Finanças para Casais: Como Enriquecer Juntos
|

Finanças para Casais: Planejamento Financeiro para Enriquecer Juntos

A transparência e o trabalho em equipe são fundamentais para o sucesso financeiro de casais.

Por
Atualizado em 15/09/2020
Avalie esse texto

Finanças para casais é um assunto que deve fazer parte de um relacionamento saudável. A vida a dois pode ser mais feliz ao usar o dinheiro de forma inteligente.

Quando duas pessoas resolvem partilhar a vida, elas também estão juntando suas contas, ganhos e planos para o futuro.

Por isso, o planejamento financeiro deve ser tratado com prioridade para aqueles um relacionamento duradouro.

As finanças para casais vão além de administrar o fluxo de receitas e despesas.

É preciso agir em conjunto, poupar e investir o dinheiro para atingir objetivos comuns, mas sem esquecer do individual.

Administrar as finanças familiares não envolve somente matemática.

Envolve também emoções e crenças enraizadas. Por isso, as conversas sobre dinheiro devem ser honestas.

Mesmo com toda a importância do assunto, a relação com o dinheiro costuma ser um dos principais tabus da vida a dois.

De acordo com levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), quatro em cada dez casais brigam por causa de dinheiro.

A situação financeira é o principal motivo de separação entre casais no mundo.

Se por um lado a falta de diálogo e transparência sobre dinheiro pode destruir em um relacionamento.

Por outro, cuidar do dinheiro em conjunto pode ser um grande ingrediente para o sucesso!

Veja como planejar as finanças do casal para um futuro tranquilo e cheio de realizações.

Por que planejar a vida financeira do casal?

A partir do momento em que o casal decide viver junto não dá mais para não falar de dinheiro.

É preciso ter consciência que muitas coisas serão divididas e conversas sobre como organizar as finanças em conjunto serão imprescindíveis para o futuro da relação.

Quando se é solteiro basta se preocupar com o seu próprio sustento e com o seu modo de lidar com o dinheiro.

Provavelmente nenhum dos dois se preparou para os gastos da vida em casal. Porém, de  hora para outra se veem obrigados a pensar em dobro.

São duas pessoas morando na mesma casa, dois salários entrando na conta e também mais gastos.

Por isso, quando os casais passam a viver juntos, as finanças pessoais podem ficar um pouco bagunçadas.

Agora não é mais “cada um por si”. Comunicação, transparência e organização são fundamentais para controlar as finanças do casal.

É preciso encontrar um equilíbrio no orçamento que supra a necessidade do casal, a individual, a dos futuros filhos e ainda ter dinheiro o suficiente para investir.

A má administração do dinheiro pode gerar muitas discussões e atritos desnecessários.⁠

Como estarão compartilhando do mesmo objetivo, é essencial que o casal esteja alinhado sobre suas finanças.⁠

Para isso, nada mais importante que uma boa conversa sobre dinheiro.

Infelizmente a lacuna na educação financeira em nossa cultura acaba contribuindo para aumentar os medos e receios de falar sobre dinheiro com o parceiro.

Não deixe que as finanças sejam um tabu no relacionamento.

Banner will be placed here

Fale abertamente sobre dinheiro

Alguns casais têm dificuldades em conversar sobre dinheiro, pois carregam crenças ou acham que isso vai causar algum conflito.

Contudo, é justamente ao contrário. 

Não falar sobre dinheiro que pode causar uma série de problemas futuros.

De acordo com pesquisa sobre orçamento familiar dos brasileiros feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) juntamente com Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL):

39% dos entrevistados casados ou em união estável brigam com o parceiro por causa de dinheiro.

Os conflitos são motivados principalmente por discordâncias sobre os gastos da casa (41%), falta de reservas para imprevistos (32%) e o fato de não querer pagar pelos gastos do cônjuge (19%).

Casamentos duradouros têm como pilares a cumplicidade e a honestidade em qualquer assunto. Por isso, busque falar abertamente sobre as finanças.

