A Evergrande conseguiu evitar novamente a inadimplência ao pagar os juros de um título offshore pouco antes do fim do prazo de carência na sexta-feira, relataram o New York Times e a Bloomberg.

O gigante imobiliário chinês enfrenta uma dívida de US$ 300 bilhões, com US$ 500 milhões em pagamentos devidos até o final deste ano.

A empresa devia US$ 45,2 milhões em juros de títulos, que venceu inicialmente em 29 de setembro. 

Mesmo perdendo o prazo, a Evergrande tinha um período de carência de 30 dias que vencia hoje antes de ser considerada inadimplente.

Este último pagamento ocorreu uma semana depois que a empresa evitou um calote na semana passada garantindo US$ 83,5 milhões para o pagamento de última hora dos juros de um título.

Os investidores em todo o mundo têm sido perturbados pelos problemas da dívida de Evergrande, temendo o contágio em toda a economia global.

As autoridades chinesas repreenderam publicamente a Evergrande, dizendo para resolver seus problemas de dívida e instruindo as incorporadoras imobiliárias do país a pagarem a seus detentores de títulos no exterior.

Como ambos os pagamentos ocorreram às vésperas da formalização de um calote, especulações quanto a origem do dinheiro começaram a ser feitas.

Segundo a Bloomberg, pessoas familiarizadas com o assunto, relataram que o bilionário fundador da Evergrande, Hui Ka Yan, poderia ter usado seu próprio dinheiro para pagar a dívida da empresa.

Informe o DDD + 9 dígitos