O que é Exchange?

Exchange é o termo em inglês utilizado para bolsa de valores e que em tradução literal significa “troca”. As bolsas de valores são ambientes financeiros nos quais, são negociados:

Composta por diversos instrumentos financeiros, a função de uma bolsa é garantir negociações justas e ordenadas. Ainda sendo a responsável por disseminar as informações sobre preços dos ativos nela listados.

Uma exchange nada mais é do que uma plataforma, atualmente, com sistemas digitalizados. Nela é possível a venda de títulos emitidos por governos, empresas e outros grupos financeiros.

Além disso, os próprios investidores podem utilizar esse espaço para a compra e venda de seus ativos. Seja ao utilizar estratégias de curto, médio ou longo para obter retornos.

Os investimentos listados em uma exchange normalmente são feitos para obter capital. Ou seja, empresas e governos emitem ativos para atrair investidores e levantar recursos que irão financiar suas atividades.

Vale destacar que apesar de utilizarem sistemas eletrônicos, as bolsas de valores, podem possuir locais físicos. Estes servem tanto para sediar as atividades da bolsa em questão quanto para negociações presenciais. Elas até hoje existem, apesar de menos comuns. É possível encontrar exchanges em quase todos os países do mundo e as mais conhecidas são:

  • NASDAQ -  mercado de ações norte-americano;
  • NYSE - Bolsa de Valores de Nova York;
  • LSE - Bolsa de Valores de Londres;
  • TSE - Bolsa de Valores de Tóquio.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como Funciona uma Exchange?

Em filmes, a exchange ou bolsa de valores, muitas vezes é representada por um cenário caótico. Com pessoas gritando ao telefone enquanto acompanham as oscilações do mercado nas telas.

Apesar de essa já ter sido um dia a realidade, hoje a maioria das exchanges são digitalizadas. São espaços para negociação de ativos que, mesmo quando físicos, fazem uso de sistemas eletrônicos.

Portanto, nos dias atuais as negociações contam com uma correspondência algorítmica eletrônica. Logo, nem todos os membros envolvidos na negociação precisam estar presentes fisicamente no "pregão", como também é chamado .

Através de plataformas digitais, acessadas pela internet, as exchanges hoje são marcadas especialmente pelo uso do home broker. O sistema que corretoras de valores fornecem aos clientes para que possam: 

  • Inserir e acompanhar ordens de compra e venda; 
  • Cancelar ordens em andamento.

Seja por meio de um espaço físico ou virtual, as bolsas supervisionam todas as operações que acontecem nela. Isso a fim de impedir ações abusivas e garantir a segurança nas negociações.

No cotidiano, a maioria dos pedidos são processados por redes de câmbio eletrônicas. O que nas últimas décadas trouxe mais acessibilidade a esse mercado, atraindo investidores cada vez mais jovens.

Como a Exchange Surgiu?

A exchange teve origem na Europa, tanto o termo quanto o conceito em si. Segundo os registros mais antigos, acredita-se que seu surgimento ocorreu durante o século 16.

Inclusive, em 1531, a Bélgica já possuía uma versão mais primitiva desse espaço para negociações. Lá, pessoas, negociantes, empresas e o governo iam para captar recursos ou investir.

Naquela época ainda não existiam ações e outros títulos comuns atualmente, então, as negociações e resumiam basicamente a:

  • Notas promissórias;
  • Títulos de dívida.

Existiam ainda, outros instrumentos financeiros característicos da época. As ações passaram a surgir por volta de 1600, quando novos conceitos de divisão do capital social e participação acionária foram desenvolvidos.

Um período que foi marcado pela criação das Companhias das Índias Orientais. Desse modo, motivando a necessidade de financiamento para realização de expedições ao Oriente, especialmente por parte da:

  • Inglaterra;
  • Holanda;
  • França.

Mas, foi apenas em 1773 que a primeira versão “moderna” de uma exchange foi fundada em Londres. A London Stock Exchange (LSE), que é hoje uma das principais bolsas do mundo.

Quase duas décadas depois, em 1790 a primeira bolsa norte-americana foi criada, a Philadelphia Stock Exchange (PHLX). Atualmente conhecida como NASDAQ OMX PHLX, ao se tornar propriedade da Nasdaq Inc.

No Brasil, em 1843, foi criada a primeira exchange nacional chamada de Bolsa de Valores do Rio de Janeiro (BVRJ). Ainda no século 19, diversas outras bolsas de valores foram criadas no país.

Mais recentemente, no século 20, as operações desse mercado foram se concentrando em nosso país. Assim, em 2008, ocorreu a fusão da BM&F e a Bovespa Holding.

O que levou a criação da BM&FBOVESPA S.A. (Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros), também conhecida como B3. Atualmente, a única exchange operante em nosso país.