O casal que adota uma postura de parceria consegue se organizar melhor, além de se preparar para lidar com questões inesperadas, como momentos de crise.

O diálogo sobre dinheiro entre os casais deve se tornar um hábito.

Com os dois participando e contribuindo no processo de organização das despesas da casa é mais fácil chegar ao objetivo em comum.

Outro grande tabu que é fundamental se conversar enquanto casal é sobre a eventual falta de dos dois, seja por morte, invalidez, doença grave, etc.

Embora não seja uma conversa agradável, é preciso traçar planos alternativos para que essas eventualidades não prejudiquem financeiramente a família.

Como Viver de Renda? Conheça os 7 Princípios do Método KISS para Viver de Dividendos”.

Infidelidade financeira

Estudo realizado pela Universidade do Kansas, nos EUA, acompanhou 4.500 casais durante alguns anos e apontou os conflitos causados por causa do dinheiro como a principal causa do divórcio.

Observou-se que as discussões sobre dinheiro acontecem em todos os níveis, não importando o patrimônio envolvido.

De acordo com os especialistas, além do estresse causado pelas brigas em função do dinheiro, há ainda o envolvimento de mentiras e desonestidades.

Essas omissões financeiras sejam de despesas, dívidas, reservas ou investimentos, são chamadas de infidelidades financeiras.

Esconder informações sobre as finanças do cônjuge é mais comum do que se imagina.

Segundo estudo do SPC Brasil e CNDL, 40% dos entrevistados não contam sobre todas as compras que fazem para o cônjuge.

Destes, 61% disseram que não contam para evitar conflitos, sendo que 37% dizem ter prioridades diferentes e tentam conciliar desejos com família sem causar discussões e 24% querem evitar briga.

Já 25% das pessoas que não informam todas as compras declararam não o fazer por não gostarem de ter seu dinheiro controlado.

Os gastos mais omitidos estão:

  • Roupas;
  • Maquiagem, perfumes ou cremes;
  • Calçados;
  • Cigarros, bebidas e substâncias ilícitas.

Ainda segundo a pesquisa, 39% não sabem exatamente quanto o cônjuge ganha por mês e também não sabem se o parceiro possui aplicações ou investimentos.

Como Viver de Renda? Conheça os 7 Princípios do Método KISS para Viver de Dividendos”.

Como fazer um planejamento financeiro para casal

Para evitar problemas com o dinheiro e com o relacionamento no futuro, é preciso que o casal aprenda a ter um controle financeiro em conjunto.

Não há uma fórmula ideal para as finanças de casais. Cada um deve adequar o planejamento a suas próprias realidades e expectativas.

E principalmente, conversar e agir de forma sincera e honesta. Assim, tudo fica mais simples.

Casais inteligentes enriquecem juntos e mudam a relação para melhor.

Não deixe para falar sobre dinheiro somente quando assunto quando a bomba já estourou.

Veja os principais pontos para a construção de um bom planejamento financeiro para casais e modele-o de acordo com sua realidade.

1- Cuidem das finanças juntos

Embora seja comum delegar as responsabilidades financeiras para apenas um dos cônjuges, o ideal é compartilhar as tarefas e cuidar do orçamento juntos.

Quando há o envolvimento dos dois é mais fácil achar o ponto comum e obter melhores resultados.

Dediquem um tempo para traçar um plano financeiro e controlá-lo semanalmente.

2- Saiba quanto cada um ganha

Para organizar o orçamento do casal é natural que cada um saiba o salário do outro.

A transparência é fundamental para construir uma relação de confiança e um planejamento fidedigno.

Se você tem receio de falar abertamente sobre valores com seu cônjuge, reflita sobre os motivos. Provavelmente há alguma outra questão que deve ser resolvida.

Como na maioria das vezes o casal não ganha a mesma quantia, dividida os gastos da melhor forma para ambos.

Não há uma regra, trata-se de uma questão de bom senso.

3-   Faça um planejamento financeiro do casal

O planejamento financeiro é o ponto de partida para a concretização dos objetivos do casal.

Para isso, estipule todos os gastos que vocês terão, como comida, luz, água, gasolina, internet, etc.

Com os valores no papel, fica mais fácil visualizar como está o orçamento familiar, se está condizente com o salário do casal, onde pode economizar e quais as prioridades.

4-   Encontre soluções, não um culpado

Controlar as finanças do casal não é uma tarefa fácil, pois são duas pessoas com crenças e vivências distintas que se veem juntas dividindo o orçamento.

Se você discorda da forma com que o outro gasta o dinheiro, tente compreender seus motivos para agir assim.

Observe a situação financeira objetivamente. Será que as contas estão pesando mais no bolso de um? Os dois estão se comprometendo com os objetivos em comum?

Nem sempre essas conversas são fáceis, por isso, não julgue e ouça o que seu cônjuge tem a dizer.

Para eliminar os problemas financeiros e melhorar o relacionamento é preciso assumir a responsabilidade e propor soluções para a melhoria financeira.

5-   Tenha objetivos em comum

Quando duas pessoas decidem unir-se é comum que tenham objetivos comuns, mesmo que cada um mantenha sua individualidade.

Quais são os sonhos e metas do casal? Uma casa? Uma segunda lua de mel? Filhos?

Os objetivos do casal não podem ser esquecidos no momento do controle das finanças.

Depois de identificarem suas prioridades, organizem-se e trabalhem para poupar dinheiro e atingir esses objetivos.

6-   Não se esqueça dos objetivos individuais

Viver a dois não exclui a individualidade de cada um. É normal e saudável tenham seus gostos e valores e queiram gastar dinheiro com seus interesses que, muitas vezes, não são compartilhados.

Isso não precisa e não deve ser feito escondido. A reserva pessoal de cada um deve entrar no planejamento financeiro do casal.

Afinal, o casal é um ser tridimensional. Há duas pessoas e mais uma terceira, formada pelos dois.

Dessa forma, a individualidade de cada um é preservada, assim como o que foi traçado em conjunto.

7-  Entrem em acordo sobre os gastos domésticos

Gastos domésticos são decisões em conjunto. Para evitar conflitos e a frase perigosa “sou eu que estou pagando”, tudo deve ser acordado, e não resolvido e executado individualmente.

Certifiquem-se de que estão de acordo com os gastos em comum, sem anular a opinião do outro.

8-   Invistam

O investimento é crucial para alcançar os objetivos e ter uma situação financeira confortável no futuro.

O primeiro passo é construir uma reserva de emergência para o casal, caso ainda não tenha.

Esse dinheiro deve suprir os gastos da família por, no mínimo, 6 meses.

Assim, caso enfrente tempos financeiramente difíceis, como a perda de um emprego, um acidente e outras surpresas desagradáveis, o casal poderá recorrer a essa economia e passar por esses momentos sem contrair dívidas ruins.

Depois, chegou a hora de investir pensando nos objetivos do casal e individuais de curto, médio e longo prazo.

Lembre que os investimentos podem ser individuais, mas devem ser pensados em conjunto.

Como Viver de Renda? Conheça os 7 Princípios do Método KISS para Viver de Dividendos”.

Conclusão

Organizar as finanças do casal não é difícil quando se tem esforço e dedicação por parte dos dois.

Um ambiente financeiramente tranquilo torna o relacionamento muito mais agradável e compensador.

Por isso, seja honesto e claro acerca das finanças. Os dois precisam estar a par de tudo que acontece. Dessa forma, fica mais fácil planejar o orçamento e evitar apertos.

Para uma relação transparente nas finanças para casais:

  • Fale abertamente sobre dinheiro;
  • Tenham objetivos em comum;
  • Não esqueça dos objetivos individuais;
  • Criem um orçamento juntos;
  • Acompanhem as finanças em conjunto.

Se algum problema financeiro acontecer, converse com calma para juntos descobrirem a melhor alternativa.

A transparência nas finanças é um sinal de parceria e confiança para um relacionamento duradouro e saudável.

Segredo da Riqueza


Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais