O que é Freemium e como funciona

Freemium

O que é freemium. Significado, conceito, para que serve e como funciona.

O que é freemium?

Freemium é uma combinação das palavras “free” (grátis) e “premium” (recompensa).

O termo freemium é um tipo de modelo de negócios que envolve oferecer aos clientes produtos e/ou serviços complementares sem cobrar nada a mais por isso. 

Outra forma que o modelo freemium toma é quando uma empresa fornece produtos e/ou serviços simples gratuitamente para o usuário experimentar.

Ou seja, o freemium é tipo uma amostra grátis.

O criador do termo freemium é atribuído a Jarid Lukin, da Alacra, fornecedora de informações corporativas e ferramentas de fluxo de trabalho.

Embora este termo seja cunhado em 2006, a sua prática é bem mais antiga, havendo casos sistematizados desde a década de 1980.

Banner will be placed here

Como funciona o freemium?

Para executar o modelo freemium, uma empresa deve oferecer um serviço ou produto sem nenhum custo para o consumidor como uma forma de estabelecer a base para transações futuras. 

Ao oferecer amostras gratuitamente, as empresas constroem um relacionamento prévio com os clientes. 

Isso abre margem para que seja oferecido a eles serviços e produtos mais avançados e amplos, de maior valor agregado.

O modelo freemium tem sido bastante aplicado em empresas que operam na Internet. 

É comum, por exemplo, algumas empresas oferecem softwares em versão demo (demonstrativos), ou ainda em versões gratuitas mais simples, com recursos limitados.

O objetivo, neste caso, é fazer com que o cliente deseje adquirir a versão completa do software.

O mesmo modelo tem sido muito usado por pessoas que queiram vender cursos e treinamentos nas redes sociais.

Essas pessoas dão uma ou duas aulas gratuitas e induzem os espectadores a quererem adquirir o curso completo.

O ramo de jogos de celular também é outro que faz muito uso do freemium. Hoje em dia há uma infinidade de games gratuitos, mas que oferecem compras dentro do aplicativo para dar vantagens aos jogadores.

É o chamado “pay to win”.

Fora do mundo digital, outro exemplo de freemium na prática são empresas de alimentos que oferecem amostras grátis em feiras e mercados. 

É comum ver pessoas oferecendo copinhos de café, pequenos biscoitos e pedaços de algum doce aos clientes que passam nos corredores dos grandes supermercados.

Essa é uma tática popular principalmente para empresas que estão começando e que ainda não têm uma base sólida de clientes.

Cuidado com o freemium

Há aquele ditado que, de graça até injeção na testa.

Entretanto, nem sempre o gratuito é a melhor escolha, ainda mais quando incluímos no custo o “desprazer” de uma experiência ruim.

Jogos gratuitos podem sair mais caros do que um jogo completo e preço de aquisição elevado. 

É comum ver casos de crianças que usaram cartões de crédito dos pais para comprar itens dentro dos jogos. Esses gastos muitas vezes são bem maiores do que o preço de jogos pagos.

Já aqueles que optam por não comprar nada, acabam gastando muito mais horas de jogo para poder alcançar o nível daqueles jogadores que pagaram para avançar etapas.

E como sabemos, tempo é dinheiro, não é mesmo?

Outro fator dos serviços freemium que irrita muita gente são as propagandas que se seguem nos aplicativos gratuitos.

Isso ocorre porque os desenvolvedores precisam ganhar algum dinheiro para serem motivados a produzir esses aplicativos.

Entretanto, há alguns que pecam no excesso de propaganda, tornando a experiência do consumidor pior ainda.

Outro ponto que se deve ter em mente, e isso vale para as empresas, é que, muitas vezes, coisas gratuitas são associadas à qualidade ruim.

Neste caso, nem sempre a distribuição de amostra de produtos causa uma boa primeira impressão nos clientes.

Assim, a prática do freemium deve ser bem planejada para não gerar efeito contrário ao desejado. 

Para isso, o gestor deve realizar uma profunda análise sobre o comportamento do seu consumidor alvo e escolher a melhor estratégia para conquistá-lo.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE