O Conselho de Administração da Energisa (ENGI11) aprovou a 15ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até quatro séries, no valor de até R$ 1,330 bilhão.

Os títulos serão objeto de distribuição pública, com esforços restritos de colocação e prazos de vencimento de 10, 15, 5 e 7 anos respectivamente da primeira, segunda, terceira e quarta séries.

Serão 1,330 milhões de debêntures, com valor de R$ 1 mil cada, sendo que necessariamente 330.000 deverão ser alocadas na primeira série e/ou na segunda série e necessariamente 1 milhão deverão ser alocadas na terceira série e/ou na quarta série.

A companhia destaca que as debêntures da primeira e segunda séries poderão não ser emitidas, caso a demanda seja inferior a R$ 50 milhões.

Os papéis terão atualização monetária pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e remuneração pelo maior valor entre Tesouro IPCA Juros Semestrais 2030 mais 0,65% ao ano ou 5,13% no caso da primeira série.

Para a segunda série, será usado o maior valor entre o Tesouro IPCA Juros Semestrais 2035 mais 0,70% ao ano ou 5,20% ao ano.

A terceira série terá remuneração de 100% da taxa DI mais 1,64% ao ano e, por fim, da quarta série, será 100% da taxa DI mais 1,80% ao ano. Os pagamentos de todas as séries serão semestrais.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

Os recursos captados na emissão da primeira e segunda séries serão destinados ao financiamento futuro dos projetos de investimento em infraestrutura de distribuição e a transmissão de energia elétrica e serão transferidos para as geradoras controladas da Energisa na Paraíba, Sergipe, Rondônia e Tocantins e na transmissora do Amazonas.

Já a totalidade dos recursos da terceira e quarta série serão destinados à gestão ordinária dos negócios da companhia.

A emissão se enquadra das regras de projetos de infraestrutura considerados prioritários.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

Resultado da Energisa no Segundo Trimestre de 2021

O resultado da Energisa (ENGI11) no segundo trimestre de 2021 (2t21), divulgado no dia 12 de agosto, apresentou um lucro líquido de R$ 749 milhões no 2T21, uma alta de 951,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda ajustado da Energisa atingiu R$ 1,5 bilhão no 2T21, apresentando crescimento de 86,8% na comparação com o 2T20.

A margem Ebitda ajustada da Energisa totalizou 24,5% no 2T21, apresentando crescimento de 6,3 pontos percentuais na comparação com o 2T20. 

A margem líquida da Energisa atingiu 12,3% no 2T21, apresentando crescimento de 14,3 pontos percentuais na comparação com o 2T20.

As ações da Energisa (ENGI11) acumulam alta de 0,41% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 11,52% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.