O que são formas de pagamento?

Formas de pagamento são os meios disponíveis aos clientes para pagarem pelos produtos e serviços vendidos pelas empresas. 

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

O mais tradicional meio de pagamento é o dinheiro em espécie, embora esteja cada dia perdendo mais a sua participação nas transações.

Outra forma de pagamento é o cheque, entretanto seu uso está praticamente em extinção. Os cheques foram muito usados no passado, principalmente para realizar transações de valores elevados.

A perda de espaço dos cheques como forma de pagamento se deve principalmente ao surgimento de formas alternativas de transação, como cartões de crédito e débito e pagamentos online.

As formas de pagamento online incluem os boletos eletrônicos e transferências bancárias (TED, Doc e PIX, por exemplo). 

Estas formas de pagamento são muito mais seguras e práticas, pois são realizadas a partir de poucos passos. Também são mais ágeis, pois o dinheiro cai na hora na conta do comerciante.

Com a evolução tecnológica, hoje é possível pagar por uma compra aproximando o cartão ou celular de uma máquina de cartão, sem a necessidade de usar uma senha.

Outra forma que tem sido bastante usada é o pagamento por QR Code, que é feito a partir da captura do código via câmera do celular. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Formas de pagamento mais usadas 

A inovação tecnológica tem mudado cada dia mais os hábitos dos brasileiros em relação às formas de pagamento usadas para realizar suas transações.

Segundo a pesquisa realizada pelo IX Relatório de Tendências de Meios de Pagamento da Minsait, os brasileiros triplicaram o uso de pagamentos pelo celular, saltando de 8% em 2018 para 21% em 2019.

Essa categoria inclui os pagamentos “in-app”, derivado de compras feitas em aplicativos como iFood e Uber, além dos pagamentos com QR Code e os pagamentos por aproximação.

Outro resultado interessante é o que mostra o rápido crescimento do uso de cartões em detrimento do dinheiro em espécie.

Conforme a pesquisa mostra, o cartão de débito e crédito é usado como principal forma de pagamento por 52% do público em 2019, enquanto que em 2018 eram 27%.

Enquanto isso, a queda do uso do dinheiro vivo foi na mesma intensidade.

Apenas 25% da população segue utilizando as cédulas e moedas nas compras, em comparação com os 40% da pesquisa anterior.

Esses números confirmam o argumento de que há uma tendência de digitalização das formas de pagamento e mudança do perfil tradicional do consumidor brasileiro, que fazia mais uso de dinheiro vivo.

Além disso, o estudo também mostra que, embora tenha havido crescimento do “dinheiro de plástico” (cartões de débito e crédito), os meios eletrônicos também vêm ganhando espaço.

Inclusive, há aqueles que dizem que os cartões poderão cair em desuso em breve, dado a grande velocidade com que as mudanças tecnológicas vêm sendo incorporada na vida das pessoas.

Adaptação às novas formas de pagamento

Sabemos que as formas de pagamento vêm se multiplicando e tomando novas formas, na medida em que a tecnologia vai avançando e sendo adotada pelas pessoas.

Isso pode gerar certa dificuldade para as empresas em algum momento, pois os consumidores podem desejar que as empresas acompanhem o ritmo das mudanças e ofereçam as novas formas de pagamento.

A incorporação dessas tecnologias de pagamento podem gerar custos para os comerciantes nas formas de:

  • Pagamento de tarifas;
  • Gasto com maquininhas;
  • Tempo de aprendizado e treinamento dos funcionários;
  • Gerenciamento de um número maior de contas;
  • Atualização do sistema de vendas;
  • Entre outras coisas.

Por outro lado, a adesão rápida ao maior número possível de formas de pagamento pode gerar um diferencial competitivo para a empresa.

Isso porque muitas pessoas podem se sentir atraídas à comprar daquele comércio devido a praticidade de realizar o pagamento.

Outra vantagem de se fazer rápida adesão às novas formas de pagamento é a possibilidade de atingir um público mais amplo e alavancar as vendas.