O fundo Giant Zarathustra, da Giant Steps, terá uma “última grande abertura” para captação em 1º de março, segundo informou a gestora.

O produto, que realizou uma abertura pontual no ano passado, estava há quase dois anos fechado para novas aplicações.

Segundo a gestora Giant Steps Capital, após essa última rodada de captação, o fundo será fechado em definitivo “motivada pela alta demanda dos investidores”

O Giant Zarathustra Advisory FIC FIM é o carro-chefe da Giant Steps. Com estratégia quantitativa, arrojado, possui um dos melhores retornos da indústria local de multimercados.

Desde o início de sua operação, em março de 2012, o Giant Zarathustra acumula rentabilidade de 278%, contra 253% do CDI no período.

A aplicação mínima será de R$ 10 mil, e a captação terá listagem em diversas plataformas de investimento, como XP, BTG Pactual, Ágora, Vitreo, C6 Bank, Órama, Rico, Easynvest, Necton, Warren, Guide, RB Investimentos e Mirae.

O fundo tem taxa de administração de 1% ao ano, além de uma taxa de performance de 27,5% sobre o que exceder 100% do CDI.

São atualmente 15 mil cotistas e um patrimônio líquido de R$ 3,131 bilhões.

Assim que atingir o “capacity” estimado, a gestora fechará também o Giant Darius, fundo-espelho do Zarathustra.

Continuarão abertos o fundo Giant Sigma e a estratégia de previdência (Giant Prev).

Fundo quantitativo

O Giant Zarathustra tem por característica ser completamente descorrelacionado do Ibovespa e de outros grandes fundos da indústria brasileira.

Em 2020, por exemplo, em meio ao auge do isolamento social e do fechamento das economias após a pandemia, os fundos quantitativos se destacaram com rendimentos acima da média. 

Isso faz desse segmento uma opção para diversificar a carteira e realizar um hedge de carteira, aumentando a segurança e diminuindo o risco.

A Giant Steps, uma das principais gestoras de estratégia quantitativa no Brasil, na qual a escolha de ativos é controlada (total ou parcialmente) por algoritmos.

Dessa forma, é capaz de eliminar o fator emocional e processar grandes quantidades de dados, permitindo decisões amparadas em modelos matemáticos.

Os fundos quantitativos ja são muito importantes na indústria mundial.

No Brasil, este mercado ainda está em desenvolvimento, mas vem, cada vez mais, ganhando espaço com gestores buscando implementar essa estratégia em suas análises.