O que é Histerese

Histerese é um fenômeno muito conhecido na área física, mas na economia entende-se como um processo de retardo do crescimento, o que causa efeitos persistentes e até permanentes. 

Em termos físicos a histerese é a capacidade que um sistema tem de conservar a deformação ocorrida mesmo depois da ausência do estímulo que os gerou. Em outras palavras, é o impacto gerado por um evento. 

Histerese é um termo de origem grega que significa retardo. É um fenômeno muito visto nos estudos de campos magnéticos, mas na economia se entende como os momentos de crise enfrentados por diversos países. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Histerese na economia

O conceito da Histerese vem da física e é estudada em diversas áreas, a mais conhecida está no campo de magnetismo, mas também é observada nos estudos da mecânica clássica, tráfego, biologia, epidemiologia e entre outros. 

Na economia a Histerese é observada quando um determinado país passa por um evento de recessão que causa graves consequências. Na teoria os sistemas econômicos passam por crises, mas logo apresentam quadros de melhoria. 

Na prática sabemos que não é bem assim, algumas consequências de uma recessão são quase permanentes e persistentes, ou pelo menos demora muitos anos para voltar à normalidade. 

Vale ressaltar também que quanto maior for a recessão maiores são seus impactos e a permanência deles no sistema econômico. 

Nesse sentido, podemos entender que o PIB (Produto Interno Bruto), por exemplo, após uma crise não se recupera da mesma forma e muitas vezes pode se manter as consequências do enfrentamento de uma crise. 

Histerese no Brasil 

Na história econômica brasileira observamos diversos momentos de grandes crises e recessões que ocasionaram diversos efeitos que podem ser sentidos até hoje. 

Uma das partes mais afetadas é a taxa de desemprego, por exemplo, que pode ser caracterizada como um fenômeno de Histerese, pois mesmo após uma crise (estímulo causador) a taxa de desemprego continua a subir. 

Isso ocorre porque a crise afeta diretamente as indústrias, comércios e todos os tipos de negócios que são obrigados a demitir seus funcionários e contribuem para o aumento da taxa de desemprego, que por sua vez aumenta a taxa de endividamento. 

Acredita-se que são nesses momentos de alta de desemprego que muitas pessoas aceitam cargos mais baixos, bem como salários menores, o que não é visto como uma melhora econômica e sim como um dano permanente. 

Um exemplo de uma crise e suas consequências em cadeia, está na crise econômica gerada pelo Covid -19 (estímulo). Ainda não se sabe por quanto tempo as consequências dessas crises vão permanecer na economia mundial e na brasileira. 

Também é desconhecido a forma com que cada país vai enfrentar essas consequências e seu tempo de recuperação. Acredita-se que alguns países voltaram aos seus índices econômicos normais em menos tempo que em outros países. 

O efeito cascata de uma crise pode se agravar ainda mais com os efeitos políticos, pois uma boa gestão do poder público é um fator determinante para a volta da normalidade econômica. 

Quanto mais rápido e mais eficiente o poder público agir, implementando medidas e garantindo estabilidade, mais provável a economia de um país sair da Histerese

Histerese e os investimentos

Pode-se imaginar os impactos causados por uma recessão econômica nos investimentos, tanto na renda fixa quanto na variável existem diversas consequências que podem permanecer. 

Alguns dos principais efeitos de uma crise podem afetar a percepção do investidor e o seu grau de confiança em um determinado investimento. Se uma pessoa possui ações na bolsa de valores e presencia uma crise e perde uma parte do seu capital, é provável que esse investidor terá mais receio de aplicar nesse tipo de investimento, o que torna um evento permanente ou persistente.