As ações do Twitter (TWTR34) caíram 6,9%  nas negociações de pré-mercado na segunda-feira, depois que Elon Musk decidiu desistir de seu acordo de US$ 44 bilhões para comprar a empresa.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Desde 13 de abril, dia em que Musk concordou com um acordo de aquisição, a empresa de mídia social caiu 25%.

Musk abandonou seu acordo para comprar o Twitter em uma carta apresentada por seus advogados à Securities and Exchange Commission na sexta-feira.

"O Twitter não cumpriu suas obrigações contratuais", escreveram os representantes legais de Musk, Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom LLP. 

"Por quase dois meses, Musk buscou os dados e informações necessários para 'fazer uma avaliação independente da prevalência de contas falsas ou spam na plataforma do Twitter'".

Esta não é a primeira vez que Musk manifesta preocupação com o número de contas falsas no Twitter. 

Em maio, ele disse que o acordo de aquisição não avançaria a menos que ele recebesse provas de que menos de 5% das contas do Twitter eram bots.

"Não achamos que o Twitter será capaz de fornecer qualquer informação que apazigue Musk, já que seu entusiasmo pelo acordo parece estar diminuindo, provavelmente refletindo o remorso do comprador por seu preço de oferta de US$ 44 bilhões que agora parece risível", disse Angelo Zino, analista de ações da CFRA Research ao Business Insider.

O Twitter já anunciou que "buscará uma ação legal para fazer cumprir o acordo de fusão" e analistas disseram que o preço de suas ações provavelmente continuará caindo, a menos que Musk reverta sua decisão de desistir do acordo de US$ 44 bilhões.

“A menos que o Twitter esteja disposto a reduzir sua oferta em pelo menos 15% a 20%, achamos que Musk irá embora, levando as ações para nosso valor autônomo de US$ 26 por ação”, disse Zino.

Enquanto isso, a Tesla (TSLA34) subiu 0,94% no pré-mercado de segunda-feira, tendo subido 2,54% na sexta-feira depois que Musk abandonou sua oferta de aquisição pelo Twitter.

Fonte: Business Insider