O que é Inplit

Inplit é o agrupamento de Ações. Ele acontece quando o valor de negociação das ações é muito baixo, ao agrupar. Com isso, ocorre uma diminuição na quantidade de ações disponíveis, porém o valor de cada ação aumenta nominalmente.

Porém, o inplit não traz nenhuma mudança financeira para os investidores. Um exemplo é:

O investidor tinha 100 ações de R$0,30 totalizando R$30,00. Caso ocorra um inplit de 10x1, ou seja, o agrupamento de 10 ações se tornando 1, o investidor passa a ter 10 ações de R$3,00. Portanto não teve nenhuma mudança no montante final.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Motivos do Inplit

Quando uma empresa decide fazer um inplit de suas ações, normalmente ela busca reduzir a volatilidade  na negociação do papel, com isso, diminuindo uma parte do risco para seu investidor.

Uma das mudanças causadas pelo agrupamento de ações é o aumento do VPA (Valor Patrimonial por Ação), esse valor é calculado  dividindo o patrimônio líquido da empresa, pelo número total  de ações. Logo, com a diminuição do número de ações, o VPA aumenta.

Desde 2017 existe um regulamento na bolsa de valores que exige o inplit de ações de empresas cujo a cotação dos seus papéis fique abaixo de R$1,00 por mais de 30 dias. Caso a empresa não cumpra com esse pedido, ela pode ser multada.

Essa medida visa estabelecer normas que buscam diminuir o risco para os investidores, por conta da alta volatilidade desses papéis e também melhorar a questão da liquidez na negociação dessas ações.

Um caso recente de agrupamento foi o da empresa Eneva, que em 2016 realizou um inplit na razão de 100x1, ou seja, o investidor que tinha cem ações passou a ter apenas uma, porém com o valor cem vezes superior ao valor antes do inplit.

Diferença entre Inplit e Split

Além do Inplit, existe um outro mecanismo no mercado financeiro chamado Split, no caso do Split, a empresa decide por desdobrar suas ações, ou seja, aumentar o número de ações disponíveis no mercado, sem causar qualquer mudança financeira.

O split pode ser visto como o movimento contrário ao inplit, ou seja, no caso da empresa decidir realizar um split na razão de 4x1, cada investidor que tinha 1 ação dessa empresa passa a ter 4 ações.

O split  tem como finalidade aumentar a liquidez do papel, uma vez que torna mais acessível ao investidor comum adquirir o papel dessa companhia. 

É comum acontecer o split quando o preço de uma ação chega a valores muito altos, dificultando a compra das ações para os investidores comuns.

Um exemplo é o caso da Magazine Luiza, que em 2017 viu o valor das suas ações chegar ao patamar dos R$600, esse valor se mostrou inacessível aos investidores, portanto, foi decidido iniciar o desdobramento na razão de 8x1.

Ou seja, os investidores que tinham uma ação da Magazine Luiza passaram a ter oito ações, porém o valor dessa ação seria oito vezes menor que o valor pré desdobramento, não impactando portanto na parte financeira tanto dos investidores quanto da empresa.

Com isso, o valor das ações passaram para a faixa dos R$60, facilitando a compra das ações pelos investidores comuns, isso traz um aumento na liquidez do papel, uma vez que faz surgir mais compradores e consequentemente mais vendedores.

No ano de 2020 a mesma empresa, Magazine Luiza, viu o valor das suas ações chegarem a casa dos R$100, e decidiram realizar um novo split, desta vez na razão 4x1, tornando o preço das ações por volta de R$25, aumentando a sua liquidez.