A Fitch Ratings anunciou na quarta-feira (07), através de comunicado, que elevou o Rating Nacional de Longo Prazo da Sanepar (SAPR11) e de suas emissões de debêntures para AAA(bra) de AA(bra). A perspectiva do rating corporativo é estável.

A elevação dos ratings reflete a força e a previsibilidade da geração de caixa da Sanepar, testada ao longo de 2020, diante de um cenário operacional desafiador, combinadas à expectativa de manutenção de reduzida alavancagem financeira e robusta liquidez, apesar dos maiores investimentos previstos nos próximos anos.

A empresa deverá manter margem de EBITDA superior à média de seus concorrentes do setor com controle público, assumindo uma menor pressão da crise hídrica a partir do final de 2021.

Os ratings da Sanepar consideram os sólidos fundamentos do saneamento básico no Brasil, com demanda resiliente e adequados reajustes tarifários.

A análise considerou ainda, que a empresa está preparada para enfrentar o novo ambiente regulatório.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

No momento, o risco político inerente ao seu controle público não exerce pressão negativa na classificação.

A Sanepar é classificada em bases isoladas do seu controlador pelo fato de a Fitch considerar moderados a Força do Vínculo e o Incentivo ao Suporte.

Resultado da Sanepar no Primeiro Trimestre de 2021

O resultado da Sanepar (SAPR11) no primeiro trimestre de 2021 (1t21), divulgado no dia 13 maio, apresentou um lucro líquido de R$ 246,5 milhões no 1T21, uma baixa de -3,7% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Sanepar atingiu R$ 522,7 milhões no 1T21, apresentando crescimento de 0,3% na comparação com o 1T20.

A Margem Ebitda da Sanepar totalizou 42,6% no 1T21, apresentando crescimento de 0,8 ponto percentual na comparação com o 1T20.

A Margem Líquida da Sanepar atingiu 20,1% no 1T21, apresentando retração de -0,4 ponto percentual na comparação com o 1T20.

As ações da Sanepar (SAPR11) acumulam queda de 1,18% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 32,32% nos últimos 12 meses.