O que é Expansão Econômica?

A expansão econômica faz parte de um período chamado ciclo econômico. Tal ciclo engloba dentro dele esse conceito que é definido como o auge do crescimento de uma economia específica.

Seja ela nacional ou global, toda expansão é um dos estágios que compõem este ciclo. Durante o auge de uma economia, é quando podemos notar uma maior geração de:

A expansão econômica, no ciclo econômico, pode ser comparada com o verão. Pois, ainda que em algumas regiões seu clima não  seja bem definido, ele sempre apresentará algumas propriedades comuns.

Por exemplo, o sol é mais forte e as roupas usadas, mais frescas. Nele vemos comidas mais leves à venda, um aumento no consumo de água, entre outros fatores.

Dentro do contexto econômico, nesse cenário a expansão da economia funciona de maneira parecida. Aqui, ao invés da temperatura, o que chega a um nível elevado é seu crescimento.

Com isso, o PIB (Produto Interno Bruto), que é o indicador de riqueza da população, tem aumentos significativos. Mas, ao passo que no verão queremos fugir do calor, no crescimento econômico queremos aproveitá-lo ao:

  • Procurar as melhores ofertas de crédito;
  • Aquecer o consumo da população;
  • Realizar investimentos.

Ainda nesse cenários, temos as empresas como os frutos e flores que florescem nessa estação. O que pode ser representado através da expansão no seu faturamento.

Mas, a expansão econômica faz parte de um ciclo e como qualquer outro, uma hora perde sua força. Ela vai desacelerando a níveis mais baixos até atingir o ponto de crise econômica.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Para que Serve a Expansão Econômica?

Os ciclos econômicos possuem ligação direta com os ciclos de crédito, o que inclui a expansão econômica. Logo, mudanças nas taxas de juros impactam as ofertas de crédito no país.

Tudo isso pode fazer com que os empréstimos para pessoas físicas e jurídicas fiquem mais ou menos caros. Ou seja, contribuindo de maneira positiva ou negativa para a economia.

Quando essas taxas de juros ficam baixas, a oferta de crédito se mantém aquecida. De modo natural, isso acrescenta mais dinheiro à economia e faz com que a inflação aumente.

Já quando os juros estão altos, o crédito fica escasso e as empresas param de investir em bens de capital. Enquanto as famílias optam por reduzir o seu consumo.

Durante a expansão econômica, as linhas de crédito servem para estimular o crescimento de empresas. Bem como aumentar a aquisição de empréstimos e financiamentos por parte da população.

Com os juros reduzidos, isso gera um maior estímulo e aquecimento dos mercados. No entanto, dependendo do controle econômico aplicado, a crise seguinte a expansão será moderada ou grave.

Quais Estágios Formam um Ciclo Econômico?

Todo ciclo econômico é composto por quatro estágios principais, que inicia justamente na expansão econômica, conforme descrito abaixo:

  1. Expansão: o país experimenta economicamente uma fase de crescimento bem consistente na produção de produtos e serviços, enquanto os juros costumam ser baixos;
  2. Boom: ou explosão, é o pico da fase de produção de bens e serviços em seu máximo, acompanhado do aumento da inflação e uma necessidade de elevar os juros;
  3. Contração: este estágio acontece quando a atividade econômica começa a diminuir e a taxa de desemprego aumenta sem parar, ao mesmo tempo que as taxas de juros continuam subindo;
  4. Recessão: ela acontece quando atinge-se o ponto mais forte de uma crise macroeconômica marcada pelo forte desemprego, as taxas de juros e inflação elevada.

Geralmente, o ciclo econômico segue a dinâmica exatamente na mesma ordem no qual foi apontada aqui. A única coisa que muda é o período de duração de cada estágio.