O que é Índice de retenção de lucros

Índice de retenção de lucros é o indicador financeiro que calcula o quanto do lucro da empresa está sendo retido para reinvestimento e o quanto é distribuído para os acionistas por meio de dividendos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Objetivo do Índice de retenção de lucros

O principal objetivo do índice de retenção de lucros (também chamada de taxa de retenção) é mensurar o quanto dos lucros obtidos pela empresa em determinado período está ficando para o uso da empresa como forma de reinvestimento.

Essa é uma informação importante, pois contribui para que o investidor possa tomar decisões mais conscientes, de acordo com seus objetivos, no momento de sua alocação de ativos.

Investidores que buscam maior rentabilidade a curto prazo possuem maior interesse em ações de empresas que pagam maiores dividendos.

Entretanto, investidores focados em estratégias de longo prazo preferencialmente investem em ações de empresas com maiores taxas de retenção de lucros, pois isso significa maior disponibilidade de recursos para o desenvolvimento dos negócios.

Como funciona o Índice de retenção de lucros

Existem tanto investidores com estratégias de investimento focadas na valorização a longo prazo das ações das empresas nas quais investem, quanto investidores interessados em reaver mais rapidamente parte do seu investimento.

Esses últimos estão mais interessados na distribuição periódica de parte dos lucros da empresa, por meio dos dividendos.

Contudo, as políticas de distribuição de lucros são particulares de cada empresa, não existindo um único modelo.

Assim, o índice de retenção de lucros, juntamente com o Dividend Yield e outros indicadores, possibilita com que os investidores tenham uma visão mais ampla sobre a política das empresas em relação à distribuição de seus lucros.

O índice de retenção de lucros é calculado através da fórmula:

Índice de Retenção = ((Lucro Líquido - Dividendos) / Lucro Líquido) x 100

Através de um exemplo sua compreensão é facilitada.

Imagine duas empresas, A e B, que no último ano tenham apurado um mesmo valor de lucro líquido de R$ 50.000. Entretanto, a empresa A pagou em forma de dividendos um total de R$ 5.000, enquanto a empresa B pagou R$ 8.500.

Logo, o índice de retenção de lucros da empresa A é de:

(50.000 - 5.000) / 50.000 = 0,9 x 100 = 90%

E a empresa B:

(50.000 - 8.500) / 50.000 = 0,83 x 100 = 83%

Portanto, podemos verificar que a empresa A tem retido uma maior quantidade dos lucros da empresa para reinvestimento no desenvolvimento do negócio.

Diferentemente, a empresa B opta por distribuir uma maior parte dos lucros líquidos apurados, como uma forma de bonificação aos seus acionistas, tendo, porém, menos dinheiro em caixa do que a empresa A para reinvestimento.

Como interpretar o Índice de retenção de lucros

Por si só, o índice de retenção de lucros não indica se uma empresa é “melhor” ou “pior” do que outra em termos de investimento.

Podemos pensar, por um lado, que uma empresa com maior retenção de lucros pode ter mais dinheiro disponível em caixa para reinvestir no seu crescimento.

Por outro lado, podemos pensar que uma empresa com menor índice de retenção de lucros (ou seja, com maior distribuição de dividendos) pode possuir essa estratégia justamente com a finalidade de captar novos investidores interessados em rendimentos periódicos.

Essa estratégia possibilita com que novos investidores sejam atraídos para a empresa, fornecendo maiores recursos para a empresa investir na expansão dos seus negócios.

Ou seja, o índice de retenção de lucros depende de outros fatores, devendo ser incorporado como mais um elemento da análise fundamentalista de ações, possibilitando que os investidores possam escolher os melhores ativos de acordo com seus objetivos.