O que é Financiamento?

O financiamento é uma operação de crédito muito comum e que tem como objetivo fornecer determinada quantidade de dinheiro a quem precisa. Oferecida por instituições financeiras, como bancos.

Essa linha de crédito possibilita que as mais diversas pessoas realizem algo que precisam ou algum sonho. Como, por exemplo, o da casa própria que muitos têm dificuldades em alcançar.

Assim como nos empréstimos, outra modalidade de crédito, a instituição que faz o financiamento cobra um valor sobre o crédito fornecido. Normalmente, seu pagamento é feito através de longas parcelas.

Cada uma das parcelas é acrescida de uma taxa de juros pré-determinada que incide sobre o total financiado. No Brasil, o financiamento é mais utilizado na compra de:

  • Materiais para reformas;
  • Educação;
  • Veículos;
  • Imóveis.

Há vários outros motivos pelos quais um financiamento é realizado. No entanto, para que seu pedido seja aprovado, primeiramente, a instituição financeira - pública ou privada - realiza uma análise de crédito.

Ela tem o objetivo de entender qual a capacidade financeira que o indivíduo possui de arcar com o parcelamento da dívida. Além disso, cada instituição possui suas próprias regras para obtenção do valor.

Outra característica dos financiamentos é que existem os oferecidos a pessoas físicas e a pessoas jurídicas. Em geral, para MEI e empresas de diferentes portes, as regras são diferenciadas.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Qual a Diferença entre Financiamento e Empréstimo?

À primeira vista, muitos confundem financiamento com empréstimo. Isso porque as duas linhas de crédito possuem características semelhantes, que é o empréstimo de um determinado valor.

Na prática, eles possuem diferenças que, em geral, mudam as regras para sua aquisição. A seguir, iremos mostrar como cada um deles funciona para que você compreenda suas diferenças:

  • Financiamento: quem solicita precisa informar a finalidade do valor, o que será comprado, para acessar o tipo de linha específica e ainda possui uma análise de crédito mais criteriosa;
  • Empréstimo: passa por apenas uma avaliação de risco sem muitas exigências e quem o solicita não precisa justificar como o valor será utilizado.

Além disso, as condições das taxas de juros tendem a ser menores no financiamento. Já que o crédito é liberado para uma finalidade específica e os juros aplicados consideram isso.

Por isso, os financiamentos são mais buscados para finalidades específicas, já que possuem modalidades que as atendem. Enquanto os empréstimos tendem a ser utilizados para emergências e ações imediatas.

Na hora de escolher entre um e o outro, o mais importante é realizar um comparativo de suas condições. Os empréstimos possuem uma liberação de crédito mais simples.

Em geral, pela motivação que levam as pessoas e empresas a buscá-los. Por causa disso, sua taxa de juros também tende a ser mais elevada, muitas vezes com uma diferença considerável.

Menos burocrático, em relação ao parcelamento eles normalmente também perdem para o financiamento. Entretanto, financiamentos exigem que o solicitante possua um fiador.

Portanto, se você precisa de crédito é importante avaliar bem os riscos e vantagens de cada uma dessas modalidades, considerando quais são os seus objetivos e sua realidade financeira.

Quais Tipos de Financiamento Existem?

As instituições financeiras oferecem variadas linhas de financiamento, cada uma com finalidades específicas. Entre as opções, alguns tipos mais comuns de se encontrar são:

  1. Consórcio: é caracterizado pela junção de um grupo de pessoas que realizam contribuições mensais, pagando antes para depois comprar o bem e seguindo a ordem prioritária para compra por sorteio;
  2. Estudantil: modalidade de crédito oferecida para quem deseja realizar o ensino superior em alguma instituição privada mas, não possui condições financeiras;
  3. FINAME: uma linha de crédito oferecida exclusivamente pelo BNDES para a aquisição de maquinários, equipamentos e veículos, com objetivo de fomentar a economia no país;
  4. Leasing: nesse tipo de financiamento o bem é comprado mas, passa a estar no nome de quem solicita o crédito após o pagamento de todas as parcelas de sua dívida;
  5. CDC: ou Crédito Direto ao Consumidor, direcionado a pessoas físicas e diferentes finalidades, essa é a modalidade mais comum na qual o valor emprestado deverá ser pago em parcelas periódicas.

Existem ainda diversas outras modalidades de financiamento oferecidas no Brasil. O mais importante é entender que em todas elas os juros aplicados variam de acordo com seu score de crédito.

Ou seja, uma pontuação que determina se você é um bom ou mal pagador. Quanto menor for seu score, maiores serão as taxas de juros aplicadas e menor as chances de aprovação.