O que é Gap?

Gap é uma palavra de origem inglesa que significa “vão”. Gap é um termo utilizado no mercado financeiro para denominar o momento onde um gráfico mostra um sobressalto no valor do ativo, ou um descolamento.

O Gap é um indicador importante na hora da análise gráfica de uma ação ou ativo. A partir do Gap o investidor consegue desenvolver uma estratégia ou até iniciar uma operação de investimento.

Vale destacar que o Gap não acontece com frequência. Portanto, o seu evento gera grande interesse no mercado financeiro como um todo.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Gap na Prática

Quando o Gap aparece em um gráfico, o mesmo pode sinalizar a possibilidade de entrada ou saída de um investimento.

Um Gap que surge para dar início a uma movimentação de alta, pode estar sinalizando uma valorização elevada do ativo.

Já um Gap que inicia uma movimentação de queda, provavelmente estará prevendo uma desvalorização maior do ativo.

Em ambos os casos existem operações que podem ser construídas para aproveitar tais momentos.

As operações podem ser tanto de compra de ações, aluguel ou até com derivativos, como é o caso das opções.

Vale destacar que o Gap se dá através de um descolamento de um gráfico. Esse descolamento pode ser tanto para cima quanto para baixo.

Tipos de Gap

Na hora da análise de um gráfico o investidor pode se deparar com quatro tipos de Gap. Eles são:

  • GAP de Área;
  • GAP de Fuga ou Perfuração;
  • GAP de Medida ou de Continuação;
  • GAP de Exaustão;

O Gap de Área é aquele que aparece de forma aleatória e rapidamente é desfeito no gráfico. Geralmente o Gap de Área ocorre em um momento de grande fluxo no mercado financeiro.

O Gap de Fuga ou Perfuração é aquele que mostra uma tendência aguda no gráfico. Ou seja, é provável que haja uma movimentação elevada de venda ou de compra.

Quando ocorre uma movimentação assim, para um dos lados, o gráfico pode mostrar um Gap com uma fuga para baixo ou para cima do ativo.

O Gap de Medida ou de Continuação geralmente surge em momentos onde existe uma tendência se construindo para o ativo.

Ou seja, são momentos onde o ativo está se encaminhando para um período de retração ou de valorização, por exemplo.

E por último nós temos o Gap de Exaustão. Esse Gap mostra que está se aproximando um momento de reversão.

Então, é bem provável que a tendência de alta ou queda esteja perto do fim com uma reversão logo à frente.

Cuidados com o Gap

Para aqueles que fazem operações de curto e longo prazo, o Gap pode ser muito interessante como indicador, mas pode ser também um problema.

Quando o Gap acontece, havendo um descolamento do gráfico do ativo, os Stops e até os robôs de investimentos podem registrar problemas para sair da operação, ou até para iniciar a mesma.

Por exemplo: O investidor montou uma operação financeira com um Stop Loss em R$ 15,00. Isso significa que se o ativo em questão chegar aos R$ 15,00, ou abaixo disso, o Stop vai lançar uma ordem de venda encerrando a operação.

Porém, quando ocorre um Gap, o Stop Loss pode não ser acionado. Se o ativo está em R$ 16,00 e de repente o Gap lança o ativo aos R$ 14,75 de uma só vez, é possível que o Stop não seja acionado.Coisa similar pode acontecer com um Stop Gain. O investidor quer vender o ativo quando o mesmo chegar ou ultrapassar os R$ 20,00.

Se ocorrer um Gap e lançar o mesmo para R$ 21,00, o Stop pode não ser acionado e o investidor pode perder a oportunidade de encerrar a operação com lucro.