada entre empréstimos realizados entre instituições bancárias. Trata-se do indexador comumente usado para calcular a rentabilidade dos investimentos de renda fixa.

Títulos como CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letras de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) e CRI costumam utilizá-lo.

Quanto aos índices conectados à variação da inflação, o IRDM11 utiliza os seguintes:

  • IPCA;
  • IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado);
  • IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna).

O IPCA reflete a variação de preços ao consumidor final. Para isso, é calculado mês a mês pelo governo federal, através do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Do mesmo modo, o IGP-M e o IGP-DI são calculados mensalmente. 

No entanto, seu cálculo é independente do governo, e é efetuado pelo IBRE (Instituto Brasileiro de Economia), que pertence à Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Além de sua independência do governo, o escopo destes indexadores é mais completo: Ambos refletem a variação de preços sobre itens de consumo, bens de produção, moradia, lazer e serviços.

A imagem abaixo demonstra a alocação por indexador do IRDM11

Alocação por Indexador IRDM11.
Alocação por Indexador IRDM11.

Os ativos indexados pelo IPCA constituem 33,50% do patrimônio do IRDM11, o que representa a maior parte da alocação de ativos do fundo.

Logo, títulos cuja rentabilidade está atrelada ao CDI somam 26,06% (entre CDI % e CDI +), e títulos atrelados ao IGP (M e DI) representam 15,15% do patrimônio do fundo.

O restante do capital é investido em FIIs, e soma 25,29% do patrimônio do IRDM11. 

Diversificação 

Em setembro de 2019, a carteira do IRDM11 apresentava aplicações em 52 diferentes ativos, com uma boa alocação de ativos.

O mais representativo entre eles é um CRI emitido pela Habitasec Securitizadora, atrelado ao empreendimento imobiliário Helbor 2

Ativo – RFHelbor 2
EmissorHabitac Sec.
TipoCRI
RatingN/A
AgênciaN/A
PosiçãoR$ 23.773.618
% Patrimônio7,68%
IndexadorCDI+
Tx. Compra2,15%
Fluxo PagamentoTrimestral
Vencimentojun-23
Primeira PMTset-19

Este CRI representa 7,68% do patrimônio do fundo. Seu primeiro PMT (valor de pagamento periódico) era esperado para o mês de setembro de 2019. 

Negociação e Liquidez IRDM11

No mês de setembro de 2019, o IRDM11 manteve um forte volume de negociações, somando um volume de R$ 30,52 milhões no período. 

Riscos do IRDM11

Embora os riscos de investimento sejam diminuídos quando falamos em Fundos Imobiliários, eles existem. No caso do IRDM11, os principais riscos são: risco de concentração e de crédito.

Risco de Concentração

O risco de concentração é derivado da alocação de ativos utilizada pelo gestor do fundo. Quanto maior a diversificação e pulverização de uma carteira, menores são os riscos para o investidor.

Para avaliar tais riscos, se deve avaliar a distribuição do capital do fundo, observando o volume de concentração de títulos com os mesmos emissores e devedores.

No caso do IRDM11, a carteira é composta por 52 diferentes papéis. O mais representativo assume 7,68% do patrimônio do fundo. 

Risco de Crédito

O risco de crédito fala sobre uma possível inadimplência, seja por parte da entidade emissora do título ou de seu tomador.

A carteira do IRDM11 é formada especialmente por CRIs e FIIs. Assim, caso as dívidas não sejam honradas, os imóveis dados em garantia aos títulos serão tomados em pagamento.

O risco, nesse caso, se resume ao tempo de espera entre a tomada e a conversão do bem em capital.

Dados do IRDM11

Agora que já conheceu as características do IRDM11, verifique suas informações: 

  • Razão Social: Fundo de Investimento Imobiliário Iridium Recebíveis Imobiliários
  • CNPJ: 28.830.325/0001-10
  • Gestor: BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM
  • Público Alvo: Investidores em geral, tanto pessoas físicas como jurídicas, domiciliadas ou não no Brasil;
  • Segmento: Títulos e Valores Mobiliários;
  • Patrimônio Total (30/09/2019): R$ 309,37 milhões
  • Taxa de Administração: 0,17% a.a. (ao ano)
  • Taxa de Performance: Não há
  • Taxa de Administração: 0,83% a.a (ao ano)
  • Início do Fundo: março de 2018
  • Quantidade de Emissões: 5
  • Número de Cotistas (30/10/2019): 21.123
  • Número de Cotas do IRDM11: 3.068.099
  • Regulamento do IRDM11;
  • Relatório Gerencial do IRDM11;
  • IRDM11 Site Oficial (RI).

Dúvidas sobre IRDM11

Veja as dúvidas mais comuns sobre o IRDM11. 

Como comprar IRDM11?

As cotas do IRDM11 são adquiridas através de uma corretora de valores. Assim, o primeiro passo para efetivar a compra é abrir sua conta.

Com a conta aberta, é preciso fazer a transferência do valor que deseja investir para ela.

Com o valor disponível, o processo de aquisição é bem simples: Basta abrir o Home Broker, buscar o código deste fundo (IRDM11), selecionar a quantidade de cotas que deseja adquirir e o valor que pretende pagar.

Então, envie a ordem de compra e aguarde a confirmação. 

Onde achar o informe de rendimentos do IRDM11?

O informe de rendimentos do IRDM11 é disponibilizado na página oficial do fundo. Acesse a aba “Relatórios e Informes”.

Além disso, está disponível também através da página dedicada ao fundo no site da BM&F Bovespa

Onde achar o relatório gerencial do IRDM11?

Assim como o informe de rendimentos, o relatório gerencial do IRDM11 é encontrado na página oficial do fundo e no site da BM&F Bovespa

IRDM11 Vale a Pena?

Com cotas comercializadas desde março de 2018, o IRDM11 é um fundo do tipo papel, onde o capital reunido é destinado a investimento em títulos de dívida imobiliária.

Sua carteira é composta especialmente por CRIs, porém conta também com investimentos em outros FII e fundos de renda fixa.

O fundo RDM11, desde o seu lançamento, vem entregando bons resultados de forma constante. 

O fundo é bastante diversificado em tipos de ativos (CRIs e FIIs), em indexadores (CDI+, inflação e FIIs) e títulos.

Por estes motivos o IRDM11 é um fundo que vale a pena sim ter na carteira. 

Mas atenção!

Não é a qualquer preço.

Pagar por um fundo de papel um valor muito acima do seu valor patrimonial pode ser perigoso. Verifique o preço antes de comprar.

Lembre-se que, antes de investir em fundos imobiliários é necessário conhecer seu perfil de investidor para fazer uma boa alocação de ativos e se expor a um nível adequado de risco.

Descubra o seu perfil através deste teste online de perfil e receba uma sugestão de ativos para a sua carteira.

Análise de FIIs

IRDM11 Relatório

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais