A Gol (GOLL4) informou nesta segunda-feira, 16, que seu diretor-presidente, Paulo Kakinoff, fará a transição de seu cargo tornando-se membro do Conselho de Administração.

O vice-presidente de Operações, Celso Ferrer, sucederá Kakinoff como diretor-presidente a partir de 1º de julho de 2022. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa destaca que, Kakinoff, no posto desde 2012, liderou a companhia em momentos de grande turbulência do setor e transformou a experiência do Cliente Gol.

"Temos uma brilhante equipe de líderes e o nosso Conselho sempre se dedicou, de forma disciplinada, à sua fundamental atribuição de supervisionar um plano de sucessão bem estruturado para os principais cargos de liderança," afirma Constantino de Oliveira Junior, presidente do Conselho de Administração da Gol no comunicado.

Celso, 39 anos, e ingressou na empresa aérea em 2003, e ocupou cargos como vice-presidente de Planejamento e vice-presidente de Operações.

Ele também é um piloto de aeronaves Boeing 737. É formado em economia pela Universidade de São Paulo, em relações internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e possui MBA pelo Insead.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Gol no Primeiro Trimestre de 2022 

resultado da GOL (GOLL4) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 28 de abril, apresentou um lucro líquido de R$ 2,6 bilhões no 1t22, apresentando alta de 204% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. 

Ebitda recorrente da Gol atingiu R$ 542,2 bilhões no 1T22, apresentando alta de 852,0% na comparação com o 1T21.

margem Ebitda recorrente da Gol totalizou 16,8% no 1T22, apresentando crescimento de 21,4 pontos percentuais na comparação com o 1T21. 

margem líquida da Gol atingiu 81,0% no 1T22, apresentando crescimento de 240,8 pontos percentuais na comparação com o 1T21.

As ações da GOL (GOLL4) acumulam de alta de 6,73% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 39,39% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.