O Portobello Grupo (PTBL3) informou na sexta-feira (03), através de fato relevante, que a agência de classificação de risco de crédito Fitch Ratings realizou o upgrade no rating nacional de longo prazo da Companhia para “A-(bra)”, elevando dois notches em uma única vez, com perspectiva estável.

A elevação do rating da PBG reflete seu desempenho operacional mais forte do que o inicialmente previsto, o que permitiu à companhia reduzir sua alavancagem líquida para abaixo de 2,0 vezes. 

A forte demanda e os significativos aumentos de preço impulsionaram a geração de caixa operacional durante 2021.

Banner will be placed here

A Fitch espera que a margem de EBITDA da PBG permaneça acima de 17%, uma vez que a empresa deve continuar a se beneficiar da forte demanda das incorporadoras, devido aos elevados volumes de lançamentos nos últimos dois anos. 

A adequada liquidez e o menor risco de refinanciamento da PBG, com um perfil de amortização de dívida mais alongado, também estão incorporados ao rating.

O upgrade do nosso rating, subindo dois notches em uma única vez, demonstra que estamos no caminho certo."

"O mercado de revestimentos cerâmicos segue aquecido, como resultado do fortalecimento da construção civil, impulsionado pelo grande número de lançamentos imobiliários em 2020 e 2021”, disse a Companhia. 

Resultado da Portobello no Terceiro Trimestre de 2021

O resultado da Portobello (PTBL3) no terceiro trimestre de 2021 (3t21), divulgado no dia 11 de novembro, apresentou um lucro líquido de R$ 80,7 milhões, alta de 291,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Ebitda ajustado da Portobello atingiu R$ 105,7 milhões no 3T21, apresentando crescimento de 72,9% na comparação com o 3T20.

A margem Ebitda ajustado da Portobello totalizou 20,4% no 3T21, apresentando crescimento de 5,7 pontos percentuais na comparação com o 3T20.

A margem líquida da Portobello atingiu 15,5% no 3T21, apresentando crescimento de 10,6 pontos percentuais na comparação com o 3T20.

As ações da Portobello (PTBL3) acumulam alta de 3,53% na bolsa de valores nos últimos 30 dias e alta de 44,32% nos últimos 12 meses.