O que é o G-20?

O G-20 é uma sigla utilizada para denominar o grupo das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia.

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Dentre as atividades exercidas pelo G-20, nós temos as discussões referentes a diversos temas relacionados aos 20 membros do grupo.

A base dos assuntos gira em torno da economia e da prosperidade das nações que fazem parte e do mundo como um todo.

Atualmente o G20 é composto pelos seguintes membros:

  • Estados Unidos;          
  • China;  
  • Zona Euro;     
  • Japão;  
  • Alemanha;
  • Índia;
  • Reino Unido;
  • França;
  • Itália;
  • Brasil;
  • Canadá;          
  • Rússia; 
  • Coreia Do Sul;
  • Espanha;        
  • Austrália;       
  • México;                          
  • Indonésia;     
  • Holanda;        
  • Arábia Saudita;
  • Turquia;
  • Suíça;
  • Argentina;     
  • Cingapura;     
  • África Do Sul;

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

G-20 na Prática

Por se tratar dos países com as maiores economias e maiores concentrações de riquezas do planeta, as reuniões realizadas pelos membros do G-20, influenciam de várias formas a economia mundial.

Além da economia, assuntos como a preservação da natureza, também são tratados na reunião.

O G-20 teve início em 1999, sendo que a partir de 2009 as reuniões dos 20 membros começaram a ser anuais.

A cada ano a reunião dos membros do G-20 ocorre em um país diferente. Além dos presidentes, nas reuniões do G-20, os principais ministros de cada país membro ou região também são convidados.

Por exemplo, o ministro da economia, ou das relações exteriores também é convocado à reunião.

Só para o leitor compreender a dimensão do G-20, as nações membros do grupo representam juntas 80% do comércio global e 85% do crescimento.

Influencia do G-20

Por se tratar de um grupo de países que possuem grande participação no comércio mundial, as decisões tomadas na reunião do G-20 têm influência significativa.

Por exemplo, vem aumentando a atenção sobre questões envolvendo o crescimento sustentável e a adoção de novas tecnologias “limpas”.

Esse tipo de iniciativa tem tudo para influenciar não somente as atividades dos países membros, mas como todo o comércio mundial.

A adesão dos países membros a protocolos pode gerar impactos que vão até 80% do comércio mundial, considerando que os membros são responsáveis por tal número.

Sendo assim, as decisões tomadas dentro do G-20 são extremamente relevantes para o contexto socioeconômico.

Inclusive os encontros do G-20 têm função importante em aproximar países concorrentes, ou em disputa.

Um bom exemplo é a China, Estados Unidos e Rússia. Os três países são de certa forma antagonista no contexto mundial e no G-20, os três países têm uma oportunidade de se aproximar e deixar as “desavenças” de lado.

Benefícios do G-20

A reunião do G-20 só tem a beneficiar o mundo. Com as reuniões, diversos temas são tratados e novas diretrizes são assumidas pelos países membros.

As reuniões, pautas e discussões servem para colocar os 20 membros na mesma página em diversos assuntos.

Por exemplo, através do G-20 várias medidas foram avaliadas para serem aplicadas em diferentes crises. Desde a crise hipotecária de 2008 até a atual crise da COVID-19.

Como pano de fundo para novas iniciativas do G-20, nós temos as iniciativas em prol do meio ambiente.

A redução da emissão de carbono na atmosfera, junto da adoção de tecnologias limpas. Uma iniciativa que vem ganhando força é a substituição dos veículos movidos por combustível fóssil.

Ao invés de utilizar esse tipo de veículo, as pessoas podem começar a utilizar os veículos movidos a bateria.

Outro ponto que vem ganhando força é relacionado a produtos de energia limpa, através do vento ou do sol, por exemplo.