O que é Inércia Inflacionária 

Inércia Inflacionária é o processo de reajuste automático de preços que se baseia na inflação passada e reflete nos preços presentes.  Um dos principais componentes da inércia inflacionária é a indexação.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Indexação e Inércia Inflacionária

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

A indexação é um mecanismo que faz o reajuste automático dos preços e salários, além de determinar o reajuste em alguns bens e serviços, como é o caso dos aluguéis e também o valor da energia elétrica. 

Existem diversos indexadores econômicos, porém os mais utilizados na economia brasileira são a taxa Selic, o IPCA e também o CDI. Cada indexador tem uma metodologia de mensuração diferente.

O IPCA por exemplo mensura uma cesta de produtos consumidos pelas famílias brasileiras, portanto, ele acompanha a mudança de preço desses produtos durante um determinado período de tempo.

Já a taxa Selic, é uma das principais taxas da economia brasileira é definida nas reuniões do COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil) .Ela influencia as taxa de crédito, financiamento e outros investimentos, como é o caso da poupança, que é atrelada a taxa Selic

Por fim, o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é o indexador mais utilizado no mundo dos investimentos e está relacionado a vários títulos bancários, como CDB, LCI, e LCA.

Esses indexadores são fundamentais para os reajustes de diversos bens, serviços e até mesmo influenciam nos reajustes salariais da população, portanto é um componente que deve ser analisado quando se trabalha inflação e também inércia inflacionária.

Causas da Inércia Inflacionária 

A inércia inflacionária pode ser causada por diversos fatores, porém ela se mantém em uma economia por conta de:

  • Definição de uma meta de inflação mais alta
  • Falta de confiança e credibilidade do Banco Central
  • Expectativa de uma inflação alta no futuro

Por conta de enxergar no horizonte futuro, uma inflação alta, os reajustes feitos no presente começam a refletir um aumento dos preços. Esse aumento acaba diminuindo a demanda pois afeta diretamente o consumidor.

As famílias vêem que sua renda não é suficiente para comprar os mesmos bens que no passado, o que acaba afetando o consumo da população, já que os salários não acompanham o aumento dos preços na mesma velocidade.

Impactos da Inércia Inflacionária

Além da queda do poder de compra da população, causado pelo aumento dos preços, a Inércia Inflacionária causa outros diversos impactos negativos para um país, sendo portanto, um ponto que merece atenção do Estado.

Um dos impactos é a incerteza econômica do país, os empresários e investidores não se sentem confortáveis em investir, produzir e também comprar, uma vez que o cenário econômico não se mostra positivo para  quem gostaria de empreender..

Esse receio também atinge o exterior, causando a queda nos investimentos internacionais, pois os investidores ficam receosos em aportar dinheiro nesses países, pois um aumento elevado da inflação pode significar uma fragilidade econômica naquele momento.

A falta de investimento internacional, por sua vez, causa uma desvalorização da moeda, pois, ocorre um grande aumento na exportação e ao mesmo tempo uma diminuição no volume de importação, fazendo com que a moeda local perca valor perante as moedas estrangeiras.

Um dos impactos causados por uma alta na inflação também é o aumento da taxa de desemprego, pois as empresas se veem obrigadas a cortar custos, dado a alta geral dos preços e também a diminuição do consumo das famílias.

Portanto o governo deve utilizar diversas políticas econômicas, aliado a medidas monetárias para ter um maior controle da inflação, uma vez que o resultado de uma alta na inflação pode causar diversos danos a economia, se espalhando por todos os setores produtivos e de serviços.