O que é Índice de preços

Índice de preços é um indicador que acompanha e registra a média da variação de preços de produtos e serviços ao longo de um determinado período de tempo. 

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Cada índice de preços possui uma metodologia, de acordo com a gama de produtos e serviços que se propõe a analisar, sendo importante para revelar como têm sido os movimentos de preços na região estudada no período.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Objetivo do Índice de preços

O objetivo do índice de preços é indicar os movimentos dos preços dos itens analisados, sendo importante para entender a inflação do país, ou seja, o quanto os preços têm aumentado ou diminuído.

Além disso, o índice de preços revela também o efeito, por causa da inflação, da desvalorização da moeda. 

Ou seja, contribui para entender o quanto (em termos percentuais) a moeda perdeu poder de compra.

Já uma contribuição secundária do índice de preços é possibilitar que tanto pessoas físicas quanto pessoas jurídicas e o poder público possam tomar ações mais assertivas no sentido de mitigar o efeito do aumento de preços.

Como funciona o Índice de preços

O primeiro ponto a ser considerado é o fato de que existem diferentes índices de preços, a depender da gama de produtos e serviços dos quais acompanham os preços.

Além disso, alguns índices disponibilizados dividem-se em períodos de apuração, o que faz com que mesmo índices que acompanham exatamente os mesmos produtos e serviços possam ter resultados diferentes por causa de períodos diferentes de apuração.

Um exemplo disso é o IGP (Índice Geral de Preços), disponibilizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), que possui três versões do mesmo índice, a divergir pelo período de apuração dos preços de cada um:

  • IGP-DI (Demanda Interna): mede a variação dos preços no período que vai do dia 1 até o dia 30 ou 31 do mesmo mês. 
  • IGP-10: mede a variação de preços no período que vai do dia 11 do mês anterior ao dia 10 (inclusive) do mês atual. 
  • IGP-M (Mercado): mede a variação de preços no período que vai do dia 21 do mês anterior ao dia 20 (inclusive) do mês atual.

O próprio IGP é calculado através da média aritmética ponderada de outros três índices de preços, sendo eles o IPA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

Cada um deles contribui respectivamente com o peso de 60%, 30% e 10% do resultado do cálculo do IGP.

Um aspecto importante é que os índices de preços são utilizados para finalidades diferentes. 

Por exemplo, o IGP-M é o índice utilizado para reajustes do preço de aluguéis de imóveis, já o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) é utilizado como indexador de investimentos de renda fixa, como alguns títulos do Tesouro Direto.

O INCC, por exemplo, avalia o aumento dos preços de produtos e serviços ligados à construção civil (como mão de obra, insumos, equipamentos etc), tendo um impacto direto nos preços do mercado imobiliário, como terrenos, casas, apartamentos na planta etc.

Em suma, os aumentos são sempre repassados ao consumidor final.

O IPCA, aliás, é o índice oficial da inflação no país, sendo calculado e disponibilizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Pela sua abrangência e relevância, os índices de preços são decisivos para o processo decisório do governo, de empresas e também da população em geral.

O acompanhamento dos índices favorece um consumo com maior consciência, a escolha de investimentos que superem a inflação do país e uma melhor compreensão do impacto do valor da moeda em relação a qualidade de vida da população.