O que é fundo de crédito privado?

Fundo de crédito privado é um tipo de fundo de investimentos que visa realizar aplicações em títulos de renda fixa emitidos por empresas (debêntures) ou bancos privados.

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Ou seja, os fundos de crédito privado fazem investimentos em títulos privados de dívida.

O crédito privado são títulos emitidos por instituições privadas que são utilizados para captar recursos que serão investidos em algum projeto.

Quem aplica recursos em títulos de dívida privada acaba emprestando dinheiro para o emissor que deverá remunerar o capital aplicado com uma taxa de juros combinada no momento da adesão.

Para ser considerado um fundo de crédito privado, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estabelece que o fundo deve investir no mínimo 50% de seu patrimônio líquido em títulos de dívida corporativa. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Para que servem os fundos de crédito privado?

Os fundos de crédito privado são ótimas escolhas para investidores que queiram diversificar sua carteira de renda fixa e mitigar o risco proveniente da dívida corporativa.

Estes tipos de fundos possuem uma grande quantidade de títulos privados em suas carteiras, o que contribui para diluir o risco deste investimento.

Além disso, os fundos de crédito privado permitem que os investidores possam adquirir um ativo que contenha uma grande quantidade de títulos, o que normalmente não é possível para o investidor iniciante.

Na maioria das vezes, a compra de títulos de dívidas corporativas exigem aportes maiores, sendo os mais baixos no valor de mil reais.

Isso inibe a capacidade dos investidores que estão entrando no mercado financeiro de criar uma carteira diversificada de títulos de renda fixa, o que faz com que os fundos de crédito privado sejam muito importantes.

Como funciona o fundo de crédito privado?

Os fundos de crédito privado apresentam uma estrutura operacional semelhante aos demais fundos de investimentos.

Como todo fundo de investimento, os fundos de crédito privado funcionam como uma espécie de condomínio.

O dinheiro aplicado dos investidores são somados em um conjunto único e administrado por um síndico (gestor do fundo), que decidirá quais títulos de dívida serão adquiridos

Neste caso, os ganhos e perdas do fundo serão repartidos de forma proporcional à participação de cada investidor. 

Da mesma maneira é a repartição dos custos administrativos, que poderão ser cobrados como uma porcentagem do capital investido mais uma taxa de performance, que incidirá sobre os ganhos dos investimentos.

Cada fundo apresenta ainda uma regulamentação própria, com regras definidas quanto à sua forma de operação.

As regras do fundo devem constar os objetivos a serem perseguidos, a classe dos fundos que deverão compor a carteira e os custos cobrados para os participantes.

Os fundos de crédito privado também precisam apresentar uma estrutura administrativa profissional e transparente, contando com os seguintes serviços:

  1. Gestor: quem decide a estratégia e os fundos que serão comprados;
  2. Custodiante: quem faz a guarda dos ativos do fundo (esse trabalho normalmente é feito por grandes bancos);
  3. Distribuidor: quem vende as cotas do fundo para os investidores no mercado. Geralmente são bancos e corretoras de valores;
  4. Auditor externo: quem verifica se as informações do fundo apresentadas aos contidas estão corretas;
  5. Administrador: quem é responsável pelo trabalho administrativo e burocrático para que o fundo funcione corretamente.

Ativos que compõem um fundo de crédito privado

Como dito anteriormente, para ser um fundo de crédito privado um fundo deve ter ao menos 50% dos ativos de sua carteira compostos por títulos de dívida privada.

Dessa forma, os títulos de crédito privado que devem compor a carteira deste tipo de fundo são:

  • Debêntures;
  • Notas promissórias;
  • Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA);
  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

A diferença entre os fundos de crédito privado e os demais fundos de renda fixa é que os primeiros apresentam maior risco.

Os fundos de renda fixa aplicam em títulos mais seguros como Tesouro Direto, CDB, LCI e LCA

Os títulos do Tesouro têm a garantia de ser um título público, que é um tipo de investimento praticamente livre de risco.

Já os CDB, LCI e LCA apresentam garantia fornecida pelo Fundo Garantidor de Crédito.

Essas garantias não existem para os títulos de dívida privada, como as debêntures, o que justifica o maior risco e, portanto, maior remuneração desse tipo de título.

Sendo assim, os fundos de crédito privado, embora tenham elevado risco, tendem a apresentar uma maior remuneração em comparação com os fundos de renda fixa.

Gostaria de saber mais sobre os fundos de crédito privado? Saiba que temos um artigo completo explicando tudo sobre o assunto.