As exportações brasileiras de carne suína in natura e processada em julho recuaram 6,2% em volume, para 96,3 mil toneladas, e 9,7% em receita, para US$ 222,4 milhões, ante julho de 2021, informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Nos sete meses, os embarques do produto somaram 606,5 mil toneladas, 8,9% menos que em igual período de 2021, quando foram embarcadas 665,4 mil toneladas.

A receita de janeiro a julho chegou a US$ 1,337 bilhão, 16,2% menor que em 2021.

Conforme a ABPA, a China importou em julho 38,4 mil toneladas (-24,4%), as Filipinas, 8,2 mil toneladas (+238,2%), a Tailândia, 5 mil toneladas (+2149,7%) e o Uruguai, 4,1 mil toneladas (+7,8%).

"Há um novo patamar nas vendas de carne suína para a China, em torno de 40 mil toneladas, o que deve se manter nos próximos meses e acima dos volumes praticados no primeiro semestre deste ano", disse Luís Rua, diretor de mercados da ABPA.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

"Ao mesmo tempo, vemos que outros mercados ganharam protagonismo em 2022, como Filipinas, EUA, Tailândia e Japão. Para estes países, temos destinado produtos de valor agregado mais elevado, o que manteve as exportações acima de 90 mil toneladas mensais desde março, dando um indicativo de tendência até o fim de 2022."

Fonte: Estadão Conteúdo.