HGCR11: CSHG Recebíveis Imobiliários Vale a Pena?
| ,

HGCR11: CSHG Recebíveis Imobiliários Vale a Pena?

Veja se o fundo imobiliário HGCR11, CSHG Recebíveis Vale a Pena? Rendimento, dividendos e vantagens deste FII.

Por
Atualizado em 18/11/2019
Avalie esse texto

O Fundo Imobiliário HGCR11 propõe riscos menores e renda isenta de imposto de renda, tornando uma das opções para ampliar seu patrimônio.

Em um momento onde a rentabilidade da renda fixa enfrenta uma das quedas mais significativas da história, buscar Fundos de Investimentos rentáveis se torna fundamental para assegurar crescimento de capital.

Nesse cenário, conhecer as características e particularidades dos diferentes Fundos Imobiliários disponíveis no mercado é essencial!

O HGCR11 é um fundo imobiliário do tipo papel, com cotas comercializadas desde 2009. 

Destinado a investidores em geral, sua carteira é focada em ativos de renda fixa atrelados a algum empreendimento imobiliário.

Se você procura oportunidades de investimento imobiliário de baixo risco, que gere renda isenta de impostos e ganhos superiores aos da renda fixa, precisa conhecê-lo!

Embora os mercados possam mudar, bons conselhos de investimento são atemporais. David Bakke, investidor e autor de livros sobre finanças norte-americano.

Pronto para conhecer as características do HGCR11 e descobrir como este fundo gera rendimentos superiores ao da renda fixa?

Neste artigo você vai descobrir tudo o que precisa sobre o HGCR11 e investir de maneira consciente:

  • O que é HGCR11;
  • Dividendos pagos pelo HGCR11;
  • Resumo da carteira;
  • Alocação de ativos;
  • Negociação e liquidez deste Fundo Imobiliário;
  • Riscos;
  • Dados oficiais do HGCR11.

Leia até o final e descubra se o Fundo Imobiliário HGCR11 é o investimento ideal para atingir a independência financeira com maior rapidez e eficiência! 

O que é HGCR11?

A sigla HGCR11 se refere ao Fundo Imobiliário (FII) CSHG Recebíveis Imobiliários, criado em dezembro de 2009 e administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores SA.

Com foco em investidores em geral, este FII centra sua atenção em ativos do segmento imobiliário, especificamente CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários).

Assim, o HGCR11 é um fundo de papel

Nesta classe de Fundo Imobiliário a captação de recursos é destinada a ativos que representam dívidas imobiliárias, como o próprio CRI, LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e outros valores do setor.

Seu objetivo é proporcionar aos cotistas uma rentabilidade próxima à variação do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) bruto.

A primeira emissão de cotas foi de 30 mil, comercializadas a R$ 1 mil cada, constituindo um patrimônio inicial de R$ 30 milhões.

Em outubro de 2019, o HGCR11 apresentava um valor de mercado de R$ 1,09 bilhão e mais de 38 mil cotistas. 

Banner will be placed here

HGCR11 Dividendos

O rendimento por cota do HGCR11 em outubro de 2019 atingiu R$ 0,74, o que representa 0,59% no mês.

Nos últimos 12 meses, os rendimentos mensais do HGCR11 somaram R$ 9,14, o equivalente a 7,31% sobre o seu atual valor de mercado.

Veja na tabela abaixo os rendimentos distribuídos nos últimos 12 meses (primeira linha) e o saldo de resultado acumulado (rendimentos ainda não distribuídos) na linha seguinte.

HGCR11 Rendimento 2019
HGCR11 Rendimento 2019
HGCR11 Gráfico Rendimento 2019
HGCR11 Gráfico Rendimento 2019

HGCR11 Rentabilidade

Desde seu IPO, a rentabilidade (rendimentos mensais mais valorização da cota) registrada foi de 257,2%.

HGCR11 Gráfico de Rentabilidade
HGCR11 Gráfico de Rentabilidade

O fundo imobiliário HGCR11 tem apresentado rendimentos consistentes nos últimos 12 meses, superando inclusive a rentabilidade do Ibovespa (índice da bolsa de valores).

HGCR11 vs Ibovespa
HGCR11 vs Ibovespa

Resumo da Carteira do HGCR11 

A carteira do HGCR11 é composta principalmente por CRIs Corporativos e Residenciais, que são títulos emitidos por securitizadoras de crédito a fim de financiar investimentos no mercado imobiliário.

Estes títulos geram direitos a seus cotistas, periodicamente ou em seu vencimento. 

No entanto, não são investimentos diretos em empreendimentos imobiliários: São papéis de dívidas lastreados em financiamentos e outros créditos relacionados ao setor.

A carteira deste FII conta ainda com pequena parcela de investimentos em LCI, outros títulos de Renda Fixa e, inclusive, outros FII compatíveis com a política de investimentos do Fundo.

Assim como o CRI, a LCI é um título de dívida imobiliária. A diferença é que estes papéis são emitidos por entidades financeiras, contando com garantias diferenciadas e baixo risco. 

Alocação por Instrumento

De acordo com o relatório gerencial de 31 de outubro de 2019, a alocação por instrumento do HGCR11 apresenta a seguinte distribuição:

A imagem abaixo demonstra a alocação de ativos no HGCR11

HGCR11 Alocação de Ativos
HGCR11 Alocação de Ativos

Alocação por Indexador

A alocação de ativos por indexador do HGCR11 mescla índices conectados à variação da inflação e CDI.

