A Engie (EGIE3) informou nesta quinta-feira que, com a autorização dada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que as três últimas das 11 centrais eólicas de Campo Largo II entrem em funcionamento, a totalidade das centrais geradoras do complexo está em operação comercial a partir desta data.

Segundo informações da companhia, Campo Largo II conta com 361,2 MW de capacidade instalada total e está localizada no município de Umburanas, a aproximadamente 420 km de Salvador, na Bahia, mesma região onde a Engie já opera comercialmente os Conjuntos Eólicos Campo Largo e Umburanas, que tem 686,7 MW de capacidade instalada.

Banner will be placed here

Com a entrada em operação comercial da totalidade de Campo Largo II, o parque gerador da empresa passou a contar com 1.262,6 MW de capacidade instalada de energia eólica, somando 49 centrais eólicas em operação comercial, totalizando no portfólio 71 usinas de diferentes fontes e 9.075,7 MW de capacidade instalada total em 12 Estados, nas cinco regiões do Brasil.

De acordo com o diretor-presidente e de Relações com Investidores da Engie, Eduardo Sattamini, as sinergias existentes na região, como a utilização da mesma subestação, linha de transmissão, infraestrutura de canteiro e acessos internos, possibilitaram a aceleração da entrega das três centrais.

Resultado da Engie Brasil no Segundo Trimestre de 2021

O resultado da Engie Brasil (EGIE3) no segundo trimestre de 2021 (2t21), divulgado no dia 05 de agosto, apresentou lucro líquido de R$ 318,8 milhões no 2T21, uma baixa de -58,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda ajustado da Engie Brasil atingiu R$ 1,5 bilhão no 2T21, apresentando crescimento de 19,7% na comparação com o 2T20.

A margem Ebitda ajustada da Engie Brasil totalizou 48,9% no 2T21, apresentando crescimento de 0,2 ponto percentual na comparação com o 2T20.  

A margem líquida da Engie Brasil atingiu 10,2% no 2T21, apresentando crescimento de 18,3 pontos percentuais na comparação com o 2T20.

As ações da Engie (EGIE3) acumulam alta de 1,14% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 4,17% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.