Investimento mais Indicado para o Investidor com Perfil Conservador
|

Investimento mais Indicado para o Investidor com Perfil Conservador

O investidor com perfil conservador deve priorizar a renda fixa, mas com diversificação.

Por
Atualizado em 19/01/2021

Um perfil conservador busca a manutenção do seu patrimônio e deve optar por uma carteira de investimentos conservadora, com uma quantidade maior de ativos de renda fixa.

O teste de perfil de investidor classifica os investidores em 3 tipos principais: conservador, moderado ou arrojado.

Ao saber o perfil de investidor fica mais fácil relacionar os investimentos mais adequados aos seus objetivos e expectativas.

Assim, evita que cometa erros comuns de investidores iniciantes como aplicar em investimentos com riscos superiores ao que ele suporta.

Mesmo no cenário atual de juros baixos no Brasil que exige a maior eficiência na alocação de ativos, é importante não se distanciar da sua capacidade de risco.

Portanto, a tomada de decisão deve considerar o perfil de risco, mas também priorizar a diversificação da carteira.

Quais os melhores investimentos para cada Perfil de Investidor?

Assim como o investidor, cada investimento tem suas próprias características como o potencial de risco x retorno.

Apesar de todos os tipos de investidores terem acesso a grande parte dos investimentos disponíveis no mercado, eles devem ser escolhidos de acordo com sua tolerância aos riscos e objetivos.

Portanto, não existe melhor ou pior investimento, mas sim o mais ou menos adequado para cada perfil.

Nesse artigo vamos falar sobre os melhores investimentos para quem possui perfil conservador.

Confira os produtos indicados para investidores conservadores.

Perfil Conservador

O investidor com perfil conservador busca a preservação de recursos, não tolera perdas e busca alta liquidez.

Para este investidor, vale mais a certeza de que seu patrimônio continuará lá do que tentar multiplicá-lo.

Este perfil é comum para quem está começando a investir, pessoas avessas a risco ou com objetivos de curto e médio prazo.

Os ativos indicados são os que priorizam a proteção e mantém a liquidez. Por isso, a classe que mais combina com esse perfil é a renda fixa.

Títulos do Tesouro Direto, LCI (Letra de Crédito Imobiliário), Fundos DI e CDB são exemplos de títulos indicados para perfis conservadores. 

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Carteira de Investimentos Conservadora

O investidor conservador não gosta de correr riscos, portanto, deve buscar uma carteira de investimentos que priorize a segurança, mesmo que isso signifique uma rentabilidade menor.

A maior parte do capital de uma carteira de investimentos conservadora é investida em renda fixa, porém, é importante dividir entre títulos com prazos diferentes.

Exemplo de carteira conservadora:

Tipo AtivoAlocação
Renda Fixa90%
Ações0%
Imóveis5%
Proteção5%
 100%
Gráfico da alocação de ativos de uma carteira conservadora

Vale lembrar que este é apenas um exemplo generalista de carteira de investimentos para perfil conservador.

O portfólio de investimentos deve ser sempre construído com base nas necessidades e objetivos de cada investidor.

Os melhores investimentos para investidores com perfil conservador são aqueles com o menor risco.

Para muitos, a poupança ainda é a primeira aplicação de vem à mente, mas esta não deve ser considerada uma opção.

Existem oportunidades melhores e que rendem mais, ou pelos menos não perdem para a inflação.

Alguns exemplos de investimentos para diversificar sua carteira conservadora estão:

CDB 

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) são títulos de renda fixa emitido por bancos como forma de captação de recursos para financiar suas atividades.

Na prática, o investidor empresta dinheiro para o banco e recebe uma taxa como remuneração desse empréstimo.

Existem CDBs prefixados, pós-fixados e híbridos.

Nos títulos prefixados a rentabilidade da aplicação é conhecida já quando o investimento é realizado.

Nos pós-fixados a remuneração será uma porcentagem de uma taxa como, por exemplo, o CDI, mas o valor final da aplicação só será conhecido no resgate.

Já nos híbridos, uma parte da remuneração é pré-fixada e outra varia através de um índice, como por exemplo, o IPCA ou CDI.

Os CDBs são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Assim, caso a instituição financeira venha a falir e não possa cumprir com o compromisso, o órgão devolverá o dinheiro até o teto de R$ 250 mil por CPF e por banco emissor.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional que comercializa títulos públicos com objetivo de captar recursos para investimentos no país.

Funciona como um empréstimo para o Governo, que remunera o investidor com juros.

É considerado um investimento seguro, pois tem a garantia do Tesouro Nacional.

Existem três modalidades de títulos do tesouro, os prefixados, Tesouro Selic e Tesouro IPCA, cada qual com sua característica e prazo.

O Tesouro Prefixado tem sua rentabilidade definida na data de aplicação e prazo de vencimento.

O Tesouro Selic tem sua rentabilidade conhecida somente no resgate e acompanha a taxa Selic. Com liquidez diária, não é preciso esperar até a data de vencimento para resgatar.

Por isso, costuma ser uma boa alternativa para a Reserva de Emergência.

O Tesouro IPCA tem rentabilidade híbrida, definida por uma porcentagem prefixada e outra medida pela variação da inflação.

Este título costuma ter prazos mais longos e é uma alternativa para não perder poder de compra com a inflação, pois rende sempre acima do IPCA do período.

LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos emitidos pelos bancos para captar recursos para esses respectivos setores.

Os títulos podem ter sua rentabilidade pré fixada, pós-fixada ou híbrida.

A grande vantagem dessas aplicações é a isenção de impostos independente do tempo do investimento.

Possuem proteção do FGC em caso de falência da instituição financeira no valor de até R$ 250 mil por CPF ou instituição financeira.

Fundos DI

Os Fundos DI são fundos de investimento de renda fixa que investem, no mínimo, 95% em títulos públicos ou privados de baixo risco, que acompanham a rentabilidade do Certificado de Depósito Bancário (CDI).

A vantagem desse tipo de investimento é conta com um especialista para selecionar os melhores fundos e, na maioria, o dinheiro fica disponível no mesmo dia do resgate.

A desvantagem se dá pelas taxas de podem fazer com que o investimento renda menos do que poderia.

Os fundos DI são considerados opções de investimentos para perfil conservador porque investem a maior parte em renda fixa, têm liquidez diária e baixíssimo risco.

Fundos de Renda Fixa

Os Fundos de Renda Fixa são fundos de investimento com pelo menos 80% da carteira aplicada em produtos de renda fixa.

Esses fundos são considerados boas opções de investimentos para perfil conservador, pois possibilitam a diversificação dos investimentos.

Para valerem a pena, não podem cobrar taxa de administração maior que 1%.

Debêntures

As debêntures são títulos de dívida emitidos por empresas que desejam arrecadar recursos para o financiamento do seu negócio.

Assim, ao invés de emprestar dinheiro para os bancos ou para o governo, o investidor cede seu dinheiro para uma empresa.

Essa empresa se torna a credora e será responsável pelo pagamento.

Como não são garantidas pelo FGC e possuem uma liquidez mais baixa, são os investimentos de renda fixa mais arriscados do mercado, porém os mais rentáveis também.

Por esse motivo, não costumam ser indicadas para um perfil muito conservador, mas são uma opção para aqueles que buscam uma rentabilidade melhor sem ir para a renda variável.

O risco do investimento em debêntures pode ser minimizado ao comprar títulos de empresas sólidas.

Além disso, avalie o rating, as notas de crédito expedidas por agências de classificação de risco no intuito de qualificar as debêntures.

Assim, quanto maior o rating, menor o risco de crédito.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Como ficam os investimentos dos investidores conservadores com a Selic em 2% ao ano

Com a taxa básica de juros da economia (Selic) em seus mínimos históricos, o investimento em renda fixa fica menos atrativo, podendo inclusive perder para a inflação em alguns casos.

Os investimentos mais conservadores têm sua remuneração atrelada à Selic ou ao CDI  e estão pagando ainda menos com a atual Selic em 2%.

Então, onde os investidores com perfil conservador devem investir?

Com a rentabilidade da renda fixa cada vez mais baixa, os investidores de todos os perfis podem encontrar na Bolsa de Valores a oportunidade de acesso a investimentos com rendimentos maiores.

Ativos como fundos de investimento e fundos imobiliários surgem como alternativas para diversificar um pouco mais os investimentos.

Porém, isso exige que o investidor tome mais risco.

Só que nem todo investidor quer ou pode se expor à volatilidade da bolsa.

Investidores extremamente conservadores não toleram retorno negativo, mesmo que momentaneamente.

Outros não podem tomar o risco diminuir o patrimônio, como é o caso com idade mais avançada ou com pouca renda.

Então, o investidor conservador não tem como sair da renda fixa.

No entanto, pode diversificar a carteira entre as taxas e prazos para aumentar as chances de rentabilidade.

Mesmo com a baixa rentabilidade da renda fixa, a maior parte da carteira do investidor conservador deve permanecer aplicada em investimentos conservadores com rentabilidade atrelada ao CDI.

Para diversificar, o restante do capital pode ser investido em papéis ligados à inflação, como títulos do Tesouro IPCA +, títulos pré-fixados, debêntures incentivadas.

Além de fundo de renda fixa, fundos DI e até uma pequena porcentagem em fundos multimercados e fundos de ações, caso se justifique o maior risco.

Investimentos para Cada Tipo de Investidor

InvestimentoPerfilRiscoDuração
Minicontrato FuturoAgressivoMuito AltoCurtíssimo
OpçõesAgressivoMuito AltoCurtíssimo
AçõesAgressivo e ModeradoAltoLongo
Fundo de AçõesAgressivo e ModeradoAltoLongo
Fundo ImobiliárioAgressivo e ModeradoMédioMédio e Longo
Fundo MultimercadoAgressivo e ModeradoMédioMédio e Longo
Fundo PrevidênciaConservador e ModeradoMédio e BaixoMuito Longo
Fundo Renda FixaConservadorMédio e BaixoMédio e Longo
Renda FixaConservadorMédio e BaixoMédio e Longo
Tesouro DiretoConservadorBaixoCurto, Médio e Longo

Quanto maior o risco, maior a chance de perder o capital investido.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Investimento mais Indicado para o Investidor com Perfil Conservador

O investidor com perfil conservador tem preferência por produtos com menor risco, buscam ter controle e preservação do seu capital.

Preferem uma menor rentabilidade em troca de maior segurança, já que não toleram as oscilações do mercado.

Por isso, esses investidores devem manter a maior parte do patrimônio em ativos de renda fixa, mesmo com a Selic baixa.

É importante lembrar que os perfis são passíveis a alteração ao longo do tempo.

O momento financeiro influencia bastante nessa questão, assim como o crescimento do patrimônio. 

Assim, um investidor de perfil conservador pode se tornar moderado ou arrojado. 

A melhor forma de descobrir seu perfil é fazendo o Teste de Perfil de Investidor.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE