O que é Heurística do Afeto

Heurística do Afeto é um dos atalhos mentais utilizados no processo de tomar decisões que utilizem o julgamento emocional como principal maneira de escolha.

Os seres humanos possuem diversos atalhos mentais que auxiliam na tomada de decisão, muitos deles vêm do inconsciente do cérebro. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona a Heurística do Afeto

Primeiramente é preciso entender o que é a Heurística que pode ser definida como um processo de tomada de decisão que nosso cérebro tem para escolher entre um item A ou B, por exemplo. 

Quando o cérebro pensa numa escolha que deve tomar, começa a pensar em todos os aspectos, racionais ou nem tantos. O maior problema é que fazemos muitas escolhas ao longo do dia e por isso é um processo bem rápido. 

Existem pessoas que demoram algumas horas escolhendo a roupa que irá para o escritório, mas existem escolhas mais rápidas como escolher o par de meias na gaveta. 

Para todas essas pequenas ações do dia a dia o cérebro emite um julgamento, talvez uma pessoa possa julgar a primeira roupa que vi no armário como uma roupa muito formal, ou informal para o trabalho.

Outro ponto que influencia é a temperatura ambiente, talvez a pessoa tenha ouvido ontem no noticiário que uma frente fria estava a caminho. Então o cérebro humano vai conectando informações para tomar decisões. 

Isso faz parte do instinto de sobrevivência. Na época em que o homem primitivo vivia em cavernas, ele precisava tomar decisões rápidas para ter a caça, por exemplo, bem-sucedida. 

Para o estudo da Heurística há alguns tipos de Heurística, como a do afeto, da representatividade, da disponibilidade, da ancoragem entre outras. 

Todos esses tipos de Heurística são atalhos da mente que são levados em consideração na hora de fazer escolhas entre qual roupa vestir ou até mesmo qual tipo de investimento aplicar. 

A Heurística do Afeto é responsável por nos fazer tomar decisões com base no que gostamos ou não. Ao analisar um cenário é comum coletarmos, identificarmos mais aspectos positivos do que gostamos. 

E ao contrário, acabamos coletando, analisando mais informações negativas de algo que não gostamos, e isso pode influenciar a tomar decisões com base em nossas emoções, podendo levar a prejuízos. 

De certo modo o cérebro é mais atraído por respostas convenientes e que agradam um determinado ponto de vista. 

Por exemplo, se uma pessoa acredita que fica mais bonita em uma blusa azul e se acha menos atraente vestindo uma blusa verde, ela se convence a comprar apenas blusas azuis todas as vezes que vai em uma loja.

Nesse contexto exemplificado a pessoa cria justificativas em sua mente para apoiar suas escolhas, se convencendo de que azul é melhor que verde. 

A Heurística do Afeto e os investimentos 

No universo das finanças os atalhos mentais também funcionam e muitas vezes são irracionais e são tomadas pelo inconsciente dos seres humanos. 

Escolher qual investimento aplicar não é uma tarefa fácil, principalmente se for na renda variável, pois nesse mercado para se alcançar uma boa rentabilidade é preciso tomar uma série de escolhas. 

Quais, quantas e quando comprar e vender ações é um exercício complexo que exige a adoção de estratégias de escolhas com base na lógica e na razão. 

Infelizmente para esse tipo de investimento a Heurística do Afeto não é uma boa estratégia de tomada de decisão, pois ouvir apenas suas emoções pode trazer maiores riscos. 

Nesse contexto é necessário utilizar a combinação de outras análises como a análise de probabilidade, de estatística, análise fundamentalista, análise técnica e entre outras. 

Compreender o processo de tomada de decisão do cérebro humano é uma ferramenta importante para qualquer tipo de investimento, seja na renda fixa ou na renda variável.