O consumo consolidado de energia elétrica, cativo e livre (2.985,8 GWh), nas áreas de concessão do Grupo Energisa (ENGI11), apresentou redução de 0,6% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

No mês, iluminação pública e rural, com efeitos atípicos, direcionaram a queda.

A classe rural, por sua vez, foi afetada pela revisão cadastral (REN Nº 901), com migração de 70 mil clientes do rural para residencial - 7% do volume da classe (19 GWh).

No mês, 7 das 11 distribuidoras apresentaram queda no consumo de energia em suas áreas de concessão.

Destaque para classe comercial, apresentando a maior taxa em 3 anos e a principal alta no mês (+4,4% ou 24,3 GWh), a retomada das atividades presenciais foi o principal direcionador.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

A classe residencial também apresentou aumento no consumo, registrando +1,5% (17,1 GWh), as concessões que mais contribuíram com o resultado no mês foram a EMT (+11,1% ou 18,8 GWh); ERO (+7,4% ou 7,7 GWh) e ESE (+7,0 ou 6,9%).

Por fim, a classe industrial também apresentou crescimento, registrando alta de 0,4% (2,6 GWh), puxada pelas concessões EMS (+4,0% ou 4,4 GWh), destaque para frigoríficos, grãos e açúcar e cítricos.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Energisa no Quarto Trimestre de 2021

resultado da Energisa (ENGI11) no quarto trimestre de 2021 (4t21), divulgado no dia 17 de março, apresentou um lucro líquido de R$ 582,6 milhões no 4T21, uma alta de 203,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Energisa atingiu R$ 1,7 bilhão no 4T21, apresentando crescimento de 55,9% na comparação com o 4T20.

A margem Ebitda da Energisa totalizou 23,5% no 4T21, apresentando crescimento de 5,6 pontos percentuais na comparação com o 4T20. 

A margem líquida da Energisa atingiu 7,8% no 4T21, apresentando crescimento de 4,7 pontos percentuais na comparação com o 4T20.

As ações da Energisa (ENGI11) acumulam alta de 4,49% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 15,01% nos últimos 12 meses.