Taxa praticada entre empréstimos realizados entre bancos, o CDI é o indexador comumente utilizado para o cálculo de rentabilidade de investimentos de renda fixa. 

Alguns exemplos são: CDBs (Certificado de Depósito Bancário), LCAs (Letra de Crédito do Agronegócio) e LCI.

Já os índices ligados à variação da inflação utilizados no HGCR11 são três:

  • IGP-DI (Índice Geral de Preços –Disponibilidade Interna);
  • IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado);
  • IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

O IGP-DI e o IGP-M são calculados mensalmente pelo IBRE (Instituto Brasileiro de Economia), uma divisão da Fundação Getúlio Vargas (FGV). 

Ele reflete as variações de preços em itens de consumo e bens de produção, assim como os custos relacionados à moradia, lazer e serviços.

O IPCA é medido mês a mês pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), organização governamental, e visa refletiras variações de preços ao consumidor final. 

Diversificação 

Em outubro de 2019, a carteira do HGCR11 apresentava investimento em 38 diferentes CRIs.

O ativo com maior participação em carteira é o CRI da Renner/WeWork, com rentabilidade híbrida (CDI +3,25% ao ano).

Este ativo representa 9,96% do patrimônio líquido (PL) do fundo e está atrelado a um imóvel localizado em São Paulo. 

HGCR11 CRI Renner We Work
HGCR11 CRI Renner We Work

Este CRI mostra um LTV (Loan to Value) de 72%. Isso significa que o valor da dívida assumida assume essa proporção em relação ao valor do imóvel dado em garantia. 

Negociação e Liquidez HGCR11

No mês de outubro de 2019, o volume financeiro negociado foi de R$ 131,3 milhões, somando R$ 544,7 milhões no ano.

Nos últimos 12 meses, o volume atingiu R$ 575,7 milhões.

HGCR11 Gráfico Liquidez
HGCR11 Gráfico Liquidez

Riscos do HGCR11

Como toda classe de investimentos, o HGCR11 não está isento de riscos. Falemos sobre quais os principais deles.

Risco de Concentração

O risco de concentração reflete a alocação de ativos em carteira: Uma carteira mais diversificada e pulverizada significa menores riscos para quem investe.

A avaliação desse risco é feita através de uma análise de distribuição do capital do fundo, verificando o volume de concentração entre os mesmos emissores e devedores de títulos.

Quanto ao HGCR11, o portfólio é composto por 38 CRIs distintos. O mais representativo representa 9,96% do capital do fundo. 

Risco de Crédito

O risco de crédito surge com a possibilidade de inadimplência por parte da emissora de um título ou de seu tomador.

Como a carteira do HGCR11 é majoritariamente composta por CRIs, que são títulos atrelados à imóveis. Caso os pagamentos não sejam honrados, esses imóveis serão tomados em pagamento.

O risco enfrentado então será em relação ao tempo entre converter o bem em dinheiro. 

Dados do HGCR11

Agora que já conhece as características do HGCR11, conheça suas informações: 

Dúvidas sobre HGCR11

Certas dúvidas sobre o HGCR11 são comuns. Selecionei algumas delas e as respondo agora, de forma direta.

Como comprar HGCR11?

As compras de cotas do FII HGCR11 são feitas através de uma corretora de valores. Caso ainda não tenha conta em uma, abri-la é o primeiro passo.

Logo, é preciso que efetue a transferência do capital que deseja investir para sua conta e, com fundos disponíveis, acesse o Home Broker.

Busque o FII por seu código (HGCR11), selecione a quantidade de cotas, o valor que pretende pagar por elas, envie a ordem de compra e aguarde a confirmação.

Onde achar o informe de rendimentos do HGCR11?

Os informes de rendimentos do HGCR11 estão disponíveis no site oficial do fundo e no site da BM&FBovespa. Basta acessar a aba “Relatórios Financeiros”. 

Onde achar o relatório gerencial do HGCR11?

Assim como o informe de rendimentos, a gestora do HGCR11 disponibiliza o relatório gerencial em sua página oficial.

Além disso, o mesmo se encontra disponível para verificação no site da BM&FBovespa

Quer Investir nos Melhores Fundos Imobiliários? Baixe Grátis o Relatório “3 Melhores FIIs para Receber Aluguéis”

HGCR11 Vale a Pena?

Destinado a todos investidores, o HGCR11 busca oferecer rentabilidade que acompanha a variação do CDI através de investimentos imobiliários isentos de imposto de renda e com baixo risco.

Composto essencialmente por CRIs corporativos e residenciais, vem apresentando rentabilidade positiva desde sua oferta pública inicial.

O HGCR11 é gerido pelo Credit Suisse, um dos mais renomados gestores de Fundos Imobiliários do país. 

Sua carteira é adequadamente diversificada e os resultados são consistentes desde o início do fundo.

É um fundo que agrega qualidade e consistência ao seu portfólio de FIIs. Portanto, o HGCR11 vale a pena.

Cuide apenas para não pagar caro demais. Até o melhor ativo do mundo pode ser mau negócio se comprado acima do preço correto.

Você investe em Fundos imobiliários? Se ainda não, o que falta para começar?

Conte nos comentários! Quem sabe eu possa ajudar!

HGCR11 Relatório

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais