Fras-le (FRAS3) Conclui Aquisição de R$ 457 Milhões da Nakata
SIMULE AGORA
| ,

Fras-le (FRAS3) Conclui Aquisição de R$ 457 Milhões da Nakata

A aquisição da Nakata Automotiva, no valor de R$ 457 milhões, representa a maior aquisição em seus 66 anos de história.

Por
Atualizado em 02/09/2020

A fabricante de autopeças Fras-le (FRAS3), do grupo Randon (RAPT4), anunciou nesta terça-feira, 1º, a conclusão da compra da Nakata Automotiva, resultado de um investimento de R$ 457 milhões que representa a maior aquisição em seus 66 anos de história.

A aquisição da Nakata adiciona uma receita líquida ao redor de R$ 500 milhões, o que leva a receita da Fras-le para perto de R$ 2 bilhões, posicionando também a companhia, conforme suas próprias estimativas, entre as três maiores no mercado de reposição de autopeças do País.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

O negócio amplia, principalmente, a presença da Fras-le no Nordeste e, após aquisições que expandiram sua linha de sistemas de frenagem, abre um novo portfólio de produtos de suspensão, direção e sistemas de propulsão, entre componentes como amortecedores, barra de direção e bomba de combustível.

“Depois de formar um portfólio completo de sistema de frenagem, a Nakata traz para a Fras-le um novo espaço dos automóveis e caminhões”, comenta o CEO da Fras-le, Sérgio Carvalho.

Sem abrir valores estimados, o executivo conta que os ganhos de sinergia com a união das duas operações vão da rede de distribuição, ao juntar a maior capilaridade da Nakata no Nordeste com a forte presença da Fras-le no Sul, às compras de insumos e melhores práticas administrativas.

Um dos primeiros passos, adianta Carvalho, será levar os produtos da Nakata para os mercados da América do Sul onde a Fras-le já está presente.

O negócio foi anunciado em dezembro, teve em julho a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e dos acionistas, e agora, em sua última etapa, foram finalizados os últimos processos relacionados a registros e documentação.

Desde 2017, a Fras-le fez aquisições de empresas na Argentina e no Uruguai, dobrou a capacidade de sua fábrica na China, entrou no mercado indiano, montou um centro de distribuição na Colômbia e comprou, em Joinville, a fábrica que produz as autopeças da marca Fremax.

Incluindo no pacote a aquisição da Nakata, a Fras-le mais do dobrou a receita que, antes desses movimentos, estava em R$ 850 milhões.

“A Fras-le está vivendo, com certeza, a sua maior expansão histórica”, salienta Carvalho.

Novos movimentos, porém, só devem acontecer após a integração da Nakata, tida como a prioridade da empresa no momento.

O CEO da Fras-le diz ainda que não estão previstos processos de reestruturação, como fechamento de unidades e enxugamento de quadros, tanto na fábrica da Nakata em Diadema quanto na sede administrativa em Osasco, ambas na Grande São Paulo, assim como no centro de distribuição em Extrema (MG).

“Nossa intenção maior é de expansão. Quando olhamos para oportunidades de aquisição, procuramos empresas que acrescentem.”

“Normalmente, não vamos atrás de turnaround reestruturação, empresas que precisem fechar operações. A intenção com a Nakata é crescer e, talvez, vir a contratar“, assinala Carvalho.

Resultado da Fras-le no Segundo Trimestre de 2020

O resultado da Fras-le (FRAS3) no segundo trimestre de 2020 (2t20), divulgado no dia 13 de agosto, apresentou um lucro líquido de R$ 13,1 milhões, baixa de 53,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Ebitda da Fras-le atingiu R$ 42,0 milhões no 2t20, permanecendo estável na comparação com o 2t19.

A margem Ebitda da Fras-le totalizou 15,0% no 2t20, apresentando crescimento de 2,6 pontos percentuais na comparação com o 2t19. 

A Margem líquida da Fras-le atingiu 4,7% no 2t20, apresentando retração de -3,6 pontos percentuais na comparação com o 2t19.

As ações da Fras-le (FRAS3) acumulam alta de 0,38% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 14,55% nos últimos 12 meses.

Notícias do Mercado Financeiro

Fonte: Estadão conteúdo.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE