O que é fundo passivo e como funciona

Fundo Passivo

O que é fundo passivo. Significado, conceito, para que serve e como funciona.

O que é fundo passivo?

Fundo passivo é um fundo de investimento que tem uma gestão passiva. Ou seja, é um fundo em que o gestor deve apenas acompanhar um indicador pré-determinado.

Os fundos passivos geralmente são aqueles que aplicam os recursos dos cotistas na formação de uma carteira de investimentos que apenas replica um índice específico, determinado pela regra do fundo.

Neste caso, o fundo é passivo, pois a alocação dos ativos não é definida pelo gestor do fundo mas sim pelo índice que se está imitando.

Os fundos passivos podem ser fundos tradicionais, que seguem algum índice específico, ou podem ser ETFs (Exchange Traded Fund) que são negociados em bolsa.

A característica de fundo passivo também é presente na modalidade de fundos imobiliários.

Neste caso, um fundo imobiliário de gestão passiva é aquele em que o fundo é constituído apenas para investir e administrar um imóvel, ou conjunto de imóveis, sem que haja a avaliação de outras oportunidades.

Ou seja, o fundo não irá negociar compra e vendas dos imóveis do fundo. Apenas irá administrar a relação com os inquilinos, fazer reparos necessários e resolver pendências burocráticas.

Banner will be placed here

Como funciona um fundo passivo?

Um fundo passivo funciona como qualquer outro tipo de fundo de investimento. 

O dinheiro aplicado dos investidores são somados em um conjunto único e administrado por um gestor, que decidirá, com base no índice de referência, quais ativos serão comprados. 

Os fundos passivos seguem as normas de funcionamento da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que é o órgão que fiscaliza o mercado financeiro e de capitais do Brasil.

Cada fundo apresenta ainda uma regulamentação própria, com regras definidas quanto à sua forma de operação.

As regras do fundo devem constar os objetivos a serem perseguidos, como o índice de referência, os tipos de ativos que deverão compor a carteira, e os custos cobrados para os participantes.

No Brasil, há uma infinidade de fundos passivos, do tipo ETFs, disponíveis para o investidor. Aqui a B3 fornece uma lista de todos os ETFs que existem para negociação na bolsa de valores.

Caso o investidor queira adquirir um ETF que simule o Ibovespa deverá comprar o BOVA11. Já se quiser se expor ao S&P500 a opção é o IVVB11.

Estrutura operacional de fundo passivo

Esse tipo de fundo também precisa apresentar uma estrutura administrativa profissional e transparente, contando com os seguintes serviços:

  1. Gestor: quem decide a estratégia e as ações a serem compradas e vendidas;
  2. Custodiante: quem faz a guarda dos ativos do fundo (esse trabalho normalmente é feito por grandes bancos);
  3. Distribuidor: quem vende as cotas do fundo para os investidores no mercado. Geralmente são bancos e corretoras de valores;
  4. Auditor externo: quem verifica se as informações do fundo apresentadas aos contidas estão corretas;
  5. Administrador: quem é responsável pelo trabalho administrativo e burocrático para que o fundo funcione corretamente.

Como investir em fundo passivo?

O investimento em fundo passivo, do tipo ETF, é semelhante ao processo de negociação de ações em bolsa.

O primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora de valores e enviar o dinheiro desejado para aplicação.

Feito isso, basta acessar o home broker da corretora e inserir o código do ETF (ticker), como “BOVA11”, por exemplo.

Em seguida, indique a quantidade e o preço de oferta e esperar a negociação ser executada no mercado.

Vantagem de investir em fundo passivo

A grande vantagem de um fundo passivo é a possibilidade de aumentar a diversificação de ativos de sua carteira de investimentos. 

Como no exemplo dos ETFs disponíveis na B3, a compra de um único ativo, como o BOVA11, permite ao investidor adquirir uma carteira com todos os ativos que estão no Ibovespa.

Esse tipo de aplicação torna a vida do investidor mais fácil, pois só no Ibovespa há ações de mais de 60 empresas.

Comprar todas essas ações seria uma atividade custosa e trabalhosa para o investidor, o que é bem mais viável a partir da compra de uma única cota de um ETF.

Além disso, os fundos passivos são interessantes pois inibem o risco da gestão ativa. É bom lembrar que os fundos com gestão ativa tem sempre o risco do gestor fazer algo errado.

No caso dos fundos passivos isso é praticamente inexistente, pois a carteira do fundo deverá seguir fielmente o índice de referência.

Por fim, a última vantagem dos fundos passivos é que estes tendem a apresentar custo de administração menor.

Isso porque o trabalho do time de gestores é mais simples, o que exige menor esforço de análise em comparação com fundos de investimentos de gestão ativa.

E aí, ficou interessado em conhecer mais sobre os fundos de investimentos? Saiba que temos um artigo completo sobre o assunto bem aqui.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE