A incorporadora imobiliária Evergrande está planejando o que poderá virar a maior reestruturação de uma dívida na China que incluiria todos os seus títulos públicos offshore e dívida privada, segundo informações da imprensa internacional.

A empresa passa por dificuldades para cumprir uma dívida de mais de US$ 300 bilhões e disse que criou um “comitê de gestão de crise”, integrado por sete pessoas (dois executivos do grupo e cinco dirigentes de entidades estatais).

O comitê foi criado “em vista dos desafios operacionais e financeiros” que a Evergrande enfrenta, de acordo com um comunicado enviado à Bolsa de Hong Kong.

Banner will be placed here

Inadimplência formal

Alguns detentores de títulos offshore do China Evergrande Group não receberam pagamentos de juros ao final de um período de carência de 30 dias, informou a Reuters, citando cinco pessoas com conhecimento do assunto.

Ainda não houve nenhuma palavra da incorporadora que teria de pagar US$ 82,5 milhões na segunda-feira. 

Caso não tenham sido cumpridos, seria a primeira vez que a empresa estaria inadimplente formalmente, uma vez que conseguiu fazer os últimos pagamentos de juros na décima primeira hora, dentro do prazo de carência.

Analistas disseram, no entanto, que era improvável que os juros fossem pagos, dados os planos de reestruturação da empresa. 

A Evergrande disse na sexta-feira que “planeja se envolver ativamente com credores offshore para formular um plano de reestruturação viável”.